Carro de duas cabeças não é um monstro

Por BORIS FELDMAN07/12/16 às 15h13

Fim de ano é a época preferida pelas fábricas e concessionárias fazerem suas promoções, festivais de preços, ofertas especiais, para engordar suas estatísticas anuais. Porém, em meio à uma das mais graves crises já vividas pelo setor automobilístico, este final de 2016 é a hora e a vez do comprador. Basta dar uma espiada nos pátios lotados.

Mas final de ano propicia um argumento adicional para dar troco ao vendedor que “colou” em você no show room e quer porque quer te enfiar um carro zero goela abaixo. É só lembrá-lo de que dentro de alguns dias as fábricas já estarão produzindo o carro identificado como “ano modelo” 17 e “ano de fabricação” 2017 também. E, o que a concessionária tem hoje no pátio, ainda é o famoso “duas cabeças”, o carro fabricado em 2016, ano-modelo 17. É a mesma coisa; ambos são idênticos, o projeto é o mesmo, mecânica e estilo também não mudam do dia 31 de dezembro para 01º de janeiro. Só muda o certificado emitido pelo órgão de trânsito.

Mas, é sempre um argumento para se pedir um desconto adicional, alegando que no futuro, quando o carro for vendido, uma coisa é a unidade fabricada em 2016, outra é a fabricada em 2017. No futuro, o vendedor sempre tenta reduzir seu valor ao recebê-lo no negócio. E se esqueceu de que, ao vendê-lo, garantiu não existir definitivamente nenhuma diferença entre os dois. Na hora de comprá-lo como usado, ou recebê-lo como parte do pagamento de um novo, a conversa pode ser outra.

Aliás, algumas fábricas, na ânsia de aumentar as vendas no final do ano, chegam a instruir suas concessionárias a emplacar alguns carros para “engrossar” as estatísticas de unidades vendidas naquele ano. Daí que, no começo do ano seguinte, estão lá vários carros já emplacados embora sejam realmente “zero km”. Não se esqueça de que o vendedor pode oferecer um desconto adicional, mas com certeza se trata de um “duas cabeças”…

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário