Concessionárias saem bem na fita do JD Power

Por BORIS FELDMAN05/06/16 às 18h45

“Carroça apertada é que canta”: a profunda queda do mercado de carros zero km provocou quase um milagre no comportamento das concessionárias: numa guinada de 180º, a palavra de ordem hoje é atrair o cliente a qualquer custo, tanto para a venda de veículos, como para a assistência técnica. Chamada por elas de “pós-venda”, decidiram se dedicar e investir no atendimento da oficina.

Perceberam que, finda a garantia, a maioria dos donos sai correndo da rede autorizada em busca de assistência com preços mais razoáveis. Ajustaram então suas tabelas e investiram em qualidade e eficiência no atendimento para manter os clientes da marca. Uma tarefa não muito difícil, pois muitos deles afirmam estar dispostos a pagar um pouco mais para serem atendidos pela oficina autorizada, não só pela qualidade dos serviços e peças de reposição, mas também pela garantia oferecida. Só não concordam em pagar contas absurdas ao buscar o automóvel. As fábricas ajudaram, ao estabelecer um preço fixo para as revisões periódicas.

Deu certo: o famoso instituto de pesquisas norte americano JD Power, com filial no Brasil e em vários outros países, realiza enquetes frequentes para avaliar a qualidade e o preço dos serviços prestados pelas concessionárias de todas as marcas. E divulgou uma recente pesquisa feita no Brasil com cinco mil proprietários de automóveis novos, com resultados surpreendentes.

De zero até mil pontos possíveis, a média de satisfação dos clientes em relação às oficinas das concessionárias no Brasil ficou em 780 pontos. Qual o significado deste resultado sob o ponto de vista internacional? Ligeiramente abaixo dos EUA com 797. Mas acima, por exemplo, da Inglaterra que teve média de 744 pontos. E até da Alemanha, que marcou 732 pontos.

O resultado prático desta pesquisa é que o dono de um carro no Brasil já pode repensar em levá-lo à concessionária mesmo depois de vencido o prazo da garantia de fábrica, pois elas estão modificando sua postura em termos de preços e qualidade dos serviços prestados.


Boris Responde

Tem alguma dúvida sobre o funcionamento do seu carro? O que vai melhor no carro flex: gasolina ou etanol? Quando substituir o cinto de segurança? Com que frequência trocar o óleo do motor? O Boris responde essas e outras dúvidas. Digite sua pergunta na caixa abaixo.


0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário