Fiat reduz preço do Mobi para concorrer com o Kwid

Fiat Mobi ganha nova versão de entrada mais peladona e com outro motor para brigar com a versão de entrada do Renault kwid

Por BORIS FELDMAN22/06/18 às 06h30

No duelo entre italianos e franceses, a Fiat resolveu dar uma mexida no Mobi de entrada para acirrar ainda mais a briga com o Renault Kwid.

[TRANSCRIÇÃO]

A Fiat estava incomodada de ter o seu Mobi mais barato de entrada custando 34.700 reais, 02 mil reais a mais que o Kwid, da Renault de entrada. Os italianos, então, resolveram brigar com os franceses e fizeram uma jogada de marketing: deixaram o Mobi peladão, tiraram todos os acessórios e o motor tricilíndrico Firefly também, ficou só o antigo quatro cilindros. Também no fundo, no fundo não muda muito. E ele passou a custar 32 mil e 600 reais, o mesmo que o Renault Kwid de entrada. Porém, justiça seja feita, o Renault kwid pelo menos oferece nessa versão,  4 airbags e o desembaçador do vidro traseiro. Mas, está enganado quem pensa que estes dois são os mais baratos do nosso mercado. Ainda tem o Chery QQ por 26.700 reais.

Mobi
Fiat | Divulgação

Renault | Divulgação

(Chery/Divulgação)

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

4 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Alex 6 de outubro de 2018

    Vamos ver se o novo presidente vai mudar essa realidade, pois os carro do Brasil são uns dos mais carros do mundo, sem dizer o combustível e a infraestrutura de péssima qualidade

    • Ricardo 15 de novembro de 2018

      Pode ser. Mas duvido que ele faça isso brigando com as montadoras. Afinal, foram os grandes empresários que mais apoiaram a sua campanha.

  • Felipe 25 de junho de 2018

    Daqui a pouco a Fiat vai vender carros somente com o banco do motorista para reduzir preço. Kkkk

  • Sergio Roberto Feliciano 22 de junho de 2018

    Continuam caros para o bolso do brasileiro e com o agravante de menor segurança e conforto.

Deixe um comentário