Kit MacGyver para viagem

se você vai viajar nessas férias, sempre vale a pena levar um "kit MacGyver", com algumas daquelas coisinhas simples mas que podem ajudar na hora "agá"

Por BORIS FELDMAN09/05/18 às 11h50

Com a quantidade de eletrônica presente nos automóveis mais modernos, está cada vez mais difícil resolver aquelas panes que te deixam a pé na estrada. Mesmo assim, se você vai viajar nessas férias, sempre vale a pena levar um kit com algumas daquelas coisinhas simples mas que podem ajudar na hora “agá”. E, mesmo que o motorista nada entenda de mecânica, se aparecer uma boa alma para ajudar, podem ser de extrema utilidade.

A primeira delas: fusíveis. Eles não avisam quando vão queimar e a maioria dos automóveis traz uns dois ou três de reserva. Não adianta ter apenas um, pois eles são de amperagens diferentes e não se deve trocar um queimado por outro de amperagem diferente. Descubra onde está a caixa de fusíveis do seu carro e veja se os sobressalentes ainda estão por lá. Se, ao trocar um fusível, ele voltar a se queimar imediatamente, o problema não está nele, mas em algum equipamento no circuito elétrico. Que está puxando corrente exagerada por estar em curto-circuito ou alguma outra pane.

Em segundo lugar: correias, que são feitas de borracha e podem arrebentar a qualquer momento. A correia dentada é mais complicada de se substituir, fica escondida e exige conhecimento técnico para posicioná-la corretamente. Mesmo assim, leve-a pois pode sempre aparecer um mecânico que entenda do assunto. A outra, que faz girar o alternador, é bem visível, simples de trocar e vale a pena carregar uma de reserva.

Lâmpadas também não avisam quando vai queimar e são leves, pequenas e baratas. Por que não carregar um kit delas no porta-malas?

Finalmente, o famoso reparador instantâneo de pneus, um tubinho à venda no comércio, de várias marcas e que não custa caro, na faixa de trinta a cinquenta reais, e costuma resolver o problema do pneu furado. Desnecessário lembrar também a “chatura” que é a troca de um pneu. Pior ainda se for sob sol a pino, ou na chuva e principalmente à noite. Sem mencionar também o problema de segurança de se trocá-lo num local ermo e mal iluminado.

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário