Maracutaia em carro usado pode envolver até airbag

Maracutaia envolvendo os airbags: em veículos acidentados, o reparo é feito fechando-se a tampa do equipamento sem colocar o outro novo no lugar, para “economizar”

Por BORIS FELDMAN02/05/18 às 09h29

São infinitas as possibilidades de maracutaia ao se comprar um carro usado. Algumas delas representam riscos incalculáveis ao novo proprietário, pois são gambiarras que envolvem dispositivos de segurança.

Airbag pode ser alvo de maracutaia

Exemplo? Quando um automóvel de acidenta e se inflam os airbags, não  existe a possibilidade de voltar a utilizá-los. São descartáveis e se deve colocar outros novos que custam caro por se tratar de um equipamento sofisticado e com componentes importados.

É hora da maracutaia, do “jeitinho brasileiro”. Fecha-se a tampa do airbag sem colocar o outro novo no lugar para “economizar”, pois, pensando bem, outro acidente com o mesmo automóvel é improvável. Aliás, não se diz que “raio não cai duas vezes no mesmo lugar”? Além do mais, como o carro será vendido…

O automóvel, depois de “reparado”, vai para uma loja de usados. Ou vendido diretamente por seu dono. E o novo “propriotário” acha que está protegido por airbags no caso de acidente, pois não vê no painel a luz de alerta que deveria indicar a falta do equipamento.

Veja também: E se o airbag não abrir?

São duas as formas de exercer a maracutaia. Na primeira e mais tosca, basta desligar a lâmpada do indicador no painel. Mas, existe a possibilidade de o motorista perceber, ao ligar o carro, que ela não está se acendendo e perceber o problema. Pois, ao virar a chave, a luz se acende alguns segundos e logo depois se apaga.

A segunda forma, mas sofisticada e difícil de se perceber é puxando da luz do ABS um fio para acionar também a lâmpada do air bag. Pois o sistema ABS tem também uma luz de alerta que se acende e se apaga segundos depois. Então, mesmo sem as bolsas do air bag, sua luz de alerta se acende e apaga normalmente, acionada pelo sensor dos freios ABS…

É caso de polícia, mas fica tudo por isso mesmo…

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

2 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ederson Teixeira 25 de julho de 2018

    Boa noite,
    Realizei uma troca de carro de são paulo para minas.
    Agora descobri que o carro ja foi de leilão e o airbag ja foi acionado….porem o antigo dono substituiu somente as tampas do volante e painel.
    Estou muito decepcionado e frusttado com o fato …levando em consideração que viajei de são paulo até minas em um carro que nao tinha a minima condição de pegar estrada pois a suspenção também estava detonada e o carro nao dava mais alinhaamento.
    Todas as informações foram omitidas pelo vendedor não se importando com minha integridade fisica e nem da minha familia.
    Temho um filho de 4 anos e não tenho coragem de colocar ele no carro.
    O que devo fazer?
    Nao consigo mais contato com o antigo proprietário.
    Qualquer ajuda será bem vinda.

  • Sergio 2 de maio de 2018

    Eu li o texto e fiquei pensando, qual a melhor forma de vender seu carro usado ou seminovo sem perder o valor.
    A maioria das v zes que vendemos nosso carro usado colocamos em portais de classificados de anúncios como * os anúncios são até grátis mas todo mundo que liga só que comprar no valor abaixo da tabela fipe.

    EDITADO

Deixe um comentário