Não complete o nível do fluido do freio

Por BORIS FELDMAN30/04/18 às 12h51

O fluido do freio do seu carro não deve ser completado de imediato. É preciso levar em conta algumas possíveis causas que fizeram baixar o fluido no reservatório.

[TRANSCRIÇÃO]

Quando você pára no posto para abastecer, a maioria dos frentistas é sempre muito gentil, muito solícita, e quase sempre abre o capô e se oferece para verificar os níveis dos óleos, dos fluidos, da água, entre eles o depósito do fluido do freio,que é transparente. Sabe por quê? Para que você possa verificar-lo sem ter que abrir a tampa do depósito, pois esse fluido é higroscópico, ele absorve  a umidade do ar, o que prejudica o seu funcionamento. Em segundo lugar, se dá pra ver que o fluido do freio está abaixo do nível, o frentista vai imediatamente se oferecer para completá-lo. E você não deve deixá-lo fazer isso, a menos que ele já esteja lá em baixo, quase sumindo do reservatório.

O nível do fluido do freio não se completa. Porque quando ele está abaixo do normal ele está indicando dois possíveis problemas e o carro deve ser levado para a oficina, para se verificar o que provocou o nível baixo. Em primeiro lugar pode ter sido um desgaste normal dos componentes do freio: pastilhas ou lonas que, quando substituídos, fazem o fluido voltar ao seu nível normal. O outro problema é o vazamento do fluido que deve ser reparado pela oficina. Ou seja, em nenhum dos dois casos o nível do fluido um pouco abaixo no reservatório deve ser completado no posto.

O fluido do freio do seu carro

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

1 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Vile Molinari 6 de junho de 2018

    Em todos os ramos de atividade encontramos bons profissionais e picaretas, mas na Internet o que mais tem é o “meia-boca”, que se mete a enrolar e dizer o que não sabe. Aqui não parece ser o caso. Li alguns artigos e se mostraram muito bem fundamentados. Vou acompanhar – parabéns!

Deixe um comentário