Nissan: mais uma vítima da Takata

Por BORIS FELDMAN12/01/17 às 12h58

A Nissan do Brasil é mais uma vítima da japonesa Takata, maior produtora mundial de airbags. Ela acaba de fazer um recall chamando 70 mil carros dos modelos Livina, Gran Livina e Livina X-Gear – além do Tiida (hatch e sedan) – para substituir o disparador do airbag.

Dezenas de fábricas no mundo compram airbags da Takata, e cerca de 80 milhões de automóveis já foram chamados de volta às concessionárias para substituição deste componente. O que quase “quebrou” a empresa que, por acaso, tem fábrica no Brasil.

O problema é grave. No caso de um acidente com impacto frontal que provoque o disparo da bolsa inflável, há grande risco do disparador se fragmentar e dezenas de partículas metálicas são ejetadas a quase 300 km por hora contra motorista e passageiros. Já se registraram 11 mortes provocadas por este defeito no mundo, além de centenas de casos de ferimentos graves. Ou seja, no caso de um acidente, o airbag Takata ao invés de salvar, mata!

Como as estatísticas revelam que no Brasil nem a metade dos automóveis envolvidos em recalls é levada às concessionárias para o reparo, convém ficar atento para os modelos da Nissan incluídos nesta operação. Basta conferir o número do chassis com a lista publicada pela fábrica ou chamar o SAC da empresa.

Não são apenas empresas japonesas que se envolveram com este airbag defeituoso. Marcas europeias e norte-americanas também equipam seus automóveis com o componente da Takata. Além de Mitsubishi, Honda e Toyota, General Motors, BMW, Mercedes-Benz e outras já chamaram seus automóveis de volta às concessionárias para este reparo, inclusive no Brasil. Em alguns casos, apenas o airbag do motorista é substituído, em outros, os dois dispositivos frontais são trocados.

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário