Posso turbinar o meu carro?

Você quer turbinar o motor do seu carro? Vale a pena? O Boris comenta

Por BORIS FELDMAN02/04/18 às 16h36

Você quer turbinar o motor do seu carro? Vale a pena? O Boris comenta.

[TRANSCRIÇÃO]

Durante muitos anos, quando se falava em carro com motor turbinado, era para as pistas, era para boy envenenando os seus automóveis. Hoje, com o downsizing, a redução da cilindrada, para se ganhar eficiência, reduzir consumo e emissões sem, sem prejudicar o desempenho, as fábricas estão instalando motores turbinados na linha de montagem, e, por isso, já tem gente pensando em turbinar o seu motor, oficinas oferecendo esse serviço.

Pode? Vale à pena? Não, não pode! Melhor desempenho o carro certamente terá, pois o motor vai ganhar vários cavalinhos. O problema é que quando a fábrica instala o turbo, ela muda completamente o projeto do motor, para resistir a essa potência extra, o que é impossível de se fazer quando se instala uma turbina em um motor não projetado para recebê-la e aí vem um sério problema chamado du-ra-bi-li-da-de.

Posso turbinar o meu carro?

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

2 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • RENATO 21 de maio de 2018

    Quanta bobagem… Não vou dizer botar uma turbina enorme…mas uma turbina razoável e considerando a possibilidade é gama de componentes disponíveis no mercado para reforçar bloco, bielas e etc…Claro que é possível.

  • Carlo Balzer 6 de maio de 2018

    A matéria é referindo-se a turbinar veículos, concordo que PODE reduzir a durabilidade, porém, também pode aumentar a durabilidade. Outro ponto a se comentar, foi a expressão de que seria impossível preparar um motor à receber um Turbo. Desculpa, mas, acredito que está havendo necessidade de reciclagem de quem escreve as matérias.

Deixe um comentário