Tração integral para o asfalto?

Por BORIS FELDMAN26/12/16 às 16h43

Se o consumidor entra num show-room da concessionária para comprar um carro zero quilômetro e o vendedor oferece um com tração nas quatro rodas, a primeira reação é negativa: argumenta que não tem necessidade de “jipe”, não tem sítio, fazenda nem roda jamais em estradinha secundária que possa eventualmente exigir tração integral quando a terra vira lama.

Mas, o vendedor tem a contra-argumentação na ponta da língua: diz que tração integral não existe apenas para lama (ou neve, em outros países). Que comprovadamente oferece uma segurança extra também no asfalto, principalmente quando chove. Tem algum fundamento técnico este argumento?

Sim: basta dirigir um automóvel 4×4 no asfalto molhado para se perceber nitidamente que o carro tem dirigibilidade muito melhor. Prova disso é que a marca alemã Audi se notabilizou exatamente pela tração nas quatro rodas em seus automóveis de rali. Ela cansou de dar um baile em outras marcas nos mais famosos campeonatos europeus. Decidiu então equipar seus carros de série com tração integral e mantem o sistema como opcional em toda sua gama de modelos até hoje. Não são os utilitários esportivos, é toda a linha de modelos sofisticados, de alto desempenho e projetados para o asfalto. São caracterizados como “Quattro”.

Além da Audi, várias outras marcas europeias (e asiáticas) decidiram oferecer o sistema de tração 4×4 em seus automóveis, exatamente por conferir uma estabilidade superior, principalmente no piso molhado. É a chamada tração integral “On Demand”: normalmente o carro roda com tração simples, dianteira ou traseira. Quando os sensores eletrônicos percebem que alguma roda começa a deslizar, engata automaticamente a tração nas quatro rodas. É claro que, além de deixar o carro muito mais seguro no asfalto, este sistema também ajuda a vencer trechos escorregadios nas estradas com lama.

Veja mais sobre:


Boris Responde

Tem alguma dúvida sobre o funcionamento do seu carro? O que vai melhor no carro flex: gasolina ou etanol? Quando substituir o cinto de segurança? Com que frequência trocar o óleo do motor? O Boris responde essas e outras dúvidas. Digite sua pergunta na caixa abaixo.


0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário