Honda CMX 500 Rebel: Quarto elemento

A Rebel 500 apresenta estilo próprio, equipada com motor de dois cilindros paralelos, quadro em tubos de aço e pneus balão

Por Teo Mascarenhas12/06/17 às 10h54

Assim como nos automóveis, as montadoras de motocicletas idealizam famílias, com versões de modelo, para segmentos diferentes, dividindo o conjunto mecânico, quadro, freios, suspensões, painel, e o que mais for possível. Tudo para otimizar a produção, simplificar a logística, baratear os custos e maximizar os resultados. No Brasil, por exemplo, a Honda conta com a família CB 500, que compartilha exatamente os mesmos componentes mecânicos, entre os modelos CB 500F naked, CB 500X de uso misto e a esportiva CBR 500R.

A mais nova componente deste grupo é a recém apresentada, CMX 500 Rebel, mostrada em novembro de 2016 na Califórnia, Estados Unidos, com estilo “tipo custom”. A nova moto, que vai chegar ao mercado em abril deste ano, primeiramente ao mercado americano, mira o consumidor mais jovem, exatamente para abastecer um segmento bastante apreciado na terra do Tio Sam. Porém, pelas facilidades de produção e compatibilidade com as “irmãs” já instaladas aqui, poderia se tornar o quarto elemento e preencher um nicho e cilindrada ainda não ocupado pela marca no Brasil.

17YM Rebel

Nome O batismo Rebel, ou Rebelde em português, já sinaliza o caráter mais descolado que a marca pretende associar ao modelo. Este mesmo nome, entretanto, já foi usado pela marca com modelos 450 cm3 de 1.986, 250 cm3 e 125 cm3 de 1.995, também custom, com garfo mais aberto, banco baixo e pedaleiras mais avançadas. A nova Rebel 500, contudo, assume características Bobber, mais radicais para justificar o batismo, sem cromados, com pára-lamas mais curtos, sem supérfluos para ficar mais leves, melhorando a dirigibilidade e o desempenho.

Estas particularidades, também obrigaram a adoção de componentes não compartilhados com as irmãs da família. Assim, o quadro em tubos de aço, tem desenho próprio e também é aproveitado no igualmente novo modelo Rebel 300, com motor de um cilindro, semelhante ao da “nossa” CB 300. Ainda para compor o estilo, as rodas em liga leve, com aros de apenas 16 polegadas de diâmetro são calçadas com pneus “balão”, bem mais grossos, de medida 130/90 na dianteira e 150/80 na traseira, compensando a redução dos aros.

17YM Rebel

Motor O motor da Rebel 500 é o mesmo das irmãs, com arquitetura de dois cilindros paralelos de 471 cm3, equipado com injeção eletrônica e refrigeração líquida. Porém, foi ajustado para oferecer um torque maior em baixos giros e atender às exigências do segmento. Desenvolve 46,2 cv a 8.500 rpm e um torque de 4,4 Kgfm a 6.000 rpm. O escape, com saída baixa, tem uma só ponteira, pintada de preto, assim como o motor, o quadro, aros de rodas, capa dos amortecedores, capa do farol e do único relógio do painel, além do guidão e dos retrovisores.

O painel, dentro do conceito minimalista Bobber, fica restrito a uma pequena tela digital no centro do guidão. A suspensão dianteira é convencional, com tubos de 41 mm de diâmetro. A suspensão traseira, com dois amortecedores é Showa. O câmbio, como nas irmãs, tem seis marchas, mas o banco, tipo selim, fica a apenas 690 mm do chão, separado do assento do passageiro que é removível. Os freios são a disco, com sistema ABS e o tanque comporta 11,2 litros. Como opcionais, a marca oferece tomada 12 V, bolsas laterais e para-brisa.

17YM Rebel

Teo Mascarenhas

Especialista na cobertura do mercado de motocicletas e competições com mais de 30 anos de experiência.

Teo Mascarenhas

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário