Brexit pode espantar fabricantes japonesas da Inglaterra

Saída do país da União Europeia altera condições de produção da indústria automobilística; embaixador japonês pressiona: "se a manutenção das operações no Reino Unido não for rentável, nenhuma empresa privada vai poder manter essas operações"

Por AutoPapo10/02/18 às 12h50

Koji Tsuruoka, embaixador japonês, afirma que Nissan, Honda e Toyota podem deixar o Reino Unido. A decisão seria tomada em razão da instabilidade causada pelo Brexit, que afetará o mercado automobilístico e a economia local. As três marcas empregam aproximadamente 13 mil pessoas na Inglaterra e exportam cerca de 80% das unidades produzidas no país.

A declaração foi feita depois de uma reunião entre 19 líderes da indústria japonesa. Tsuruoka advertiu que, se os acordos comerciais pós-Brexit não forem favoráveis, haverá uma debandada nipônica. Os executivos desejam relações saudáveis entre o Reino Unido e a União Europeia, especialmente em razão do alto índice de exportação.

Embaixador japonês anuncia que fabricantes nipônicas podem deixar a Inglaterra. Decisão foi tomada pela instabilidade criada pelo Brexit.

“Se não houver rentabilidade das operações contínuas no Reino Unido – não apenas as japonesas – nenhuma empresa privada vai continuar com as operações. Então, a questão é simples”, completou o embaixador. Aos jornalistas, o Tsuruoka disse que as fabricantes têm muito interesse em manter as atividades no local.

As três marcas nipônicas representam a produção da metade dos carros da Inglaterra. Em 2017, foram montados 1,67 milhão de veículos de origem japonesa no país.

Sobre o Brexit

O Reino Unido, numa decisão polêmica, deixou de fazer parte da União Europeia. A saída, apelidada de Brexit, impactou as relações políticas e econômicas de Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales com o restante do mundo. Em 2016, o governo japonês pressionou a Inglaterra a continuar no mercado único para garantir o trânsito dos funcionários e produtos das fabricantes entre os países da União Europeia. O receio dos japoneses é que barreiras tarifárias inviabilizem as atividades.

Em agosto, a Mini declarou que, apesar das ameaças do Brexit, o seu primeiro modelo 100% elétrico seria produzido em Oxford. Saiba mais detalhes sobre o lançamento do novo veículo da marca.


VEÍCULOS RELACIONADOS

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário