Chevrolet Tracker

Para seguir na trilha

Por AutoPapo03/04/16 às 15h53

A Chevrolet ampliou o leque de opções de acabamento para o Tracker no mercado brasileiro com a chegada da versão LT. O modelo traz o mesmo conjunto mecânico da versão topo de linha LTZ e pacote de equipamentos que reúne itens de conforto e conveniência.

(Chevrolet/Divulgação)

O Tracker LT tem rodas aro 16” e maçanetas das portas pintadas na mesma cor da carroceria. O pacote inclui ainda faróis e lanterna de neblina e rack de teto. Entre os itens de conforto e conveniência, destacam-se sistema multimídia com CD Player e computador de bordo, coluna de direção e banco do motorista com regulagem de altura e porta-óculos no console de teto. Ar-condicionado, direção hidráulica e conjunto elétrico dos vidros, retrovisores e travas também fazem parte do pacote. O revestimento dos bancos é de tecido.

O conjunto mecânico é idêntico ao da versão LTZ, com motor Ecotec 1.8 16V Flex de alta tecnologia e câmbio automático de seis velocidades. O motor Ecotec 1.8 Flex do Tracker rende 144cv quando abastecido com etanol e 140cv com gasolina, ambas a 6.300 rpm. O torque máximo, com etanol, é de 18,9 kgfm e já aparece com 3.800 rpm. Com gasolina, o torque máximo é de 17,8 kgfm, na mesma rotação. Além dos bons números, vale ressaltar que 90% do torque já estão disponíveis com 2.200 rpm. A transmissão automática de seis velocidades tem a opção de mudanças no modo manual sequencial, oferecendo uma opção de esportividade.

Outra novidade da linha 2016 do Tracker é opção Roxo Plum Berry para a carroceria. Além desta, o veículo é oferecido nas cores Prata Champagne, Branco Summit, Preto Ouro Negro, Prata Switchblade e Cinza Cyber. Com 4,2m de comprimento, 1,77m de largura e 1,65m de altura, o veículo oferece em seu interior grande disponibilidade de portas objetos, além de um porta-malas de até 735L com os bancos rebatidos.

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário