Compass é o SUV mais vendido do Brasil

Jeep Compass ultrapassou o concorrente e Chevrolet Onix continuou no topo

Por AutoPapo03/08/17 às 08h07

Depois do mercado de automóveis esboçar uma retomada no primeiro semestre, o mês de julho fechou com uma queda de 5,89% nas vendas de veículos novos com relação a junho. Indiferente à crise, o Jeep Compass alcançou o posto de  SUV mais vendido do país. Já o Chevrolet Onix se manteve no topo da lista, emplacando 15.234 unidades. Os dados são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotivos (FENABRAVE).

Veículos mais vendidos de julho

Compass

Lançado em outubro do ano passado, o Compass conquistou espaço até ultrapassar o Honda HR-V, que estava consolidado na liderança. Agora, com 640 unidades vendidas a mais que o concorrente, também passou a figurar entre os 10 mais vendidos do país. O Compass cativou os consumidores, já que custa R$25.090 a mais que o HR-V, ambos nas versões mais simples: a Sport (R$105.9909) e a LX (R$80.900), respectivamente.

Jeep Compass
Jeep Compass: 49.187 unidades vendidas

Pelo mesmo valor, seria possível, inclusive, comprar os dois mais vendidos do país, Onix e HB20, que somados totalizam R$84.690.O Onix, aliás,  segura a liderança apesar do péssimo desempenho nos testes de segurança do LatinNCAP, em maio. O modelo recebeu 0 em 5 estrelas na proteção para adultos e foi alvo de uma campanha da associação de consumidores PROTESTE, exigindo que fosse retirado do mercado por colocar vidas em risco. Os consumidores se mostraram indiferentes, pois o hatch, inclusive, vendeu 311 unidades a mais que no mês passado.

Já o Argo, última novidade da Fiat, teve desempenho abaixo do esperado. Embora tenha aparecido entre os 20 mais vendidos, incluindo automóveis e comerciais leves, ficou na 18ª posição. A meta anunciada pela fabricante de 6 mil vendas não foi alcançada, e o hatch emplacou 3.235 unidades. Confira a tabela completa acima.

No geral, apesar da queda mensal nas vendas, os dados do mercado também apontam um pequeno avanço do setor contra a recessão que se iniciou em 2013, com um aumento de 3,5% nas vendas em relação a julho de 2016.

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário