Mercedes-Benz Classe A

De volta ao prumo

Por AutoPapo03/04/16 às 16h18

O Classe A chegou a ser produzido na fábrica da Mercedes-Benz, em Juiz de Fora, sem sucesso no final dos anos 1990 e início dos anos 2000. A fama daquele monovolume não era boa, pois foi reprovado no teste do alce – quando a direção é mudada abruptamente – e teve a produção interrompida até o problema ser resolvido.

(Mercedes-Benz/Divulgação)

Porém, em 2012 a Mercedes-Benz mudou o veículo totalmente e transformou aquele monovolume em um sofisticado hatch. No início de 2016 a fábrica de Iracemápolis, em São Paulo, passou a montar o Classe A que foi apresentado no Salão de Frankfurt, em 2015. Além das mudanças visuais, o Classe A recebeu 21cv a mais de potência para a versão topo de linha, a 45 AMG.

A versão A 200 é equipada com motor de 1.6 turbo a gasolina de 156 cv de potência e transmissão automatizada de sete marchas e dupla embreagem, com opção de trocas manuais por meio das borboletas atrás do volante. Já a configuração A 250 tem motor 2.0 turbo a gasolina de 211 cv e o mesmo câmbio automatizado.

A novidade para a linha 20016 é a tecnologia Dynamic Select, que permite ao condutor mudar as características do veículo, incluindo motor, transmissão, suspensão e direção, em segundos – ao toque de uma tecla os modos de condução são alterados do mais confortável, passando pelo mais esportivo, até o mais eficiente. Ao todo, são quatro opções: Comfort, Sport, Eco e Individual.

As versões comercializadas no Brasil vêm equipadas com uma nova tela de oito polegadas para o sistema de entretenimento. Conta também com o sistema de integração Apple CarPlay, exclusivo para proprietários de iPhone. Torna possível espelhar parte do conteúdo da tela do celular na tela do veículo e realizar ligações, ouvir música, compartilhar mensagens, enviar e-mails e acionar os comandos de voz a partir dos comandos disponíveis no veículo.


VEÍCULOS RELACIONADOS

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário