Peugeot 3008: “Quero ser SUV”

Por Marcus Celestino23/06/17 às 08h45

A Peugeot lança no Brasil a segunda geração do 3008. O crossover desembarca no país por R$ 135.990, mas, depois da fase de pré-venda, terá seu valor reajustado para R$ 139.990. A versão que aporta por aqui é a Griffe, equipada com o motor 1.6 THP a gasolina, que rende 165 cv de potência e 24,5 kgfm de torque máximo, e com a transmissão automática de seis velocidades com opção de trocas sequenciais na alavanca ou por meio de aletas no volante. Além disso, a nova encarnação do modelo deixa de lado o visual de minivan para ostentar de vez um belo corpinho de utilitário esportivo.

O novo estilo do crossover faz jus ao melhor do design automotivo francês. A linha de cintura bastante elevada, que segue num crescendo, dá ao veículo o tom necessário de esportividade. A grade côncava e o capô mais alongado dão a agressividade que faltava (e muito) à geração anterior. Na traseira, as lanternas, que emulam garras de um leão, parecem fluir com rapidez para a tampa do porta-malas — cuja capacidade, vale frisar, é de 520 litros.

Construído sobre a plataforma modular EMP2, o crossover ganhou em dimensões. O comprimento agora é de 4,48 m — oito centímetros maior que a geração anterior — e o entre-eixos foi alongado para 2,67 m. A altura com relação ao solo também aumentou, indo de 15 cm para 22,6 cm. Tais ganhos fazem com que os ocupantes tenham conforto suficiente no habitáculo.

O interior, inclusive, é bem acabado, composto por materiais de qualidade (como uma interessante simulação de alumínio polido) e ergonomicamente favorável ao condutor. O veículo ganhou evolução do i-Cockpit já existente em modelos nacionais da fabricante como o 208, por exemplo. O motorista conta com tela de 12,3’’ à sua frente, que pode ser configurada conforme suas necessidades. O volante, com duas partes planas e de boa pega, facilita a leitura das informações.

Para completar, há também central multimídia de 8’’ compatível com Android Auto e Apple CarPlay. No início, comandar funções de áudio, ventilação e navegação por meio de interruptores no painel é um tanto confusa. No entanto, depois de um tempo o condutor acaba se acostumando.

Itens de destaque

O 3008 Griffe não conta com opcionais. Além dos itens supracitados, destaque também para os bancos dianteiros elétricos com cinco programas específicos para massagem e aquecimento, ar-condicionado digital de duas zonas, teto solar elétrico, carregador de celulares por indução, entrada e partida sem chave, rodas aro 19’’ calçadas em pneus 235/50, seis airbags, controles de tração e estabilidade, direção assistida eletricamente, Isofix e faróis full-LED direcionais.

O veículo também vem equipado com assistente de partida em rampas, sensores de estacionamento e câmera de ré. Os poréns ficam por conta das ausências do park assist, do sistema de gerenciamento da tração traseira (presente no 2008 Griffe) e do GPS. Para navegar o usuário precisa utilizar o Waze ou o Google. Corte de custos para deixar o crossover com um preço competitivo, afirma a Peugeot.

De acordo com a montadora, os principais concorrentes do 3008 são Volkswagen Tiguan 1.4 TSI, Kia Sportage 2.0, Audi Q3 Attraction e Hyundai New Tucson. Todavia, o Jeep Compass Longitude, equipado com motor a diesel 2.0, é o grande tubarão-branco no encalço do francês.

A expectativa da Peugeot é de comercializar 250 unidades/mês do modelo até o fim do ano. As vendas oficiais do 3008 começam em julho.

“Para desmistificar”

Durante a apresentação do 3008, a Peugeot também apresentou o programa Total Care. O novo serviço de pós-venda engloba toda a linha da montadora e oferece revisão em até 24 horas, assistência com reboque por até oito anos e disponibiliza carro reserva em caso de atraso na revisão do veículo do cliente por mais de quatro dias. Segundo Ana Theresa Borsari, que assumiu a direção geral da marca em 2015, o Total Care “é um programa de pós-venda totalmente em ruptura”. Ainda de acordo com a executiva, o objetivo é de “acabar com os mitos em relação aos serviços prestados” pela montadora aos clientes depois da compra.

Guiando o 3008

O test drive foi realizado num trecho de cerca de 80 quilômetros entre o Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro-Galeão e Itaipava. Nas sinuosas curvas da serra fluminense deu para notar que o conjunto roda muito bem. O casamento entre motor e transmissão garante condução ágil e o acerto na suspensão ajuda o veículo a ter estabilidade digna de modelo de menor porte.

A condução fica ainda mais divertida quando se aciona o modo esportivo e se realiza as trocas nas borboletas atrás do volante. Fica, de fato, difícil de criticar a dirigibilidade do crossover.

Meio a uma infinidade de utilitários esportivos genéricos, sem alma, o 3008 se destaca por sua versatilidade. É óbvio que, com seus ângulos de ataque e saída de 20° e 29° respectivamente, não dá para encarar uma trilha, mas quem compra um veículo destes com essa finalidade? Na cidade e na estrada, em vias bem pavimentadas ou fustigadas, o crossover tem um rolamento suave. É a elegância aliada à utilidade.

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário