[Vídeo] Senna na Indy? Há 25 anos, piloto fez teste nos EUA

No fim de 1992, piloto brasileiro estava envolvido em uma disputa com a McLaren e resolveu ir aos Estados Unidos conhecer o monoposto da categoria

Por Felipe Boutros24/12/17 às 02h57

Ayrton Senna na Indy? Isso aconteceu há 25 anos, quando o piloto testou um monoposto da categoria. Naquela época, o tricampeão de Fórmula 1 estava insatisfeito com a McLaren e queria pressionar o então chefe da equipe, Ron Dennis, por condições contratuais melhores.

Em 20 de dezembro de 1992, o brasileiro foi aos Estados Unidos pilotar um monoposto da equipe Penske. O teste foi intermediado por John Hogan, executivo da Philip Morris, que, na época, patrocinava a equipe na Indy e a McLaren na F-1 (com a clássica pintura branca e vermelha do Marlboro).

A empresa também patrocinava o próprio Senna e Emerson Fittipaldi, bicampeão de Fórmula 1, vencedor das 500 milhas de Indianapólis e, na época, piloto da Penske.

Senna na Indy: o tricampeão conversa com Emerson Fittipaldi durante o teste
Senna e Fittipaldi conversam no autódromo de Firebird (EUA)

O teste aconteceu no acanhado circuito de Firebird, em pleno deserto do Arizona. O carro utilizado no teste era o Penske PC21, empurrado por um motor Chevrolet V8 turbo, com o qual Fittipaldi havia corrido aquela temporada e vencido quatro provas.

O primeiro a ir para a pista fria e escorregadia foi o próprio Fittipaldi que, na verdade, estava escalado para testar o PC22, que seria utilizado na temporada seguinte. Após uma dúzia de voltas – e algumas mudanças de setup – ele estabeleceu o tempo de 49,7 segundos.  Logo depois, quanto retornou aos boxes, ele conversou com a repórter Silvia Vinhas da TV Bandeirantes, única representante da imprensa no local.

Hoje a pista está com a temperatura muito fria e o pneu não está funcionando direito. Leva umas 10 voltas para esquentar o pneu… A única coisa é que essa pista é muito pequena, parece um kartódromo. Mas é o que Ayrton gosta, ele gosta de kártodromo.

Depois, foi a “estreia” de Senna na Indy. Antes foi necessário fazer ajustes no PC21: ele usou o banco de Rick Mears, companheiro de Emerson Fittipaldi na Penske, que tinha um biotipo mais parecido com o do tricampeão. Após algumas voltas, ele mostrou a sua genialidade.

Senna na Indy: piloto brasileiro vai para a pista com o Penske PC21
Ayrton Senna e o Penske PC21

Logo ele se adaptou ao monoposto e ao câmbio sequencial por meio de alavanca, diferente do sistema utilizado na F-1. Sempre dando feedback para a equipe, Senna foi incrementando seus tempos de volta até que atingiu a sua melhor marca na pista de 1,8 km: 49,09 segundos. E comentou a sensação de estar fazendo aquele teste:

Carro de corrida é uma droga, né, no sangue da gente. Quando cheguei perto daqui, já comecei ter aquela sensação muito especial. Quando eles fizerem o motor funcionar, para aquecer, lembrei do tempo dos turbos lá da gente, na Fórmula 1. O vírus começou a se movimentar, acordou dentro de mim. Ele estava adormecido. E, depois, olhando o Emerson andando, o tesão é muito grande pela coisa.

Questionado por Silvia Vinhas sobre as chances de vermos Senna na Indy, ele foi claro:

Antes de eu ter experimentado um Indy, a minha ideia, a minha expectativa era uma que não condiz com a realidade hoje… Um dia eu vou guiar esse carro. É só uma questão de tempo. A gente tem que apenas esperar o momento certo, a oportunidade certa para, de repente, participar das corridas aqui nos Estados Unidos.

Veja a reportagem de Silvia Vinhas na TV Bandeirantes:

Senna na Indy influenciou novas gerações

O teste de Senna na Indy pode ser considerado um marco para a categoria, que, na época, rivalizava com a Fórmula 1 em popularidade. O diretor Marshall Pruett produziu um documentário sobre o evento, no qual ele conversou com os pilotos brasileiros Tony Kanaan e Hélio Castroneves. Eles destacaram como aquele 20 de dezembro de 1992 foi decisivo para as suas carreiras.

Kanaan, que já pilotava monopostos e tentava emplacar na Europa, selou o seu destino após aquele momento, pois o interesse do brasileiro trouxe muita credibilidade para a categoria.

Eu estava tendo um momento difícil na Europa, e eu me lembro dele voltando do teste e dizendo: ‘você deveria investigar a Fórmula Indy. Os carros são divertidos de pilotar, têm muita potência e nem tanto downforce, então você pode fazer powerslide.

Já Castroneves especula como seria a carreira de Senna na Indy.

Ele teve um gostinho (de andar na Indy) e eu tenho certeza de que ele faria muito sucesso.

Infelizmente, um dos maiores de todos os tempos não conseguiu atestar suas qualidades nos Estados Unidos.

Veja o documentário “Senna: The Test” (em inglês):

Bônus: o SennaTV conversou com Roger Penske, dono da equipe, sobre o teste de Ayrton Senna na Indy

2 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • MARCELO CAPELA TARELHO 21 de março de 2018

    Boris parabéns, por tantas informações precisas de carros, continui assim, mudando de assunto, gostaria de saber de você, eu tenho um GM Cobalt ELITE, infelizmente eu colidi com com outro veículo, eu estava cerca de uns 45km freando, antes da colisão acredito que baixou a velocidade para 20km a minha dúvida é porque o arbag não funcionou, das duas uma é a velocidade baixa ou o sistema não funciona, pôr favor me tira essa dúvida, obrigado.

Deixe um comentário