Governo trapalhão: 40% de etanol na gasolina e curso para renovar CNH

Fique por dentro do vai e vem das leis de trânsito

Por BORIS FELDMAN26/03/18 às 19h40

Nos últimos dias, algumas leis descabidas foram aprovadas e revogadas pelo governo brasileiro. Saiba o que o Boris pensa sobre os projetos que previam a adição de 40% de etanol na gasolina e curso para renovar CNH.

[TRANSCRIÇÃO]

O Brasil está sendo administrado por um governo trapalhão: não é só para nomear e “desnomear” ministros não, é para tomar e “destomar” decisões importantes para o motorista.

Recentemente duas grandes trapalhadas: a primeira da Presidência da República, que decidiu permitir a adição de até 40% de etanol na gasolina. Os carros flex continuariam rodando sem problema, mas e os motores a gasolina? Além disso, se o motorista paga por gasolina e recebe 40% de etanol, que tem um índice energético muito menor, ele está sendo trapaceado.

Outra trapalhada para ninguém botar defeito foi uma decisão do CONTRAN de obrigar os motoristas que renovam a sua carteira de habilitação a realizar um curso de reciclagem. 48 horas depois, o Ministério das Cidades, a quem o CONTRAN está subordinado, resolveu passar uma borracha nessa viagem pela maionese.

Nos últimos dias, algumas leis descabidas foram aprovadas e revogadas pelo governo brasileiro. Boris comenta os projetos que previam a adição de 40% de etanol na gasolina e curso para renovar CNH.

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

2 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Jorge Bruno 27 de julho de 2018

    Um bando de incompetentes! Alguém já disse : “Esse não é país Sério”.

  • JOSE LEAL 5 de maio de 2018

    Parece que o governo quer incentivar a renovação da frota de veículos. Mas está fazendo isso errado. De novo.
    Adicionar até 40% de álcool na gasolina parece que quer tirar os carros antigos de circulação.
    Por que ao invés de impor a troca da frota desse modelo, não diminui o IPI e IPVA do carro zero e aumenta o imposto do carro antigo? Quanto mais velho, mais imposto paga. Desse modo, incentivaria a renovação da frota.

Deixe um comentário