A acelerada antes de desligar é um hábito nefasto

Muitos têm o hábito de dar aquela pisadinha no acelerador antes de desligar e depois de ligar o carro - mas não deveriam

Por BORIS FELDMAN01/06/18 às 13h00

Leitor da coluna manda e-mail e me pede para ser juiz (eu hem?) de uma discussão entre ele e amigos. Em volta da mesa de botequim, conversavam a respeito da manutenção dos automóveis e surgiu uma dúvida: o motorista deve dar uma acelerada antes de desligar o motor à noite, ou quando ele ligado pela manhã?

um pé aperta o pedal do acelerador acelerada antes de desligar o carro

E minha “sentença” foi de “condenar” toda a turma: não se acelera nem de noite, nem pela manhã. Ao encostar à noite, o motorista não deve acelerar antes de virar a chave. Pois vai sobrar um pouco do combustível que não se queimou, que escorre para o cárter e contamina o óleo. Por outro lado, ao se ligar o motor de manhã, a recomendação é também de não se acelerar e deixá-lo em marcha lenta durante 30 a 40 segundos. Porque o óleo que lubrifica as partes móveis escorreu todo para o cárter durante a noite.

Então, ao se ligar o motor, ele demora alguns segundos até chegar nas partes superiores e lubrificá-las. Há um consenso de que o maior desgaste sofrido por um motor é exatamente pela manhã, durante o tempo em que funciona sem uma lubrificação adequada.

É exatamente por problemas como esse que se torna impossível fazer uma previsão da durabilidade de um motor: ele pode durar de 100 mil a 1.000.000 quilômetros rodados em função dos cuidados de sua manutenção e operação. Da qualidade do projeto, dos materiais aplicados em sua fabricação. Além disso, depende também do combustível (correto ou adulterado?), do peso do pé do motorista no acelerador, do peso carregado pelo veículo.

Apesar destas dezenas de variáveis, dá para arriscar um “chute científico”: um motor a gasolina (o diesel costuma durar mais) deve atingir cerca de 150 mil km. E ainda continuar funcionando depois de retificado. Muitos chegam sem problemas até os 500 mil quilômetros e alguns raros superam o milhão de quilômetros. Desde que o motorista não dê aquela acelerada antes de desligar, nem depois de ligar o carro.

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário