Concessionária Honda mal-informada sobre motor flex

Por BORIS FELDMAN20/04/18 às 20h00

Leitor do nosso AutoPapo manda e-mail com a seguinte dúvida: diz ter um Honda com motor flex e lá na concessionária recomendaram que o carro poderia ser abastecido indiferentemente com gasolina ou etanol. Mas, fizeram um alerta para que não misturasse os dois combustíveis.

Se estivesse com gasolina no tanque e decidisse mudar para o etanol, que esperasse o tanque estar quase vazio para mudar para o álcool. E vice-versa. E “explicaram” que o carro flex tem um sensor que percebe se o combustível que chega no motor é gasolina ou etanol. E passa esta informação para a injeção eletrônica que ajusta então automaticamente o motor para aquele combustível.

Motor flex: motorista pode abastecer com etanol, gasolina ou a mistura de ambos em qualquer proporção

Entretanto – disse a concessionária – o sensor não consegue mandar a informação caso o combustível seja uma mistura de etanol e gasolina, pois não consegue detectar quanto tem de um e do outro. Nosso leitor estranhou a informação pois diz já ter lido aqui mesmo, na coluna, que no carro flex se pode abastecer o tanque com qualquer combustível ou com a mistura dos dois em qualquer proporção.

Confirmamos o que dissemos e ele pode levar esta coluna lá na concessionária e sugerir que os técnicos da oficina façam uma reciclagem de seus conhecimentos pois a dica de não misturar combustíveis não tem nenhuma consistência.

O sensor a que se referiu a concessionária é a sonda lambda. Colocada no escapamento, ela percebe o percentual de oxigênio do combustível e passa essa informação à central eletrônica. Não importa, portanto, quanto tem de etanol ou de gasolina no tanque: o importante é o volume de oxigênio, exatamente o que diferencia, em termos de combustão e regulagem, os dois combustíveis.

Em resumo, o tanque pode conter etanol puro, gasolina pura ou uma mistura dos dois em qualquer proporção. O que interessa, para o bom funcionamento do motor flex, é a quantidade de oxigênio que chega à sonda lambda.

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

5 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Renato Vargas 2 de julho de 2018

    Existe algum benefício econômico ou em desempenho ou em durabilidade usando álcool (etanol) e gasolina misturados no tanque?

  • Ivan Shigueru Hotsumi 2 de julho de 2018

    A Honda cobrou do HR-V um servico do motor durante a garantia do veículo alegando que o combustível foi a causa da carbonização. Solicitei um laudo técnico que comprovasse este dano e não forneceu. Insisti que o veículo sempre abasteceu no mesmo posto com bandeira e com outros veículos e nenhum estão apresentando problemas. Quem pode responder sobre este assunto?

  • AUZANILTON SILVA DA FONSECA 2 de junho de 2018

    O Honda city quando sobe uma ladeira o motor faz barulho, o que pode está acontecendo?

    • JORGE LUIZ DIAS 2 de julho de 2018

      Acho que o barulho é porque o motor está ligado.

    • Marco Aurélio Souza 5 de agosto de 2018

      Você precisa especificar melhor esse barulho porque eu tenho um city e esse motor é extremamente barulhento em altas rotações mas é normal.

Deixe um comentário