O rei de Mônaco

Por AutoPapo23/05/17 às 16h51

Para os mais velhos parece que foi ontem, mas já faz 24 anos que Ayrton Senna se tornou o maior recordista de vitórias no Grand Prix de Mônaco. Foram seis triunfos em sete anos — sendo cinco consecutivos.

Senna largou na terceira posição no Grande Prêmio de 1993, atrás de Michael Schumacher, da Benetton, e Alain Prost, da Williams. Pilotando, como sempre, de maneira consistente, o brasileiro também acabou sendo favorecido por uma punição ao francês e pelo abandono do alemão e conquistou sua sexta vitória no tradicionalíssimo Grand Prix.

Outros dois brasileiros naquela corrida, Rubens Barrichello e Christian Fittipaldi tiveram bom desempenho no evento. Rubinho largou na 16ª posição e Christian veio logo em seguida, na 17ª. Barrichello conseguiu guiar sua Jordan até o fim, terminando a prova em nono. Fittipaldi foi heroico e fechou o Grande Prêmio na quinta posição, conquistando dois valiosos pontinhos para a Minardi.

Antes de Senna, o maior vencedor do GP monegasco era o bicampeão mundial Graham Hill, pai do campeão Damon Hill. O lendário britânico triunfou no Principado em cinco oportunidades (1963, 1964, 1965, 1968 e 1969). O brasileiro quebrou o recorde 24 anos depois. Michael Schumacher chegou perto do nosso tricampeão. O alemão venceu as etapas de 1994, 1995, 1997, 1999 e 2001.

Abaixo você pode conferir porque Senna é, de fato, o Rei de Mônaco. Esse vídeo onboard do tricampeão guiando sua McLaren no Principado, em 1990, é um clássico. Como pilotava!

(Vídeo: Formula 1/ Divulgação)

Veja mais sobre:


0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário