Amaciamento do carro ainda é necessário?

Antigamente falava-se da necessidade de amaciar o carro quando ele fosse um zero quilômetro, mas será que isso ainda está valendo?

Por BORIS FELDMAN08/07/18 às 17h00

Durante dezenas de anos havia uma regra para o zero quilômetro ou que tivesse seu motor retificado, o “amaciamento do carro”. O que vem a ser isto?

motor amaciamento do carro ainda é neceessário?

O motor tem vários componentes que se movimentam atritando uns contra os outros. Pistões, por exemplo, sobem e descem milhares de vezes por minuto dentro dos cilindros. Então, havia no passado a recomendação para que, nos primeiros cinco mil quilômetros, o motorista não pisasse fundo no acelerador. A regra era manter o motor sempre numa rotação abaixo da máxima permitida. E exigir o mínimo possível dele. Não pisar forte numa subida nem na estrada. E esta recomendação era motivada pela necessidade de um ajuste, um acasalamento entre estas partes móveis. Só depois desta quilometragem se considerava o motor em plenas condições de funcionamento.

Se esta regra não fosse obedecida, o motor não se danificaria, mas seu desempenho ficaria prejudicado pelo resto da vida, apresentando excesso de consumo de óleo ou de combustível. Até uma curiosidade: alguns carros que tinham tido seu motor retificado ostentavam no vidro traseiro a faixa “Motor em amaciamento”, ou seja, avisando ao motorista que vinha atrás que ele rodava com limitações de velocidade.

Até hoje ainda existe uma briga de gerações quando se fala neste amaciamento do carro, pois a tecnologia de fabricação do motor e seus componentes evoluíram muito nos últimos 20 ou 30 anos e esta prática não é mais necessária. Ao contrário do que recomendam nossos pais ou avôs.

O que ainda se sugere num carro zero quilômetro (ou com o motor retificado) é não pisar fundo no acelerador, mas apenas nos primeiros 500 quilômetros, ou 1.000 quilômetros no máximo, pois continua sendo importante não exigir tudo do motor no início de sua operação, exatamente para o assentamentos entre suas partes móveis.

Curiosamente – e poucos falam disso – outro amaciamento recomendável nos primeiros 200 ou 300 quilômetros do carro “zero” é do sistema de freios. Que funcionam com atrito entre pastilhas e discos, lonas e tambores, e só terão máxima eficiência depois desta quilometragem.

E acredite se quiser, até pneu tem que rodar algumas centenas de quilômetros até estar em plenas condições de rodagem.

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

47 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • EDIVALDO 15 de julho de 2018

    Na verdade ninguém até agora não acordou o x da questão! Por causa dos parâmetros de emissão de poluentes os motores estão trabalhando cada vez mais com oleos lubrificantes finidsimos com viscosidade a partir do zero! Oras não é porque as usinagens nao tenham evoluído, certamente que sim! Mas a recomendação de não acelerar muito nas primeiras centenas de quilômetros se dá por causa do óleo lubrificante muito fino e da necessidade de assentamento dos aneis de segmentos e das bronzinas de bielas se ajustarem exatamente para que não haja perigo de falha de lubrificação devido ao ajuste muito fino das peças em relação a viscosidade do óleo! É bom lembrar que um pistão em média se desloca 16 metros por segundo (soma dos seus movimentos em um segundo) É em rotações mais altas (por volta dos 4500 rpm) esta velocidade supera os 25 metros por segundo! Daí a necessidade de se pisar menos nos primeiros kms de vida dos motores e pasmem: idem também quando os motores estiverem frios tudo isso por causa dos novos lubrificantes! Um grande abraço!

    • Edivaldo 15 de julho de 2018

      Onde se lê “acordou” entenda-se abordou! É o maldito corretor gráfico kkk

  • Gleydson Dias 12 de julho de 2018

    Quando criança e adolescente, amaciar o motor ou amaciar o carro não era para segurar o pé no acelerador e sim pisar forte para criar potencia no motor e o carro poder atingir altas velocidades durante a vida util, me lembro uma vez que o trabalho do meu deu a ele para uso um Gol zerado, e uma das viagem que ele fez ele me levou e deu carona a um amigo, durante a viagem meu pai pediu ao amigo para dirigir porque estava cansado, e o amigo dele disse que ia amaciar o motor e começou a acelerar, eu que estava na pré adolescência me desesperei no banco de trás quando vi que o velocímetro estava quase marcando 150/H

  • Heveraldo Gomes Júnior 11 de julho de 2018

    Comprei um prisma O Km e, o manual diz pra não exagerar na aceleração nos primeiros 100 Km

  • Ivan 11 de julho de 2018

    VW sugeriu não usar sentar a bota pelo menos até os 1.500 km. Está no manual do Polo TSI.

  • JOSE APARECIDO JUSTO DE OLIVEIRA 9 de julho de 2018

    Já adquiri veículos 0 Km que não fizeram tal recomendação. Mas acabo de pegar um Nissan, onde fazem a recomendação de que não acelere mais que 4000 rpm durante os primeiros 2000 Km. Alegam melhor longevidade e performance do motor.

  • André 9 de julho de 2018

    Ué… Nos dias atuais, não é mais necessário essa prática.. Mas o recomendado é que não seja exigido dentro dos primeiros 500 kg todo o potencial do motor, afim de assentar todas as peças móveis…

    ENTÃO ISSO NÃO É AMACIAR??? Que matéria mais ridícula!

    • Ted Goiano 9 de julho de 2018

      Muito ridícula!

    • Edivaldo 15 de julho de 2018

      André isso não é amaciar! O amaciamento antigamente era em torno de 5000 kms! Agora é um período de ajuste que em média é de 200 à 1000 kms dependendo da montadora! Tanto é que dentro dessa kilometragem acontecer algo com o motor a fábrica irá consultar informações que o módulo guarda para dar ou não a garantia! Se alguém pisar fundo dentro dessa kilometragem perderá a garantia por não observância de recomendação (de alerta) e será classificada como mau uso!

  • Sergio 9 de julho de 2018

    Eu compro carro okm desde 2008, posso afirmar que costumo pisar fundo nos veículos okm e nunca consegui fundir nenhum, acredito que ele melhora um pouco a partir dos 10 mil km, mas essa de amaciar eu acredito que possa dar certo com carne de segunda.

  • Adriano viana 9 de julho de 2018

    Boa tarde queria saber comprei uma uno Vivace no manual fala que no reservatório tem que pô somente gasolina aditivada. E no tanque gasolina tipo c . Será q posso colocar gasolina aditivada também no tanque pois o frentista falou q pode q gasolina tipo c não é gasolina comum.

    • AutoPapo 9 de julho de 2018

      Olá, Adriano. A gasolina tipo C é a comum. Mas se você quiser, também pode usar a aditivada no tanque sem qualquer prejuízo.

      Obrigado e abraço

  • Fabricio 9 de julho de 2018

    Acabei de comprar um carro Volkswagen zero km ,e a própria montadora recomenda amaciar o motor , e então eu pergunto ao repórter dessa matéria ,de onde ele tirou essa informação ?. Está induzindo o consumidor a erro .
    Faço como um outro comentário que li aqui mesmo,Recomendo que vá fazer reportagem de culinária ou de zumba ,porque de carro vc não entende nada ,quando tiver uma dúvida sobre carro fala comigo porque eu é que sei ,vc não sabe de nada não .
    Detalhe; sou profissional da área

    • Joelson 13 de julho de 2018

      Como tem sujeitinho arrogante e besta por aqui. Isso eh tipico de Brasileiro. Nao entende PN mas se acha O Entendido

  • André 9 de julho de 2018

    Conforme o manual da Hyundai para o motor 2.5 euro V, precisa fazer o amaciamento do motor nos primeiros 1000 kms, sem forçar demais o motor e variando a rotação do motor.

  • Walmir 9 de julho de 2018

    Além de amaciar o motor,o importante é trocar óleo e o filtro a partir de 2500 km (uma vez apenas). O óleo fica com partículas que irão lixar as paredes do cilindro e os anéis e o filtro ficará impregnado com resíduos metálicos. Pare e pense. Todas as peças são fabricadas com tolerâncias e o amaciamento serve para este perfeito casamento. Você gastará em torno de R$200.00 mas ficará com um motor para mais de 300.000 km.

  • Rodolfo 9 de julho de 2018

    Caro Boris, muito bom dia!
    …. Excelente artigo! Parabéns!
    …. Na minha época de faculdade (me formei em junho/2008) algum professor meu disse que a usinagem na época já estava tão evoluída que os motores vinham amaciados de fábrica, salvo melhor juízo.
    …. Sou Engenheiro Mecânico, mas não sou especializado em amaciamento de motores de combustão interna, nunca trabalhei em divisão de motores de montadoras e nem em montadoras, mas tenho um amplo conhecimento de um motor de combustão interna como um todo devido a minha formação acadêmica e a minha grande admiração do assunto, sou autodidata no que se refere a carros.
    …. Mas pensando aqui se fosse de fato necessário o procedimento de amaciamento do motor de um carro 0 km o manual do proprietário seguramente deveria constar detalhadamente como seria esse procedimento de amaciamento e quantos quilômetros seriam necessários. Já que não consta isso no manual do carro, logo o amaciamento não é necessário, pois o motor já veio amaciado de fábrica ou a usinagem dispensa o amaciamento, salvo melhor juízo.
    …. Assim se todo mundo lesse o manual do proprietário os seus carros seguramente iriam durar muito.
    Um forte abraço,
    Rodolfo

  • César 9 de julho de 2018

    A Subaru recomenda amaciar.

  • Antonio Martins 9 de julho de 2018

    Precisa de amaciamento, sim! É só olhar em qualquer manual de veículo moderno, que aconselham a não exceder determinado RPM nos primeiros quilômetros, dependendo do modelo. O que aconteceu é que, com a evolução tecnológica, as tolerâncias dos componentes diminuíram e a quilometragem de “amaciamento” também diminuiu! E todos os carros, hoje, dispõem de conta-giros! Tire um carro da concessionária e saia com o conta-giros na “zona vermelha” e verá o que acontece! Como tudo fica gravado na ECU, ainda poderá perder a garantia! Quer tentar? Boa sorte!

    • Rodolfo 9 de julho de 2018

      Antonio Martins, bom dia!
      Faixa vermelha não tem nada haver com amaciamento… ela é uma faixa de giro perigosa para a quebra do motor na hora, ou no mínimo redução drástica da sia vida útil, independente mente de o motor ser 0 km ou ter 10.000 km rodados, ou qualquer outra quilometragem maior…
      Assim quem gosta de andar na faixa vermelhe seguramente está cutucando onça com vara curta!
      Abraço,
      Rodolfo
      Engenheiro Mecânico

  • Reginaldo 9 de julho de 2018

    Não precisa de amaciamento nenhum isso é carne

  • Edilson Oliveira Siqueira 9 de julho de 2018

    Estou com um hb20 3 cilindros é necessário fazer esse amaciamento do motor ?

  • Vinizan san 9 de julho de 2018

    Hoje em dia as peças tem até acabamento a laser, mas é muito difícil mudar paradigmas na cabeça das pessoas. Até hoje tem gente que acha que tem que fazer a primeira carga de 12h da bateria do celular.

  • will 9 de julho de 2018

    primeira postagem que presta desta página

  • Jonathas 9 de julho de 2018

    Interessante! Essa material de amaciamento do motor.estou com um carro zero..só rodei apenas 500km ainda não tou foçando muito o motor não..

  • Carlos 9 de julho de 2018

    Precisa Amaciar sim. A melhora de performance e maciez do motor após uns 10.000km é grande. O motor passa a se soltar e desenvolver bem melhor. São peças que trabalham em atrito mecânico e precisam um leve desgaste para trabalharem melhor. É como um sapato novo, após uns dias de uso ficará bem melhor.

  • Romildo 9 de julho de 2018

    Troque de mecânico!

  • Allam de azevedo 9 de julho de 2018

    Bom dia eu queria saber o pq o carro demora pegar pela manha e ja troquei o refil da bomba filtro de combustível velas cabo de vela fiz toda revisão necessária gastei muito dinheiro e o carro nunca acaba com isso e quando coloca o aparelho diz que o defeito e no código 540

    • José lopes 9 de julho de 2018

      Traga na minha oficina que arrumamos.

    • Alisson 9 de julho de 2018

      Troque de posto de combustível

  • Danillo 9 de julho de 2018

    Qual a marca de aditivo que vcs recomendam o meu carro é um GM Cobalt LTZ 12/12 1.4

    • AutoPapo 9 de julho de 2018

      Olá, Danilo. Use aditivos de marcas conhecidas e tradicionais do mercado. Obrigado e abraço

  • Junior 9 de julho de 2018

    É pra por uma tampinha de amaciante junto com o óleo?

    • Marcelo 9 de julho de 2018

      Claro. E duas medidas de sabão a cada tanque de combustível.
      Mas não esqueça de enxaguar o motor duas vezes!

  • Leonardo 9 de julho de 2018

    Ótima matéria, mas tenho absoluta certeza que os motores ainda precisam de amaciamento…sou supervisor nde tráfego de uma empresa de transporte coletivo com 170 ônibus na frota, todos padronizados MB of 1722 euro 5 e apesar de serem iguais anualmente recebemos 20 ônibus novos e entre estes alguns são melhores pra subir, outros melhores pra desenvolver e outros mais Gastão ou menos Gastão…e tudo isso refere se ao modo que o motorista dirigiu da fábrica até minha cidade que dá 470km…já recebemos ônibus aqui com motor fundindo por falha na montagem das peças, onde as mesma continham areia de fundição no coletor de admissão…se todos os ônibus são iguais, peso, chassi, e trem de força no geral não era para terem diferenças enormes…e a descrição sobre pneu realmente procede, quando trocamos o pneus não é difícil de reparar que os ônibus ficam mais escorregadios (xoxos) nas curvas…

  • Rafael delfino 9 de julho de 2018

    Claro que e necessario, as montadoras dizem hj q nao e para passar uma imagem de moderno e outras boiolices kkkkk… Mas fato q todo motor c.o precisa fazer sim pois o motor vem com o pistao justo na camisa , cameras de lubrificacao precisam eliminar os detritos soltos pela passagem do pistao na camisa do cilindro.. E varias outras coisas.. Entendam de uma vez por todas, carro, e o mesmo principio a 100 anos o que muda sao os detalhes mais o principio e o mesmo.. Parem com essas gayzices seculo 21 e blablabla

    • Brandon 9 de julho de 2018

      Deixa de ser burro. Se houver detritos como você diz, o motor trava. Nunca existiu esse negocio de amaciamento. … de a partida e use. Só isso

  • Brandon 9 de julho de 2018

    Pare de falar sobre carros se não entende nada. Faça reportagem sobre culinária que você se dá melhor.

  • Carlos 9 de julho de 2018

    Quando um carro sai da concessionária ele já rodou essa quilometragem de amaciamento

    • BENICIO MARQUES DE ARAUJO FILHO 9 de julho de 2018

      Quer dizer Carlos que você colocaria outro pra tirar a virgindade de sua esposa?

  • Renan da 9 de julho de 2018

    Porquê os fórmulas 1 estoura os motores?são novos!

    • Ian 9 de julho de 2018

      Motores de f1 sao levados aos limites dos materiais. Rotações altíssimas, cargas excessivas, potências absurdamente altas para baixas cilindradas….a performance é levada as ultimas consequências e por isso a durabilidade é baixa mesmo. A F1 nada mais é que um laboratório pra testar os limites da engenharia

  • Alexandre 9 de julho de 2018

    Antigamente era necessário usinar algumas peças a mão tipo bronzina de fixo e de biela por isso a necessidade de amaciamento do motor hoje em dia não se faz mas necessaria tal manobra

  • Eduardo 8 de julho de 2018

    Isso é mito pois o motor quando é montado já vem com todas as folhas e regulagem

  • Roberto 8 de julho de 2018

    Perfeito. Tudo isso consta no manual.

  • João Paulo 8 de julho de 2018

    É mais do que necessário deixar os primeiros mil quilômetros para amaciar. O óleo quando percorre todas as partes móveis precisa de um tempo para se firmar e proteger o motor. Esse amaciamento fará o veículo ter uma durabilidade maior de motor.

  • Guttemberg dos Santos 8 de julho de 2018

    Muito boa a reportagem.

Deixe um comentário