Conheça o Sistema Eletrônico de Estabilidade, ou ESC

O botãozinho "ESC" do seu carro pode salvar a sua vida

Por BORIS FELDMAN12/05/18 às 10h00

O ESC é tão eficiente em termos de proteção dos ocupantes do automóvel que é considerado o segundo mais importante dispositivo de segurança, logo depois dos cintos. Mas, os carros modernos oferecem tantos dispositivos eletrônicos que muitos motoristas não fazem nem ideia do que são e como funcionam. E o ESC é um deles: estas três letrinhas significam (iniciais em inglês) “Sistema Eletrônico de Estabilidade”.

esc Sistema Eletrônico de Estabilidade
Imagem Shutterstock | Reprodução

Como funciona? Se você entrar em uma curva pisando no acelerador mais do que devia, o carro tende a “rabear”: a derrapar lateralmente para o lado de fora da curva. O ESC tem sensores que percebem essa tendência e evitam a derrapada, trazendo o carro de volta para a trajetória correta. Você pode pensar que não precisa dele pois se considera um motorista cuidadoso e jamais entrou acelerando mais do que deveria numa curva. Entretanto, não tem jeito de evitar um obstáculo repentino na reta. Um carro ou um cachorro cruzando a pista, por exemplo. A reação do motorista é dar um golpe no volante e a tendência do carro é exatamente a mesma: derrapar lateralmente e até dar um “cavalo de pau” no asfalto. Ou sair da pista e ir parar no acostamento, no barranco ou no abismo.

O ESC atua reduzindo a aceleração do carro (mesmo que o motorista esteja com o pé no fundo) pois o sistema do acelerador hoje é eletrônico e permite interferência da central, ao mesmo tempo em que aplica o freio numa única roda, de modo a não permitir essa derrapagem. Entretanto, tudo tem limite. Se o motorista exagerar em uma curva e entrar em velocidade muito superior à que permite as leis da física, controle de estabilidade nenhum dá conta de segurar o carro.

O Sistema Eletrônico de Estabilidade já é obrigatório em vários países, mas só agora o governo do Brasil se lembrou de exigi-lo em nossos automóveis, com prazo de cinco anos. Até lá, ao comprar um carro novo, dê preferência aos modelos que já dispõem deste sistema.

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário