Porque sou contra trocar o chip da central eletrônica

Por BORIS FELDMAN26/04/18 às 06h45

Trocar o chip da central eletrônica para ganhar potência ou economizar combustível traz sérias alterações ao funcionamento do veículo.

[TRANSCRIÇÃO]

Alguns ouvintes me criticam porque eu vivo falando mal desses chips que são oferecidos por oficinas, até de concessionárias, para alterar a curva de funcionamento do motor. A mudança desse chip na central pode dar mais potência ao motor ou reduzir consumo ou transformar o carro a gasolina num flex e outras variações sobre o tema.

E sabe por que eu critico? Porque a melhor solução possível para um motor é encontrada pelos engenheiros da fábrica depois de testá-lo por centenas, milhares de horas no dinamômetro, até determinar sua melhor curva de operação. Mudar o chip pode mesmo aumentar a potência, por exemplo, mas paga-se um preço de maior consumo, de maiores emissões e até de se reduzir a vida útil do motor. Sem contar que trocou o chip, perde-se a garantia de fábrica. E, por isso, é estranho algumas concessionárias oferecerem a troca de chip da central eletrônica.

chip da central eletrônica para ganhar potência ou economizar combustível

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

3 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Alexandre 10 de junho de 2018

    Tive um 307 Feline 2.0 manual chipado e com algumas outras melhorias feitas por engenheiro formado com conhecimento teórico nos EUA e aliado à minha humilde habilidade ao volante o carro andava com MINI TURBO 2.0, Jetta TSI e GOLF GTI originais… tudo isso com um consumo extremamente dentro do normal para um 2.0 16v… Vendi com dor no coração, motor afiado com 90.000 km, câmbio em perfeito estado e tudo funcionando perfeitamente.
    Nunca usei um guincho e nunca precisei usar um serviço de seguradora.
    O que pessoas que não tem e nunca tiveram um carro assim podem me dizer ao contrário ?
    O que um engenheiro que projeta carros para serem produzidos em série pode dizer sobre isso ?
    Tudo é um jogo de interesses, um simples filtro de ar que permite uma maior entrada do ar na câmara de combustão tornando a mistura melhor, gerando maior potência, filtrando melhor as partículas e muitas vezes como no meu caso economia de combustível pois essa mudança mínima o módulo corrige; diante de tudo isso as montadoras preferem fechar os olhos… Porque ?
    Tudo que relato não são teorias e sim FATOS !

  • Paulo Eduardo 27 de abril de 2018

    Perfeito comentário! Tesla, por exemplo, restringe capacidade das baterias de seus veículos.
    E a PSA, altera potência de seus motores THP, mudam sensores e injeção, alteram software e lá vem maior potência. Daí pode?

  • Alex 26 de abril de 2018

    Até aí concordo com vc, mas que me diz dos diversos benefícios e opções que os fabricantes escondem eletronicamente no carro só para cobrar mais em uma versão posterior do mesmo. Possibilidades escondidas que hoje temos acesso através de softwares e acessórios disponíveis. Claro por nossa conta e risco. Para mim isso tb é uma
    forma de pilantragem industrial.

Deixe um comentário