Harley-Davidson Low Rider S voltou em outra ‘família’

A Low Rider S chega ao mercado brasileiro logo depois de ser lançada no mercado global, com preço sugerido de R$ 73,6 mil

Mesmo produzida em série, uma Harley-Davidson nem sempre é igual à outra do mesmo modelo. É que logo depois de sair da concessionária os proprietários vão incorporando acessórios e equipamentos, customizando a moto, que se torna única. A Low Rider S, que chega ao mercado brasileiro, logo depois de ser lançada no mercado global, com preço sugerido de R$ 73,6 mil, segue esta rotina em parte.

Repete o nome, depois de ser apresentada ainda em 1977 durante o super encontro de motos, Bike Week, em Daytona, na Flórida (EUA). Dez anos depois, surgia a versão “S”, que desapareceu em seguida com o fim da família Dyna.

A Low Rider S ressurge, agora incorporada à família Softail. O “Low” (baixo) do nome é em função da altura do banco a apenas 690 mm do chão, que facilita bastante o embarque e desembarque, do “Rider” (piloto).

Porém, o banco é do tipo egoísta e só tem lugar para o piloto. O assento do passageiro é instalado somente como acessório.

Já o “S” (Sport), caracteriza o caráter mais esportivo do modelo, que tem inspiração no estilo mais descontraído dos motociclistas do estado da Califórnia, que customizavam as motos artesanalmente, para reduzir peso e aumentar a performance

A Harley-Davidson Low Rider S, para apimentar o desempenho, conta com o novo motor batizado de Milwaukee 114. Mantém a tradicional arquitetura de dois cilindros em “V”a 45 graus, mas salta para 1.868 cm³ (equivalentes a 114 polegadas, como adotado nos Estados Unidos), que entrega um torque de 16,4 kgfm a parcos 3.000 rpm.

Força que garante robustas retomadas de velocidade, modulada por um câmbio de seis marchas, com uma sexta mais longa para encarar estradas com maior velocidade e menores rotações do motor, proporcionando igualmente economia de combustível

A pegada mais esportiva também está presente na suspensão dianteira, com sistema invertido (upside down) e tubos de 43 mm de diâmetro e 130 mm de curso.

Além disso, o freio dianteiro conta dois discos de 300 mm de diâmetro, mordidos por pinças de quatro pistões. Um poderoso conjunto que faz par com o freio traseiro com disco de 292 mm. Ambos com sistema ABS.

Já a suspensão traseira, obedece o padrão softail, ou “rabo macio”. Tem amortecedor único, camuflado no interior do quadro, com 56 mm de curso e possibilidade de ajustes na pré-carga da mola.

As antigas motos não tinham suspensão traseira e por isso, eram chamadas de “rabo duro”. A família Softail simula esta situação, fazendo estilo, mas, conta com o sistema de amortecimento, justificando o batismo.

Outros traços de esportividade estão no escape duplo pintado de preto, assim como o motor e quadro, nas rodas em liga leve pintadas em bronze na ausência quase total de cromados.

Na contramão, porém, está a roda dianteira com aro de 19 polegadas, que dificulta um pouco as mudanças mais rápidas de direção.

A posição de pilotagem deixa a ergonomia com braços esticados e pedaleiras mais centralizadas. Um desenho mais radical para acompanhar a parte “esportiva” em detrimento da parte “estradeira” que requer posição mais relaxada.

Como diferenciação, tem a lanterna traseira como vidro (única na marca) e iluminação em LED e o resgate do painel em cima do tanque (com capacidade de 19 litros) com dois instrumentos em vez de apenas um. Com isso, a parte central do guidão tem apenas o acabamento da mini carenagem do farol redondo.

Galeria de fotos da Harley-Davidson Low Rider S

Fotos Harley-Davidson | Divulgação

Dê sua opinião:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão destacados com *

Publicado por

Especialista na cobertura do mercado de motocicletas e competições com mais de 30 anos de experiência.

Últimas Notícias

Carros que saíram de linha em 2019 (e você nem notou)

Listamos 5 modelos que andavam tão esquecidos pelos consumidores que saíram de cena e praticamente não foram notados

19 de janeiro de 2020

Legislação sobre cumprimento do recall fica mais rigorosa em 2020

Os proprietários que não levarem seus carros para fazer o recall gratuito na concessionária terão um aviso no recibo de…

18 de janeiro de 2020

Seguradora Líder: intervenção imediata!

Auditoria comprovou desvios bilionários do DPVAT. Falta recuperar o dinheiro roubado, prender os ladrões e extinguir a Líder

18 de janeiro de 2020

Aulas obrigatórias para tirar carteira podem acabar

Projeto de Lei da senadora Kátia Abreu (PDT) quer diminuir os custos de obtenção da carteira de motorista, mas provas…

17 de janeiro de 2020

Retrovisor: DPVAT 2020, segurança dos carros, Kia Rio

No Retrovisor AutoPapo desta semana, discutimos devolução do DPVAT 2020, segurança dos carros, chegada do Kia Rio, e mais!

17 de janeiro de 2020

Boris debate fim da Seguradora Líder e o futuro do DPVAT

Seguradora Líder usa dinheiro público para defender interesses privados; Boris Feldman debate com promotor e advogado futuro do DPVAT

17 de janeiro de 2020