Salão Duas Rodas 2019: a 15ª edição do evento foi pé no chão

A décima quinta edição do Salão Duas Rodas, em São Paulo, entre os dias 19 e 24 de novembro apresentou lançamentos, além de um balanço do segmento

Por Teo Mascarenhas26/11/19 às 12h30

A mais importante mostra de motocicletas, acessórios, equipamentos, ações de experimentação de modelos, exibições de freestyle e até competições da América Latina, o Salão Duas Rodas 2019, foi realizado em São Paulo, no complexo São Paulo Expo entre os dias 19 e 24 de novembro, reunindo toda a cadeia produtiva e de serviços do segmento.

As fábricas, além de exibirem sua linha, também fizeram lançamentos de novos modelos e outras ações paralelas. Porém, a tônica entre os expositores (embora, com ausência da BMW, Ducati e Harley-Davidson), era de expectativa na recuperação do mercado, que sinaliza estar deixando para trás uma recessão de quase uma década. Os pés ainda estão no chão, mas os indicadores apontam uma consistente aceleração.

Honda

A maior fabricante nacional tem em Manaus, Amazonas, a fábrica mais verticalizada do mundo. Alguns modelos são totalmente produzidos em sua planta sem ajuda de fornecedores. No Salão Duas Rodas 2019, mostrou sua linha regular, as novas CB 500 X e F, as novas CB 650R no conceito Neo Sports Café (chegam ao mercado no primeiro trimestre de 2020), adotado mundialmente, além de modelos conceituais, desenvolvidos pelo HRB, Honda Reserch Brasil (centro de desenvolvimento de novos produtos e soluções), além de modelos de edições especiais.

Também exibiu no Salão Duas Rodas 2019, como teste de mercado, os scooters ADV 150 e Forza 300.

CB 500X, a campeã de vendas, divide o motor de dois cilindros em linha de 471 cm3  com a irmã “F”, que fornece 48 cv. Ela  ficou mais aventureira, adotando um aro de roda maior na dianteira. Com 19 polegadas (anterior tinha 17) ficou mais adequada para encarar irregularidades fora do asfalto.

Para tanto as suspensões ganharam maior curso (150 mm na dianteira e 135 na traseira) , o guidão ficou mais alto e o tanque de combustível passou para 17,7 litros de capacidade.

A  CB 500F ganhou um visual mais agressivo, embreagem assistida e deslizante, além de modernizações no sistema de escape.

A linha CB completa 60 anos em 2019. O modelo naked CB 650R, que substitui a CB 650F, está equipada com motor de quatro cilindros em linha que entrega 88,4 cv (na Europa 96 cv), e incorpora controle de tração, suspensão dianteira invertida e quadro 6 kg mais leve, além do visual minimalista do conceito NSC. Neo Sports Café.

A CBR 650R é a versão carenada, com ajustes na ergonomia. Também vai haver uma copa de velocidade monomarca com o modelo.

O scooter ADV 150 foi exibido do salão como teste de mercado. Com visual semelhante ao da aventureira X-ADV 750, tem motos de 150 cm3 semelhante ao do PCX 150 já comercializado aqui. O motor entrega 14,5 cv, as suspensões possuem curso maior e o pára-brisa pode ser regulado. e

O scooter Forza 300 foi outro teste de aceitação de mercado. Mais robusto e sofisticado, conta com motor de 279 cm3 que desenvolve 25,2 cv.

O  modelo mais vendido do país, Titan 160, ganhou a versão Titan 150 S (Sport), com decoração e pintura especiais,inspiradas na versão comemorativa dos 25 anos de mercado, além de rodas em liga leve pintadas de vermelho.

Os modelos Special Edition (Edição Especial) vão integrar a linha em 2020, com pintura e decoração especiais, inspiradas na linha CRF de competições. Os modelos Bros 160, e XRE 190 seguem este padrão. O modelo CB 250 Twister tem decoração e pintura mais agressivas.

Também estavam no Salão Duas Rodas 2019 os modelos conceitos, que são um exercício da engenharia, sem muita pressão de custos.  O departamento de design (HRB, Honda Reserch Brasil) desenvolveu modelos divertidos, expostos no salão. Honda POP 110i versão aventureira, equipada com pneus fora de estrada, escape de saída alta e pintura inspirada nas Africa Twin.

POP 110i Vintage. Com ar retro, o modelo tem adaptação para levar uma prancha de surf na lateral. A XRE 300 Conceito, explora o universo aventureiro, para viagens de longo curso, equipada com bolsas, protetor de carenagem e faróis auxiliares.

O modelo NC750 X Touring recebeu pintura com tonalidades diferentes para maior sofisticação, mesmo em viagens de longo curso. As malas laterais também são pintadas nas cores da moto.

A CB 1000R New Classic,  tem uma pegada Café Racer, com detalhes na decoração simulando um trabalho mais manual, e inclui pneus com o nome do modelo.

Yamaha no Salão Duas Rodas 2019

O scooter XMAX 250 ABS vai ser produzido no Brasil, em Manaus, Amazonas e chega ao mercado em abril de 2020, ainda sem preço definido. Uma aposta da Yamaha em um segmento em constante ascensão, acrescida de uma certa sofisticação, com bastante conforto. O XMAX 250 ABS (comercializado também no disputado mercado Europeu), conta com câmbio automático CVT, porém, com uma novidade.

Sistema de controle de tração. O motor de um cilindro entrega 22,8 cv a 7.000 rpm e um torque de 2,5 kg a 5.500 rpm. O tanque de combustível tem um bom volume de 13,2 litros, proporcionando boa autonomia.

O porta objetos em baixo do banco tem iluminação em led e generoso espaço para acomodar dois capacetes integrais. O pára-brisa pode ser regulado na altura em 50 mm e o guidão na distância em 20 mm. As rodas são em liga leve com aro de 15 polegadas de diâmetro na dianteira e 14 na traseira. Os freios, com sistema ABS, contam com disco de 267 mm na dianteira e 245 mm na traseira.

Os mimos urbanos também estão presentes na chave inteligente (smart key), na tomada USB para recarregar o celular e no painel em tela LCD completo.

Exposto no estande da Yamaha no Salão Duas Rodas 2019, sem conformação de desembarque no Brasil, o exótico Niken é uma mistura das palavras japonesas Ni e Ken, que significa duas espadas. O Niken, entretanto tem três odas. Duas na frente e uma na traseira. O sistema LMW, Leaning Multi Wheel, permite inclinação das rodas da frente em até 45 graus. Com três apoios a aderência e a capacidade de frenagem, também aumentam.

Cada roda dianteira, conta com dois amortecedores (110 mm de curso) que ficam expostos, aumentando a agressividade do modelo.

O motor, herdado da MT-09, tem três cilindros em linha, com 847 cm3 e tecnologia crossplane (arranjo na movimentação dos pistões com 270 graus de defasagem), que desenvolve 115 cv a 10.000 rpm e um torque de 8,9 kg a 8.500 rpm, com sistema quick shift de trocas de marchas. O sistema D-Mode permite ajustar mecanicamente as respostas do motor, via progressividade do acelerador. Modo Standard é o padrão, Modo A tem respostas mais imediatas e Modo B, tem reação mais branda. Outro recurso é o controle de tração.

A moto que não cai:  Presente no 15º Salão Duas Rodas 2019, em São Paulo, vinda especialmente do Japão a motocicleta experimental Motoroid. Com motor elétrico e inteligência artificial, o modelo desafia a lei da gravidade e realiza o sonho de todo motociclista. Não cai. Para tanto conta com o sistema AMCES. Active Mass Center Control System que atua diretamente no centro de gravidade, estabilizando o conjunto piloto e moto. O sistema percebe imediatamente sua posição, ajustando instantaneamente o centro de gravidade, ficando em pé sozinha, sem auxilio de apoios de forma autônoma.

A tecnologia permite também que a Motoroid obedeça a comandos de voz e se movimente sozinha, sem qualquer ajuda, em direção ao piloto, por exemplo. Para tanto, utiliza inteligência artificial, reconhecendo imagens, rostos e gestos, através de uma câmera biométrica. A interação homem e máquina (HMI, Human Machine Interface), também se completa quando o piloto senta na moto e é abraçado por duas aletas laterais, que ajustam e percebem seus movimentos. Os pneus são especiais e as rodas em carbono (uma diferente da outra), foram esculpidas em impressoras 3D.

O visual de ficção científica é completado com um motor elétrico que fica junto a roda traseira, contribuindo para rebaixar o centro de gravidade. No lugar do motor um conjunto de baterias de íon lítio que fornece energia para o motor e funciona como um contrapeso e lastro, exatamente no eixo do AMCES.

Desta forma, para andar de forma autônoma (sozinha), quando a moto inclina para um lado o lastro vai para o outro lado, neutralizando a inclinação. A Motoroid também utiliza sistema Ride By Wire, que elimina cabos nos sistemas de frenagem, aceleração e de condução.

A Yamaha mostrou no estande do Salão Duas Rodas 2019, em São Paulo, uma inédita parceria com os estúdios Marvel, que tem nove super-heróis que fazem parte do universo dos “Vingadores” e se transformaram em motos conceitos com esta inspiração. Os modelos foram transformados pelo estúdio brasileiro Bendita Macchina e cinco deles serão comercializados em edições especiais a partir de 2020, com a benção da matriz japonesa.

A Yamaha MT-03 se transformou em Homem de Ferro, com a roupagem de Tony Stark, incluindo o “reator” que leva no peito e decora o tanque e os mísseis de defesa nas laterais.

O modelo Lander 250 foi o escolhido para ser caracterizada com as cores do Capitão America. O scooter NMAX 160 ganhou a decoração alusiva ao herói dos quadrinho e das telas Homem Aranha, e ficou suspensa em uma estrutura, simulando os fios de uma teia. Capitã Marvel O modelo Fazer 250 foi caracterizado com o estilo da Pantera Negra. A MT-07 foi decorada com inspiração no herói Marvel Thor, incluindo a cabo do famoso martelo, como punhos do guidão.

A Crosser 150, modelo Z ABS, foi transformada com inspiração Groot dos Guardiões da galáxia. Também presentes as caracterizações de Homem-Formiga, scooter Neo 125 UBS e Rocket, com a moto Factor 125.

Triumph no Salão Duas Rodas 2019

A ingkesa Triumph, oficialmente instalada no Brasil, com fábrica em Manaus, Amazonas, apresentou no Salão Duas Rodas de 2019, em São Paulo, o modelo Rocket 3 R que vai ser comercializada no Brasil. A moto, equipada com motor de três cilindros, tem nada menos que 2.500 cm3 de cilindrada, ou 2,5 litros.

Capacidade maior que muitos carros e considerada a moto de série com o maior motor do mundo. O propulso de três cilindros em linha é tão extenso, que fica de forma longitudinal no quadro em alumínio e não de forma “transversal”, como de costume.

Lançada em 2004, chega em nova geração durante o Salão Duas Rodas 2019, mais leve, visual renovado e o motorzão com 167 cv de potência e nada menos que 22,6 kg de torque. Também superior a muitos carros, como o do Volkswagen Virtus 200 TSI, também com motor de três cilindros (1.0 turbo), que entrega 128 cv (com etanol) e 20,4 kg de torque, por exemplo.

O motor tem ainda controle de tração e quatro modos de pilotagem. O câmbio tem quick shift para passar as marchas sem embreagem e os freios sistema ABS de curvas. Conta também com auxilio de partida em subidas, painel com tela em TFT, iluminação em led e unidade de medição inercial, que integra os sistemas.

O modelo Street Triple RS, mostrado pela primeira vez no Brasil, Foi bastante remodelado. A previsão de inicio da comercialização é no primeiro trimestre de 2020, ainda sem preço definido. Em 2019, a Triumph se tornou a fornecedora dos motores que equipam as motos do mundial de Moto2. O propulsor é o três cilindros em linha de 765 cm3, semelhante ao usado na nova Street Triple 765. São 123 cv a 9.350 rpm e um torque de 10 kg.

O visual ficou mais agressivo, com leds na iluminação, painel em tela TFT colorida, auxilio na troca de marchas (quick shift), cinco modos de pilotagem (estrada, chuva, esporte, pista e piloto), controle de tração comutável, freios ABS ajustáveis, suspensão dianteira Showa com 41 mm e traseira mono Ohlins. Ambas plenamente ajustáveis.

Kawasaki no Salão Duas Rodas 2019

20191118 155603

A japonesa Kawasaki apresentou a recém lançada mundialmente naked Z 900 no Salão Duas Rodas 2019. O novo modelo, porém, só vai desembarcar no Brasil em fins de 2020, ainda sem preço definido. A moto passou por completa reformulação, incluindo iluminação totalmente em led, painel com tela TFT colorida de 4,3 polegadas, que permite conectividade com o celular e o quadro em treliça.

O motor de quatro cilindros em linha entrega 125 cv e 10,1 kg de torque e agora conta com controle de tração em três níveis, quatro modos de pilotagem (Sport, Road, Rain e Rider).

Royal Enfield

20191118 193526

A marca indiana de origem inglesa tem a moto em produção continuada mais antiga do mundo. A Bullet 500 está em linha desde 1.932. Porém, a marca que está instalada oficialmente no Brasil vai diversificando sua linha. Apresentou no Salão Duas Rodas 2019 em São Paulo, os modelos Continental GT 650 e Interceptor 650, lançadas globalmente ainda em 2019.

Equipadas com o mesmo motor de dois cilindros gêmeos refrigerados a ar e óleo, com 648 cm3, que desenvolve 47 cv e um torque de 5,3 kg. Também dividem o quadro em tubos de aço, rodas freios e painel. As diferenças ficam no tanque, banco e posição do guidão, mais baixo na Continental GT. Os modelos chegam em janeiro de 2020, com preços a partir de R$ 24.990 na Interceptor e a partir de R$ 25.990 na Continental GT.

Mercado: Luz no fim do túnel

O Brasil já figurou como o quinto maior produtor de motocicletas do mundo. Depois de mais de uma década de recuos, hoje ocupa a oitava posição. No topo, os países asiáticos, praticamente imbatíveis com uma gigantesca produção voltada para modelos de baixa cilindrada e scooters.

Deste lado do planeta, porém, a recuperação do mercado vai se desenhando consistente e pelo segundo ano consecutivo a produção e vendas no varejo de motocicletas avançam, projetando também 2020 com significativo aumento. É a luz no fim do túnel.

Segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), um dos fatores que impulsionaram a aceleração nas vendas foi a gradual retomada do crédito, com juros mais baixos e atrativos, além da entrada de novos bancos, como os digitais, permitindo maior volume de financiamento de motos novas.

Porém, também existem outros expressivos fatores, como a ineficiência do transporte público dos grandes e médios centros urbanos, o aumento dos transportes de pequenos volumes por aplicativos, o uso da motocicleta como transporte nas pequenas cidades e rincões do interior, o aumento da população feminina como usuária, além da extrema mobilidade, rapidez e manutenção econômica proporcionada.

Definição das categorias de motocicletas

Definição Característica
Street Motocicleta de baixa ou média cilindrada destinada ao uso urbano
Trail Motocicleta de baixa ou média cilindrada destinada ao uso misto
Motoneta Motociclo de uso urbano, com câmbio automático ou semiautomático
Scooter Motociclo com câmbio automático que privilegia o conforto
Naked Motocicleta sem carenagem com motor exposto para uso no asfalto
Big Trail Motocicleta de alta e média cilindrada para uso misto
Off-Road Motocicleta de qualquer cilindrada para utilização fora do asfalto
Custom Motocicletas estradeira de longo curso, que privilegiam o conforto
Sport Motocicletas de média e alta cilindrada, carenadas de alto desempenho
Ciclomotor Veículo de duas ou três rodas, com motor a combustão de até 50 cm3
Touring Motocicletas de alta cilindrada para viagens de longas distâncias

Fonte: Abraciclo

Desta forma, a Abraciclo, que reúne como fabricantes a BMW, Dafra, Ducati, Harley-Davidson, Honda, JTZ (Kimco e Haojue), Kawasaki, Suzuki, Triumph e Yamaha, refez as previsões anteriores, em relação a 2019, por duas vezes, sempre para mais, além de projetar 2020, com maior otimismo. A produção de 2019 deve atingir 1.105.000 unidades, com evolução de 6,6% em relação a 2018. No atacado, vendas das fábricas para as concessionárias, a expectativa é de um aumento de 11,8% em relação a 2018.

No varejo, que é a venda das concessionárias para o consumidor a estimativa é de um avanço ainda mais significativo, atingindo 13,8% de avanço em comparação com 2018, ultrapassando a barreira do milhão de unidades com 1.070.000 motos licenciadas e emplacadas. Um segmento, entretanto, se destacou pelo expressivo aumento das vendas ao consumidor. Os scooters evoluíram 30,1% (acumulado até setembro), em relação a igual período de 2018, consolidando esta modalidade como alternativa ao transporte individual nas cidades.

Para 2020, a projeção de produção de alcançar 1.175.000 unidades, representando um crescimento de 6,3% em relação a 2019. As vendas no atacado devem somar 1.145.000 motocicletas, atingindo um aumento de 6,9% comparados com 2019. No varejo, que é o número mais representativo, indicando a última parte de toda a cadeia, ou vontade do consumidor final, o aumento deve ser de 6,5% em relação a 2019, com 1.145.000 unidades vendidas e licenciadas.

Entretanto, as exportações devem sofrer retração de 11,8% em 2020, atingindo 30.000 unidades em função da recessão da Argentina, um dos maiores importadores. Contudo, a expansão do mercado interno também vai impulsionar o mercado paralelo de equipamentos (capacetes, vestimentas, lubrificantes, pneus, etc) e acessórios, além de oficinas de reparação e comércio de usadas e geração de empregos, fazendo a economia do segmento, girar mais forte.

Projeções de mercado

Projeção 2019 Projeção 2020 Variação em unidades Variação  em %
Produção 1.105.000 1.175.000 70.000 + 6,3%
Exportação 34.000 30.000 -4.000 -11,8%
Atacado 1.071.000 1.145.000 74.000 + 6,9%
Varejo 1.070.000 1.140.000 70.000 + 6,5%

Fonte: Abraciclo/Renavam

A moto avião no Salão Duas Rodas 2019

As motos customizadas, modificadas, ou construídas artesanalmente, são peças únicas que exprimem a criatividade e capacidade técnica dos projetistas, que normalmente elegem um tema para caracterizar seus modelos. Alguns destes modelos se transformam em verdadeiras joias, com soluções de engenharia inéditas, para serem exibidas como troféus, sem preço definido, como o caso da moto avião, desenvolvida pelo estúdio TMC, Tarso Marques Concept, do ex piloto de Fórmula 1 e Stock Car e Indy,Tarso Marques, sediado em Curitiba, Paraná.

A TMC Dumont exposta no Salão Duas Rodas 2019, venceu o concurso de customização Bike Week 2018, em Daytona, Estados Unidos, considerado um dos mais importantes do mundo. O modelo Dumont, totalmente desenvolvido no Brasil,  é uma homenagem ao pai da aviação, Alberto Santos Dumont e utiliza um motor de avião, Rolls-Royce Continental  V-6 com 300 cv de potência. O motor, dos anos 1960, foi encontrado em um aero clube do Paraná e teve que ser inteiramente restaurado.

A transmissão, tipo CVT, foi desenvolvida pelo próprio estúdio TMC, assim como as pastilhas de freio, iluminação retrátil e as gigantescas rodas, inteiramente vazadas, com nada menos que 36 polegadas (cerca de 1,5 metro) de diâmetro, apoiadas horizontalmente, que criam um efeito visual de flutuação, como em um avião. As suspensões são reguladas eletronicamente e o desenho, com peças em fibra de carbono e ligas metálicas nobres (tanque de combustível de 16 litros), também simula fluidez aerodinâmica dos aviões.

20191118 180512

Do Salão Duas Rodas 2019 para as pistas

As montadoras sempre apoiaram as competições como forma de desenvolver seus produtos, em uma espécie de laboratório, como também para promover a marca em campanhas de marketing e, principalmente, exibir sua capacidade técnica e tecnologia, em uma vitrine que ajuda a vender seus modelos. Durante o Salão Duas Rodas em São Paulo, entre 19 e 24 de novembro, várias ações ligadas às competições foram desenvolvidas. A Honda exibiu o modelo RC213V campeã do Mundial de MotoGP.

E mais. O visitante também do Salão Duas Rodas 2019 poderia inclinar como o multi campeão Marc Marquez, em uma inclinação de cerca de 68 graus, sem cair, para ficar bem na foto. Também mostrou o protótipo CRF 450 que compete no Dakar, trouxe o campeão mundial de Motocross MXGP de 2019, o esloveno Tim Gajser e anunciou a criação de uma copa mono marca com os novos modelos CBR 650R equipados com motor de quatro cilindros em linha.

Para se sentir um piloto de motovelocidade, sem sair do lugar, no salão também era possível entrar nas pistas através de um simulador, que inclinava nas curvas e também registrava os melhores tempos.

No mundo virtual, a Yamaha também trouxe o bicampeão mundial de e-Sports MotoGP. O italiano Lorenzo Daretti , também conhecido como Trast73, é o primeiro piloto de e-Sports da história a assinar um contrato com uma equipe oficial de MotoGP. O piloto faz parte da Monster Energy Yamaha ao lado de Maverick Viñales e Valentino Rossi. Durante o salão foi possível “disputar” corridas com ele.

A Yamaha também expôs no Salão Duas Rodas 2019 R-3 de Tom kawasaki que disputa o World Superbike, a YZF-450F do espanhol Carlos Campano, pentacampeão brasileiro de Motocross, entre outros modelos. A Kawasaki lançou no Brasil, durante o salão o modelo KX 250, com quadro de alumínio, controle de largada e motor 3,3 cv mais potente. O modelo chega em dezembro com preço sugerido de R$ 49.990.

A KTM apresentou o modelo comemorativo com decoração Six Days, em homenagem ao ISDE, International Six days Enduro, mais importante prova da modalidade, em sua 94º edição, disputada no complexo do autódromo do Algarve, em Portugal, entre os dias 11 e 16 de novembro.

A Triumph mostrou no Salão Duas Rodas 2019 o protótipo de desenvolvimento dos motores de três cilindros e 765 cm3 de sua linha, que passaram a equipar as motos da categoria Moto2 do mundial de motovelocidade. Foram dois anos de pesquisas, que resultaram em 140 cv de potência e várias quebras de recordes, incluindo a maior velocidade final jamais alcançada na categoria, com 301,8 km/h, com o piloto Stefano Manzi.

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (1 votos, média: 5,00 de 5)
loadingLoading...
Clique na estrela para avaliar.
Teo Mascarenhas

Especialista na cobertura do mercado de motocicletas e competições com mais de 30 anos de experiência.

Teo Mascarenhas
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário