Como declarar um carro financiado no Imposto de Renda

Explicamos o passo a passo para fazer a declaração de um carro alienado, vendido, furtado ou que teve perda total

Por Laurie Andrade14/03/19 às 11h36

Os brasileiros proprietários de veículos motorizados precisam fazer, anualmente, a Declaração do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (DIRPF). Em 2019, o prazo para registrar os bens é até o dia 30 de abril. O AutoPapo consultou o contador Matheus Tibúrcio e explica como declarar um veículo quitado, vendido, furtado, roubado ou um carro financiado no Imposto de Renda.

Vale ressaltar que a declaração é obrigatória para todos os automóveis, independente do valor. O processo é relativamente simples. Ao abrir o programa da Receita Federal, desenvolvido para realização da declaração do Imposto de Renda, o proprietário deve preencher, na ficha “Bens e Direitos”, os dados de seus veículos automotores terrestres.

  • Em primeiro lugar, é preciso selecionar o código 21, correspondente a “veículo automotor terrestre: caminhão, automóvel, moto, etc”;
  • Depois, preencher o código do Brasil (105) e o número do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) do carro financiado, quitado ou roubado;
  • Feito isso, é preciso informar, no campo “Discriminação”, os dados do veículo – cor, marca, ano, modelo e sua situação.

Se o automóvel declarado foi comprado antes de 2018, é preciso informar, no campo “Situação em 31/12/2017”, o valor pago até essa data e, no campo “Situação em 31/12/2018”, o valor de R$ 0,00.

Como declarar um carro financiado no Imposto de Renda 2019

Não e necessário, no caso dos carros financiados (ou alienados), informar o empréstimo no campo “Dívidas e ônus Reais”. Para declarar o carro financiado, basta adicionar, no quadro “Discriminação”, os detalhes da aquisição. Veja o exemplo abaixo:

Listamos o passo a passo para declarar um carro financiado no Imposto de Renda 2019. Explicamos ainda como fazer com o carro vendido ou roubado.
Reprodução do IRPF 2019

É preciso deixar claro o nome da concessionária ou financeira em que o bem foi comprado/financiado e quais foram os detalhes firmados no contrato, como valor da entrada e número e valor de parcelas a serem quitadas.

Se o veículo foi adquirido em 2018, informe o valor pago até 31/12/2018 no campo “Situação em 31/12/2018” e deixe em branco o campo “Situação em 31/12/2017”.

Atenção! Sempre informe, no Imposto de Renda, o valor da compra do carro e não seu valor de mercado atualizado. A exceção dessa regra só é válida quando o proprietário fez uma alteração muito relevante no carro, como uma blindagem, que fez com que seu preço aumentasse.

Como declarar um veículo vendido

Para declarar que um automóvel não faz mais parte do seu patrimônio, é preciso deixar o item “Situação em 31/12/2018” em branco e informar a venda no campo “Discriminação”, preenchendo o CNPJ ou CPF do comprador.

“Se o contribuinte vendeu um carro por mais de R$ 35 mil em 2018, independente de ter tido ou não ganho de capital, é preciso fazer uma declaração à parte chamada “Ganho de capital” e incluir o documento na DIRPF. Se a transação tiver gerado algum lucro, será calculado imposto em cima do ganho”, explica Matheus Tibúrcio.

A venda de um veículo realizada por menos de R$ 35 mil que tenha gerado lucro, por sua vez, deve ser declarada na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”.

Como declarar um automóvel roubado no Imposto de Renda

Se o proprietário de um carro, caminhão ou moto teve seu veículo roubado, furtado ou firmado como “perda total”, deve deixar o campo “Situação em 31/12/2018” em branco e, no quadro “Discriminação”,  informar o incidente, bem como o valor de indenização recebido da seguradora, se for o caso.

Em casos raros em que a restituição por parte da seguradora for maior que o valor do bem declarado, a diferença entre a indenização recebida e o valor de compra do carro deve ser informada na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, na linha 3 – “Capital das apólices de seguro […]”.

Se o motorista comprou um novo carro com o valor do seguro, basta informá-lo como um novo bem, adquirido em 2018, na ficha “Bens e Direitos”, com o código 21. No campo “Discriminação”, basta informar que o bem foi pago com o dinheiro recebido da seguradora.

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (4 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
3 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    sandro 14 de março de 2019

    Muita burocracia

  • Avatar
    Carlos Caetano Gomes Da Silva 15 de março de 2019

    Gostei bastantes das informações bem esclarecedoras, inclusive com exemplos específicos.
    Parabéns a toda equipe do Autopapo.

  • Avatar
    Cristiane 16 de março de 2019

    Comprei um carro em 2018. O valor a ser colocado em 31/12/2018 é somente da nota fiscal do carro ou posso acrescentar o que paguei de acessórios comprados diretamente na concessionaria também?

Avatar
Deixe um comentário