JAC T5

SUV importado da China tem preço competitivo, mas qualidade do acabamento decepciona, além de câmbio e motor imperfeitos. Espaço interno é a principal qualidade

Por Sérgio Melo08/10/16 às 15h02

Os emplacamentos ainda são bem modestos: apenas 631 unidades no acumulado do ano, ou seja, 0,26% do mercado dos SUVs. Se falta chinês nas ruas, sobra espaço interno no utilitário. O T5 oferece muito conforto na dianteira e, mesmo com o assento do motorista ajustado para alguém com pouco mais de 1,80 m, ainda sobra espaço para os joelhos de quem segue no banco traseiro.

T5

Embora o visual interno seja agradável, os materiais empregados são dignos de dó. Sobra plástico duro para todos os lados e muitas rebarbas. O suporte do conector USB no console central se solta com facilidade e mostra a fragilidade de certos detalhes do acabamento. A falta de iluminação própria no botão de ajuste dos retrovisores externos (justiça seja feita, como em alguns veículos nacionais) torna difícil realizar esse controle à noite.

O motor é correto, com funcionamento suave e entrega de força linear. Como o torque máximo acontece em rotações elevadas – na casa de 4.000 rpm – é preciso esticar as marchas para um desempenho mais vigoroso. O acerto da injeção do motor não compensa bem a temperatura. O desempenho enquanto frio é muito inferior ao que se tem quente. Nas manhãs geladas o T5 chega a apresentar dificuldade em subidas íngremes.

A transmissão manual de seis velocidades se mostra robusta, mas os engates são ligeiramente pesados – fazendo lembrar o que se tem nas caminhonetes médias. O ruído do conjunto é elevado, principalmente nas marchas mais fortes. Da mesma forma que o motor, este sistema também é sensível à temperatura. Com o veículo frio os engates são mais difíceis e a seg

T5
(Sérgio Melo/AutoPapo)

unda marcha chega a arranhar com frequência.

A suspensão é macia e confortável. Parece que os chineses entendem melhor o nosso piso que a escola europeia, que acostumada com pavimentação de melhor qualidade acaba por produzir veículos muito duros para a nossa realidade. Em função dessa maciez, nas curvas ele inclina um pouco mais, porém nada que represente risco um uso familiar.

A versão testada (Pack 3, a mais completa) tem bom conteúdo: ar condicionado digital, ajuste de altura para o assento do motorista e volante, computador de bordo, controle de tração e de estabilidade, assentos em couro, câmera de ré, sistema multimídia com tela de 8”, entrada HDMI e espelhamento para certos modelos de celulares, assistente de partida, luz diurna e vidros espelhos e travas elétricos. Em breve deve estar disponível transmissão automática e há promessa do fabricante de que o modelo passe a ser produzido no Brasil a partir do ano que vem.

T5
(Sérgio Melo/ AutoPapo)

O QUE É?

Utilitário esportivo (SUV) compacto para cinco ocupantes.

ONDE É FEITO?

Importado da China.

QUANTO CUSTA?

O JAC T5 parte de R$66.990. Com os opcionais incluídos como na unidade testada, como kit multimídia, couro e luzes diurnas passa de R$70.000,00.

COM QUEM CONCORRE?

Embora significativas diferenças de desempenho e conteúdo, os principais concorrentes são Honda HR-V LX Manual; Jeep Renegade 1.8 manual; Ford Ecosport SE 1.6 manual e Renault Duster expression 1.6 manual.

COMO ANDA?

Motor flex 1.5 16V com 127cv e torque de 15,7 kgf.m. Velocidade máxima de 154 km/h e aceleração de 0 a 100 km/h em 12,7 segundos.

COMO BEBE?

Abastecido com gasolina fez médias de 6,8 km/l e 13,8 na estrada.

PORTA MALAS?

600 litros.

Pontos positivos: Espaço interno / Estilo / Desempenho

Pontos Negativos: Acabamento interno / ausência de opção por transmissão automática / Desempenho comprometido pela baixa temperatura

T5
Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário