Maio Amarelo: nós somos o trânsito e precisamos melhorar

Campanha de conscientização provoca motoristas e pedestres a ter mais responsabilidade; Brasil é o quinto país com maior número de mortes no trânsito

Por AutoPapo01/05/18 às 07h32

Em razão de um decreto das Organizações Unidas (ONU), o mês de maio foi reconhecido como o período de chamar atenção para as ações de segurança no trânsito. No Brasil, pelo quinto ano consecutivo, os órgãos de trânsito se unem em prol da conscientização da população por meio da campanha Maio Amarelo. Por que ela se faz tão importante? As cinco maiores causas de mortes relacionadas a automóveis no país acontecem por responsabilidade do motorista. 

No ranking dos países com maiores índices de morte no trânsito, o Brasil ocupa, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o quinto lugar. Atrás apenas da Índia, China, EUA e Rússia. O que isso significa? Que, em 2014, quatro crianças morreram por dia por causa de acidentes de trânsito. Um ano depois (2015), a cada um minuto uma pessoa ficou com sequelas em razão de colisões ou atropelamentos. Por dia, 105 pessoas perdem a vida no trânsito por aqui.

A campanha Maio Amarelo tem como intuito diminuir a violência no trânsito por meio da conscientização da população. No Brasil, a cada hora, cinco pessoas morrem vítimas de acidentes de trânsito.

O Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV) afirma que muitos acidentes não acontecem por acaso, grande parte das vezes eles são fruto de escolhas inadequadas e arriscadas. A cada hora, cinco pessoas morrem vítimas de acidentes de trânsito no Brasil.

O tema do Maio Amarelo este ano é “Nós somos o trânsito”. O objetivo é mostrar a todos (condutores e pedestres) que podemos transformar as ruas e estradas em lugares mais seguros. Segundo José Aurelio Ramalho, diretor-presidente do ONSV e idealizador do movimento, 90% dos acidentes têm como motivação as falhas humanas como imperícia, imprudência e desatenção. “Somos os responsáveis pelos nossos atos no trânsito e ter consciência clara disso é um dos caminhos para a reversão do triste cenário não só do Brasil, mas de todo o mundo”, reforça.

Os últimos dados do Ministério da Saúde indicam que as principais causas de morte no trânsito foram:

  • Falta de atenção (30,8% dos óbitos registrados)
  • Velocidade incompatível com a via (21,9%)
  • Ingestão de álcool (15,6%)
  • Desobediência à sinalização (10%)
  • Ultrapassagens indevidas (9,3%)
  • Sono (6,7%)

Fato que mostra que, ainda que as condições das vias brasileiras não sejam boas, os condutores têm grande responsabilidade sobre os acidentes. Mas não só os motoristas devem estar engajados na construção de um ambiente melhor. Em 2015, 1.130 ciclistas morreram em acidentes, o número de pedestres que também perderam a vida também choca: 6.900. Os motociclistas somam um montante ainda maior: 12 mil histórias interrompidas em um ano.

Faça sua parte, coloque em prática algumas dessas ações:

  • Dirija com atenção;
  • Atravesse na faixa de pedestres;
  • Respeite a sinalização e as leis de trânsito;
  • Utilize de equipamentos de segurança nos veículos (incluindo capacetes e joelheiras, no caso de ciclistas).

O MOVIMENTO A cor do movimento foi escolhida em razão do amarelo representar, na sinalização de trânsito, atenção. A ideia é dar visibilidade ao alto índice de mortes e feridos no tráfego em todo o mundo e realizar uma ação coordenada entre o poder público e a sociedade civil. No Brasil a ação Maio Amarelo começou a ser realizada em 2013 com apoio da Associação Nacional de Detrans (AND), do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Confira, abaixo, a campanha do Maio Amarelo:

Imagens Maio Amarelo | Divulgação

1 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Rodolfo 3 de maio de 2018

    ….Como eu ando muito a pé aqui em São Paulo/SP vejo que muitos motoristas não dão preferência ao pedestre, mesmo ele estão em uma faixa de pedestre. …. Porém tem cidades como por exemplo Campos do Jordão/SP e Gramados/RS em que o pedestre é respeitado quando está na faixa de pedestres. E ainda tem muita faixa de pedestre que está apagada devido ao tempo ou a um remendo no asfalto.
    …. Uma vez quase atropelei um pedestre que atravessava a Rod. Raposo Tavares em baixo da passarela… isso é um absurdo!
    …. Assim tomara que num futuro não tão distante o pedestre no Brasil como um todo seja respeitado e que ele também só travesse na faixa de pedestre ou passarelas.

Deixe um comentário