Novos Sandero e Logan utilizarão plataforma mais moderna

Os dois modelos vão trocar a antiga base B0 pela atual CMF-B; todavia, a nova arquitetura terá variantes mais sofisticada para os mercados desenvolvidos e mais simples para os emergentes, entre os quais o Brasil

Por AutoPapo28/03/18 às 12h50

A próxima geração dos modelos Logan e Sandero, da Renault, deverá utilizar uma plataforma mais moderna do que a atual B0. A informação foi divulgada pela publicação francesa Challenges. Segundo o o diretor do departamento de design da Renault, Laurens van den Acke, os modelos de baixo custo da Aliança Renault-Nissan migrarão para a arquitetura CMF-B, que fará a sua estreia no Clio 2019 (que não será vendido em nosso mercado).

Nova geração de Sandero e Logan, da Renault, utilizará nova plataforma
(Renault/Divulgação)

O executivo declarou que, enquanto a primeira geração do Logan foi concebida sem valorizar o design, a segunda, desenvolvida sobre a antiga plataforma, já valorizou esse aspecto. A próxima deverá ser muito mais atrativa, mesmo que não seja uma demanda do consumidor. Isso graças à mudança da arquitetura do veículo.

Além do incremento estético, a preocupação da aliança franco-nipônica passa pela exigência maior pela segurança, pelo menos nos mercados desenvolvidos, onde os dois modelos também são vendidos. A arquitetura B0 tem suas origens na que era usada no Clio lançado em 1998. Toda a linha da marca romena Dacia, que integra a Aliança Renault-Nissan e desenvolveu tanto o Logan quanto o Sandero, além do Duster, utilizava, até o momento, a antiga plataforma.

Apesar de ser muito mais avançada que a B0, a Renault espera que a utilização da plataforma CMF-B não acarrete aumentos de custos elevados no processo de fabricação dos veículos. Isso porque, apesar de mais avançada e sofisticada, a nova arquitetura será unificada, com o tempo, para modelos de diferentes marcas do grupo, uniformizando aspectos industriais.

Plataforma nova, mas não universal

A plataforma CMF-B é modular, o que permite sua utilização em veículos de diferentes tamanhos e propostas. Ela servirá de base não apenas para os modelos da Renault e da Dacia, mas também da Nissan e da Mitsubishi, que recentemente passou a integrar o grupo.

Porém, nem todos os consumidores do mundo receberão a nova plataforma com as mesmas características. De acordo com informações reveladas pela imprensa da Argentina e da Índia, compiladas pelo site Kelley Blue Book, a Aliança Renault-Nissan prevê que a arquitetura CMF-B tenha especificações “High Spec” e “Access Spec”. A primeira, mais sofisticada, será destinada aos mercados desenvolvidos, ao passo que a segunda, simplificada, será direcionada aos países emergentes.

Como a plataforma é responsável por aspectos estruturais do veículo, que influem no comportamento dinâmico e, principalmente, na deformação programada da carroceria em caso de colisão, é de se esperar que os novos Sandero e Logan vendidos na Europa sejam mais eficientes e seguros que os similares comercializados na América do Sul.

Foto Renault | Divulgação


VEÍCULOS RELACIONADOS

Veja mais sobre:


0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário