Vai comprar um SUV 0 km? Fuja dos fabricados em 2019!

"O Brasil, atrasado como sempre na legislação de segurança, só tornou o ESC obrigatório nos modelos fabricados a partir de janeiro de 2020"

Por Boris Feldman 18/12/19 às 11h02

Uma das vantagens mais apreciadas pelo brasileiro no SUV é sua altura. Como a distância livre do solo é maior que a dos outros automóveis, ele ultrapassa melhor obstáculos urbanos e rurais. Não esbarra em quebra-molas, valas, pedras na cidade. Nem no “facão” e outras relevâncias na terra.

Além do mais, principalmente as mulheres e os mais baixinhos, adoram a posição mais elevada, que oferece maior visibilidade e sensação de segurança.

Entretanto, o carro mais alto tem também seu centro de gravidade mais elevado. E esta característica não é nada boa para a estabilidade. Olhe para um kart ou um carro de corrida e uma Kombi ou Veraneio. Está na cara que a Kombi tem muito maior possibilidade de capotar numa curva.

É por isso que a rapaziada da graxa rebaixa seus carros e coloca-os quase esbarrando no chão.

Então, o mesmo raciocínio se aplica aos utilitários esportivos: por serem mais altos, são menos estáveis. Mas é possível reduzir esta deficiência do SUV com recursos eletrônicos.

Está lembrado do vexame do Mercedes Classe A (o mesmo fabricado também em Juiz de Fora entre 1999 e 2005) logo depois de seu lançamento na Alemanha?

Um jornalista sueco submeteu-o ao “Teste do Alce” que consiste numa manobra  rápida para desviar o carro de um alce hipotético na estrada para a faixa da esquerda e depois voltar para a da direita, a 80 km/h. O Mercedes, estreito e alto, capotou.

ESC no SUV mercedes classe a teste alce

A fábrica solucionou rapidamente a questão equipando o carro com o dispositivo eletrônico de estabilidade, o ESC. Problema resolvido!

Assim como o Classe A, todos os carros mais altos, como os SUVs, correm maior risco de tombar ou derrapar na curva ou numa manobra mais brusca ao volante.

Como controle de estabilidade funciona? Veja o vídeo

Por isso, a maioria deles vem equipada de fábrica com o ESC, até porque este equipamento é obrigatório em diversos países. O Brasil, atrasado como sempre na legislação de segurança, só tornou o ESC obrigatório nos modelos fabricados a partir de janeiro de 2020.

E muitos dos nossos SUVs, nas versões mais baratas, ainda não são equipados com o dispositivo, por uma questão de custo. Então, quem compra um utilitário esportivo no Brasil neste ano (ou no início do próximo, porém produzido em 2019), corre o risco de levar para a garagem um carro com centro de gravidade elevado, que deveria até ter sua fabricação proibida se não tiver o ESC.

Então, quem estiver comprando um SUV neste final de ano ou no início do próximo, precisa ter certeza de que:

  • Já vem equipado com o ESC se foi fabricado em 2019;
  • Ao comprá-lo no próximo ano, já se trata de um modelo efetivamente produzido em 2020, quando o ESC se torna obrigatório.

Foto Reprodução

SOBRE
15 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Sandoval Capibaribe 20 de dezembro de 2019

    Olá caro Boris, Tenho uma ecosport 2012, XLT, sei que não tem esse sistema de segurança, a eco pode capotar em curvas, caso eu venha baixar o carro deixando 15cm mais baixa, eu poderia melhorar esse problema na minha ecosport e trazer mais segurança.
    Fico muito grato.

    • Avatar
      Roberto Carlos 22 de dezembro de 2019

      Rebaixar 15cm? Só se você serrar o teto dela e colocar pneus de carro de mão. O teste psicológico das CNH deveria ser mais rígido…

  • Avatar
    Nelson 20 de dezembro de 2019

    Boa matéria, avisa aos que tem menos conhecimento que os modelos de 2019 para trás podem ter ou não o ESC, e que os 2020 terão obrigatóriamente.Vida dificil a de editor em um pais que 10% sabem redação.

  • Avatar
    Pablo 19 de dezembro de 2019

    Que pena ! Parecia uma matéria interessante , mas ficou pobre e despretensiosa . Com todo respeito melhore as matérias colocando as coisas mas definidas e até mesmo dando exemplos mais atuais .

  • Avatar
    Alexandre Garcia dos reis 19 de dezembro de 2019

    Comprei um hrv 19/19 e vem equipado com o controle de estabilidade. O mecânico da honda inclusive falou que é para deixar sempre ligado. Não entendi porque não comprar 2019, se alguns veículos já vem com o esc, fabricados em 2019.

  • Avatar
    Ju 19 de dezembro de 2019

    Seria melhor ter falado/listado quais são os SUVs que não têm o ESP/esc

  • Avatar
    Helder 19 de dezembro de 2019

    Matéria bem superficial. Parece algum receio diante das montadoras? Na minha opinião poderia ser mais específico é falar no mínimo dos suvs mais vendidos (dar nome aos bois). Acabei de ler a matéria com aquela sensação ” então de quais suvs produzidos em 2019 devo fugir?”

  • Avatar
    João 19 de dezembro de 2019

    O problema é que tem gente comprando o chinês X60 achando que é igual a uma VOLVO XC60.

  • Avatar
    Glauro Priori Campello 19 de dezembro de 2019

    Por favor faça uma reportagem sobre a Spin 2020. Não me consta que um carro familiar, possua ESC no modelo 2020!!!

  • Avatar
    Glauro Priori Campello 19 de dezembro de 2019

    Boris. Leio sempre seus comentários mas tenho notado muita falta de contemporaneidade neles. Comparar os SUVs atuais com VERANEIO?? KOMBI??
    Porque não comparar também com um um Ford T?
    Ou uma F150, “Marta Rocha”?

    • Avatar
      José Carlos de Paiva 19 de dezembro de 2019

      Concordo.
      O autor está muito desatualizado.
      Tem exemplos do Ecosport, pick up, etc.

  • Avatar
    Glauro Priori Campello 19 de dezembro de 2019

    Boris. Leio sempre seus comentários mas tenho notado muita falta de contemporaneidade neles. Comparar os SUVs atuais com VERANEIO?? KOMBI??
    Porque não comparar também com um um Ford T?
    Ou uma F150, “Marta Rocha”?

  • Avatar
    Fabio 18 de dezembro de 2019

    Muito bem escrito, Emerson. O título da matéria diz uma coisa e, ao ler entende-se outra coisa. Lembrando: o Focus de 2011 já vinha com o dispositivo. Era tão melhor que os concorrentes e, tão mal divulgado, que a Ford na duvida entre piorar o carro ou tirar de linha, fez a segunda opção!

    • Avatar
      Lourdes 19 de dezembro de 2019

      Verdade Fabio!

  • Avatar
    Emerson 18 de dezembro de 2019

    Caro Boris, o título mais adequado para a vossa matéria não seria “Fuja dos SUV sem controle de tração é estabilidade”?? Pois não vejo muita relação a fabricação 2019 com não ter controle de tração é estabilidade, existe veículos produzidos antes de 2019 que possuem tal recursos é alguns que não possuem. Se o intuito é informar a obrigatoriedade desse importantíssimo item de segurança ativa para os SUV, o interessante é dar um título mais direto é incisivo, eu por exemplo fui ler a matéria achando uma coisa e quando li a matéria no que trata se de outra.

Avatar
Deixe um comentário