Líder pagava R$ 2.000 para economizar R$ 500

Por BORIS FELDMAN22/05/18 às 11h00

A Seguradora Líder usou de pressões econômicas e outras maracutaias para desviar uma quantia astronômica da arrecadação do DPVAT.

[TRANSCRIÇÃO]

O deputado federal Cabo Sabino resolveu abrir o verbo contra a Seguradora Líder, aquela da maracutaia do DPVAT. Ele disse ter participado de uma CPI, uma Comissão Parlamentar de Inquérito, para apurar os desvios de verbas na Líder e, de repente, percebeu uma curiosa pressão econômica que foi afastando todos os deputados e a CPI simplesmente morreu.

Descobriram que, várias vezes, a seguradora se fazia de vítima de fraude e que o acidentado pedia, por exemplo, uma indenização de R$ 1.000. A Seguradora agia com firmeza e reduzia os R$ 1.000 pela metade, pagava apenas 500 reais. A Líder só não explicava que para isso ela tinha contratado um advogado da “patota” que recebia dois mil reais pelo serviço prestado. E,  foi assim com dezenas de prestadores de serviços que desviaram bilhões e bilhões de reais dos nossos bolsos.

A Seguradora Líder

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário