Malandragem criminosa no usado: ABS e airbag

Ação inescrupulosa pode colocar ocupantes do automóvel adulterado em risco

Por BORIS FELDMAN25/04/18 às 16h33

Dois sistemas eletrônicos de segurança tornados obrigatórios em todos os automóveis vendidos no Brasil são o ABS e o airbag. O primeiro está no circuito hidráulico dos freios e impede as rodas de se travarem quando o motorista pisa com muita força (numa situação de emergência) no pedal. Os airbags são as bolsas infláveis que ficam embutidas e se inflam para proteger motorista e passageiro no momento de um impacto.

Ambos dispõem de luzes de alerta no painel. Que se acendem quando o motorista vira a chave de ignição e se apagam segundos depois. A finalidade: ao se acenderem, demonstram que estão “vivas”, ou seja, as lâmpadas não se queimaram nem estão com mau contato nem qualquer outro problema elétrico que esteja impedindo-as de se acenderem. Ao se apagarem, estão indicando de que não há problema no sistema. Ou seja, tanto airbags como os freios ABS estão em ordem e prontos para funcionar quando necessário.

Entretanto, ambos são muito caros por serem sofisticados e contarem com componentes importados em sua fabricação. Quando ocorre um defeito no freio ABS sua lâmpada de alerta se acende no painel. No caso do airbag, ela pode se acender ou por um problema no sistema de acionamento ou porque ela foi inflada num acidente e, portanto, inoperante.

Como os freios ABS custam muito caro para serem reparados e os airbags mais ainda para serem substituídos (não há possibilidade de se reaproveitar a bolsa que já foi inflada), chega o momento da maracutaia. O dono do carro não permite o reparo nem a substituição do dispositivo, mas, se o carro vai ser vendido, a luz (ou as luzes) ficam acesas no painel, alertando para o problema. A solução mais “tosca” de enganar o freguês é desligar a lâmpada para evitar o alerta. Entretanto, fácil de perceber pois, se ela não se acende ao ligar a ignição, é sinal de que tem problema no sistema.

A mais sofisticada é puxar o fio do dispositivo que continuou funcionando (ABS) para a lâmpada do outro (airbag). As duas lâmpadas se acendem e apagam, mas o carro não tem os airbags, embora o motorista tenha a impressão de que está tudo em ordem. Uma operação criminosa, não?

ABS e airbag podem ser alvo de picaretagem

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário