Motor a etanol: por que nunca houve um projeto para ele?

Na década de 80 surgiu o Pró-Álcool, que buscava implementar os motores a álcool, ao invés dos motores derivados do diesel

Por BORIS FELDMAN08/11/18 às 23h30

Volta e meia, os motoristas da velha guarda se perguntam o que houve com o projeto de produção do motor a etanol. Desde a década de 80, aconteceram uma série de fatores que adiaram sua produção, veja:

[TRANSCRIÇÃO]

Volta e meia o pessoal me pergunta: mas o que foi feito do motor a álcool? É a turma da velha guarda, que ainda se lembra do Pró-Álcool. Quando praticamente todos os motores dos nossos automóveis foram adaptados para o etanol. Porém, no fim da década de 80, faltou  álcool nos postos e ninguém quis mais saber dele. Até que veio o motor flex em 2003, que dá ao motorista a possibilidade de escolher entre os dois combustíveis.

Mas vem a pergunta: se o motor fosse projetado pra queimar só etanol, ele não seria mais eficiente que o motor flex, que é uma adaptação do motor a gasolina? Sim, seria. Mas exigiria um projeto de centenas de milhões de dólares. Ora, como só no Brasil existe o carro que funciona apenas com o etanol, não compensa para a fábrica nenhuma tamanho investimento pro motor que só poderá ser utilizado no Brasil.

Motor a etanol

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

1 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Rodrigo 9 de novembro de 2018

    Vcs já ouviram falar do motor mpfi 1.5 a álcool fabricado até 2005.

Deixe um comentário