Golpe da placa é dos antigos, mas ainda acontece

Muitos não imaginam que caíram no antigo golpe da placa, até que o assaltante aponta a arma e anuncia o assalto

Por BORIS FELDMAN29/07/18 às 09h00

Você conhece o golpe da placa? Pois deveria. O Boris dá o toque:

[TRANSCRIÇÃO]

O golpe da placa é manjado, já existe há muito tempo, mas muitos motoristas nem imaginam que pode estar acontecendo. Com o carro ainda parado, em um estacionamento no shopping ou na rua, sem ninguém no seu interior, os marginais tiram a placa dianteira e esperam o dono chegar, ligar o carro e sair.

Eles vão acompanhando, com uma moto ou com outro automóvel, até que em um determinado momento, alguns quilômetros depois, eles emparelham com o carro e mostram a placa para o motorista.

Ele reconhece a placa do carro, e tem certeza de que ela caiu lá atrás e que os dois foram extremamente gentis em pegá-la no chão e ainda sair atrás do carro para devolvê-la. E ainda pensa que hoje é o dia de sorte dele, até ele encostar o carro e os marginais, além da gentileza em devolver a placa, ainda apontar a arma, e avisar que se trata de um assalto.

assalto ladrão roubo golpe da placa carro

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

3 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Carlos Minkap 30 de julho de 2018

    E o pior ainda é vc levar uma multa neste meio tempo pois está sem a placa dianteira.

    Não poderia ser pior.

  • Antônio Sávio 29 de julho de 2018

    As autoridades, tomando providência, evitarão que isso sempre ocorra, espero que isso possa ser solucionado

  • Antônio Sávio 29 de julho de 2018

    É um absurdo,a atitude desses marginais,fazem com os motoristas,as autoridades tem que dar um fim nisso, ainda bem, que estão fazendo isso.

Deixe um comentário