Como anda a nova Yamaha XTZ 250 Lander ABS 2019

A nova Lander ficou mais robusta, equipada com banco em dois níveis, novo tanque, conjunto dianteiro com iluminação em led e freio dianteiro com ABS

Por Teo Mascarenhas18/01/19 às 18h45

Depois de uma década sem alterações significativas, a Yamaha Lander, de utilização mista – asfalto e terra – passa por uma completa metamorfose. A nova geração, batizada XTZ 250 Lander ABS 2019, que chegou ao mercado em janeiro, com preço sugerido de R$ 16.990 (sem frete) também representa uma fusão com a Ténéré 250, que sai de linha.

O visual foi nitidamente inspirado na “irmã” maior XT 660R, inclusive com novo tanque de combustível, com capacidade aumentada de 11 para 13,6 litros e tampa estilo aviação, além de abas laterais, novo conjunto de farol em full LED, protetores da suspensão e conjunto de para-lamas. Uma espécie de compactação dos dois modelos, resultando em um terceiro.

Yamaha XTZ 250 Lander ABS 2019: reformulação depois longo período

As mudanças também passam pelo banco, agora mais largo e em dois níveis (que exigiu mudanças no quadro em tubos de aço), além de alças de apoio em alumínio para o passageiro. A nova ergonomia se completa com guidão em posição ligeiramente diferente proporcionando maior conforto em jornadas mais longas

Esta configuração também visa suprir a ausência da Ténéré 250 com mesmo conjunto mecânico, porém, mais “asfáltica”, inclusive com kit oficial de acessórios touring composto de pára-brisa, bagageiro, bauleto e protetor de motor.

Yamaha XTZ 250 Lander ABS 2019: motor tem nova injeção

Painel digital

O painel digital  foi modernizado e agora conta com o computador de bordo que indica consumo instantâneo e médio, além de conta-giros e relógio de horas e as outras informações de praxe. A iluminação em LED também está presente na luz de posição, setas e lanterna traseira.

O novo modelo ficou bem mais encorpado, mas, conserva as rodas em aço com aro de 21 polegadas na dianteira e 18 na traseira, calçadas com pneus 80/90 e 120/80 respectivamente. Porém, a roda dianteira agora conta com sistema ABS de série, para o disco de 245 mm com pinça de duplo pistão.

Yamaha XTZ 250 Lander ABS 2019: painel digital

XTZ 250 Lander ‘na mão’

Com isso, o modelo ficou 5 mm mais baixo. Pode parecer pouco, mas a tocada no asfalto mudou radicalmente. A nova Lander ficou mais confortável e na “mão”, inclusive para rodar em pé. Durante o trajeto de experimentação, também rodamos em estradas de terra entre os estados de São Paulo e Minas, através da espetacular Serra da Mantiqueira e aí, em situações bem extremas e radicais, “aquele” curso a mais na suspensão, ficou na lembrança. Outra lembrança é a do motor, agora com partes pintadas em preto, assim como o escape e a balança traseira.

O robusto propulsor flex de um cilindro e 249,5 cm³ ganhou nova injeção eletrônica, com injetor de 10 furos e melhor aproveitamento. Ele é equipado com arrefecimento a ar e óleo e duas válvulas e fornece 20,7 e 20,9 cv a 8.000 rpm quando abastecida com gasolina e etanol, respectivamente, e um torque de 2,1 kgfm a 6.500 rpm, para ambos combustíveis.

As retomadas permitem boa recuperação de velocidade, sem utilizar tanto o câmbio de cinco marchas, mas, o óleo agora recomendado é o semissintético 10W 40. As cores são azul, branco e preto.

Fotos Yamaha | Divulgação

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
13 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • ricardo 19 de janeiro de 2019

    essa moto ficou muito linda viu.

  • Andre 19 de janeiro de 2019

    Eu desconfio que a direção da Honda paga um por fora para os dirigentes da Yamaha.
    Só isso para explicar tanto amadorismo.

    Agora o computador de bordo tem média de consumo, …., igual carros na década de 80. Nossa….

    Painel horroroso, vagabundo, de péssima qualidade e gosto. O da antiga tenere dava de 10 a 0.

    ABS só na dianteira….

    Enfim, teria sido muito melhor modernizar as duas linhas, Lander e tenere. A Honda continuará líder por milênios, graças ao presidente da Yamaha Amadores do Brasil – YAB.

    • Jurandir 20 de janeiro de 2019

      – Concordo em grau e nº!
      – Chega de MEDÍOCRIDADES PELO AMOR DE DEUS!

    • Fellipe 21 de janeiro de 2019

      Esta certo..mas tbm está errado…o erro e confiar que uma moto da Honda..por ter mais recursos eletrônicos e melhor..no dia que o seu motor travar, mesmo com as trocas de óleo em dia…vc vai sentir falta da Yamaha..porque eles são especialistas em mecânica…a Honda e só fachada..uma moto com garantia de 1 ano é suspeita ne? Ja Yamaha 5 anos…mas boa compra depois me conta quantas vezes foi pra retifica..kkkk

  • samin 19 de janeiro de 2019

    e tudo isso nao trinca o cabeçote o seguro mais barato e mais barato que a xre ficou do caralho e com manutenção baixa ainda por ser o mesmo motr pq aqui no brasil nao ta ficil

  • Lucio Antonio Martins 20 de janeiro de 2019

    Acho que eles poderiam ter mexido na ténéré 250 também.Utilizando o motor da MT 03 e lançando uma com 320 cc para brigar com a kawasaki versys 300 ,bmw gs 320,etc.Agora o que faltou na minha opinião foi não ter abs nas duas rodas,isso eu não entendi.Será que iria ficar tão caro assim o modelo? Acho que não.Para finalizar,esse motor de 250 cc é muito fraco.Só para piloto sem garupa,e dentro da cidade.Pontos positivos: design,economia,robustez do motor.Pontos negativos: motor fraco,falta de abs traseiro.

  • ROBSON DE OLIVEIRA 21 de janeiro de 2019

    estava pensando até comprar uma lander mais vi que tem um abs só , ea nmax que pussuo 2018 , a nas duas rodas e tem mais recursso do que a nova lander

    • Diego Pereira 23 de janeiro de 2019

      ta coloca abs nas duas rodas e dai como vc vai travar a roda traseira no off road? ABS é para os fracos na pilota

  • Diego Souza 22 de janeiro de 2019

    “FranksLander”… Motinho sem alma, sem essência… Se cobrassem um valor de 14 conto, ainda assim estaria caro, mas justificável, agora 17 conto sem frete?! Ainda falam mal da nova XRE. Comparem no detalhe, e tirem suas próprias conclusões. Não uso Honda, não sou fã de Honda, mas indiscutivelmente, a nova XRE é um produto muito superior a essa nova Lander, e em custo benefício, também sai muito na frente…

  • durva 22 de janeiro de 2019

    qto papo furado tanto uma como a outra tem tem pros e contra ,dizendo q o motor é o coração então ,mas gostoé gosto e nao se discute.

  • Pinto Mole 26 de janeiro de 2019

    Em resumo, de Lander não tem nada, mataram a moto ao invés de dar um enterro digno.. isso ai é uma crosser 250, simples assim.
    Agora, praticamente estamos sem opções de motos trail, banco estreito, tanque, leve etc e tal…
    Podia ter dado um up na tenere, em direção ao conforte, mais voltada para estrada etc.. e na Lander, algo como um lado mais rebelde que encara as ruas no dia a dia para sumir nas trilhas no final de semana… enfim.. vai entender esses caras, pra mim, eles simplesmente não respeitam o nosso mercado.

  • edson jose elias 30 de janeiro de 2019

    o grande problema da yamaha no brasil e o fato de deixar seus compradores orfao ou seja lança muitos produtos e em seguida tira de linha como pode ter descontinuado seu produto que mais vendia no caso a tenere 250 seria a mesma coisa que a honda tirar de linha a bros 160

  • jeberson 4 de fevereiro de 2019

    tenho uma crosser 150 motor muito boa, vou compra uma de maior potencia mais essa lander, ta muito cara a xre 300 em manaus ta o mesmo preço praticamente 18.200 a lander 19.600 xre 300 , vou compra a 300 claro.

Deixe um comentário