Autônomo da Uber pode ser ‘inocente’ em atropelamento

De acordo com a chefe da polícia que investiga o caso, não havia tempo hábil nem para motorista humano evitar o acidente

Por AutoPapo20/03/18 às 11h23

A polícia de Tempe, no Arizona (EUA), acredita que o  carro autônomo da Uber pode ser “inocente” em atropelamento que aconteceu no último domingo (18) na cidade. Segundo noticiado pelo jornal San Franciso Chronicle, a chefe da polícia local, Sylvie Moir, investigações preliminares apontam que não havia tempo hábil para o acidente ser evitado.

“Está muito claro que seria evitar a colisão tanto no modo autônomo quanto com um humano dirigindo, baseado em como a vítima saiu de uma área com sombras direto para a autopista”, afirmou Sylvie à publicação.

As investigações do caso são baseadas nas imagens registradas por meio de duas câmeras do próprio veículo, um utilitário esportivo (SUV) XC90,  fruto de uma parceria da Volvo com a Uber.  Ele trafegava a 38 milhas por hora (60km/h) em uma via cuja velocidade máxima era 35 milhas por hora (56 km/h).

Os carros autônomos da companhia sempre rodam com uma pessoa atrás do volante. Segundo o “motorista”, tudo aconteceu como um flash. “O primeiro alerta de colisão soou junto com o som do impacto do atropelamento”, disse a chefe da polícia.

Carro autônomo da Uber pode ser inocente em atropelamento
Volvo | Divulgação

Entenda o caso

Na noite do último domingo (18), Elaine Herzberg, de 49 anos, foi atingida por um veículo autônomo da Uber quando atravessava fora da faixa. Ela chegou a ser socorrida e levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu. A Uber suspendeu a circulação de todos os seus carros autônomos enquanto o acidente está sob investigação.

Veja mais sobre:


0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário