Câmbio sequencial: aprenda a usar

A troca sequencial do câmbio automático vai além da sensação de esportividade, ela pode incrementar a segurança. Entenda como!

Por AutoPapo13/09/18 às 13h45

Muitos carros com transmissão automática têm a troca de marchas sequencial – por meio da alavanca ou borboleta atrás do volante. Essa função vai além da esportividade, ela incrementa a segurança. Aprenda a usar o câmbio sequencial. Confira!

O câmbio automático é mais confortável, evita de você pisar na embreagem, passar as marchas… Mas você está enganado se você acha que ele eliminou aquela possibilidade do câmbio manual, de você reduzir as marchas pra ter mais segurança. Porque em alguns carros mais modernos, o câmbio sequencial tem a troca de marchas por meio das aletas, das borboletas. Na estrada, na hora da ultrapassagem, você reduz. Vai chegando numa curva, quer reduzir sem abusar dos freios, você também reduz as marchas. Isso é possível no câmbio sequencial

O funcionamento do câmbio sequencial é supersimples: para reduzir a marcha, por exemplo, basta pressionar borboleta, ou a aleta, e automaticamente já vai reduzir.Vai dar mais giro e o motor vai ter mais força. Em uma descida, por exemplo, você pode usar o freio motor da mesmíssima maneira: você pressiona borboleta, ele vai reduzir, e, dessa maneira, vai poupar o sistema de freio.

Há a possibilidade também de assumir totalmente a operação do câmbio automático, fazendo apenas trocas sequenciais: basta deslocar alavanca,normalmente, para um dos lados e fazer as trocas por meio das borboletas.

Câmbio sequencial pode incrementar a segurança

Outros modos de câmbio sequencial

Cada marca adota seu próprio mecanismo para o funcionamento do câmbio sequencial. Há carros automáticos que têm câmbio sequencial que permitem as trocas manuais por meio de um botão na própria alavanca da transmissão. É o caso do Chevrolet Spin e Onix e do Ford Ka.

O que pode variar é como o acionamento é feito na alavanca. Alguns modelos adotam toques para frente para “subir” as marchas e para trás para redução. Outros invertem essa lógica. Algumas marcas, como a Chrysler, ainda apostaram em esquema mais pitorescos e pouco intuitivos, como a troca do câmbio sequencial deslocando a alavanca para os lados.

Foto Shutterstock

1 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Johann Strauss 15 de setembro de 2018

    Eu nunca comentei uma reportagem… Mas essa não teve como evitar. Muito ruim! Começando pelo erro de ortografia em “decida” quando se quis dizer “descida”. Não falou nada de útil como tirar ou não o pé do acelerador quando trocar a marcha, etc.

Deixe um comentário