Carros elétricos no Brasil: veja todos os modelos e preços

Fizemos um ranking de todos os carros elétricos vendidos no Brasil comparando preços, autonomia, desempenho e mais

Por Bárbara Angelo05/08/19 às 17h59

Depois do último Salão de São Paulo, os carros elétricos no Brasil deram um pulo. Se antes contávamos com apenas uma opção da categoria – que não deve ser confundida com a dos híbridos – agora são seis. O BMW i3, que a representava sozinho, passou a ser um dos mais caros entre as alternativas.

Contudo, entre os novos modelos que foram lançados durante o evento, nenhum pode ser considerado acessível. O problema não é exclusividade brasileira, já que veículos com essa estrutura são mais caros em todo o mundo. Claro, por aqui, devido à importação e impostos, o problema se agrava.

Ainda assim, estamos mais próximos da popularização de carros elétricos no Brasil do que antes. Na lista a seguir, veja as opções de carros elétricos no Brasil que já estão à venda e as que chegarão às lojas ainda este ano. Elas foram organizadas em ordem crescente de preço.

1. Renault Zoe

(Renault | Divulgação)
Modelo Renault Zoe
Preço R$ 149.990
Potência / torque 88 cv / 22 kgfm
Autonomia máxima 300 km (WLTP)
Velocidade máxima 135 km/h
Bateria 41 kWh
Forma de carregamento Carregador doméstico deve ser instalado
Recarga rápida 80% em 1:40 hora
Recarga completa De 2:40 horas a 7:18 horas

O Renault Zoe foi um dos carros elétricos no Brasil apresentado durante o Salão de São Paulo de 2018. O veículo já era vendido na Europa e, na ocasião, passou a ser oferecido no Brasil. Contudo, as vendas ainda não foram regularizadas.

Por enquanto, o modelo se encontra em pré-venda no site da marca. Em concessionárias da Renault em São Paulo (SP) e Curitiba (PR), é possível fazer um test drive do Zoe. A marca também informou, quando procurada pelo AutoPapo em novembro, que ainda não tinha planos de vender o veículo em outras cidades.

Outro porém é que o Zoe requer a instalação de um carregador doméstico próprio. O empecilho, contudo, também deve ser considerado para outros carros elétricos no Brasil. A razão é que, ainda que o carregador domiciliar não seja obrigatório, a recarga pode ser muito lenta sem ele.

No caso da Renault, o equipamento custa R$ 5.130 mais o custo da instalação

Principais equipamentos do modelo: quatro airbags; freios ABS; controle eletrônico de estabilidade (ESC); controle eletrônico de tração (ASR); monitoramento eletrônico da pressão dos pneus (TPMS); sistema Isofix; sensor de chuva; piloto automático com limitador de velocidade; e assistente de partida em rampa (HSA).

2. Dos carros elétricos no Brasil, JAC iEV40 é o segundo mais barato

JAC iEV40: Fizemos um ranking de todos os carros elétricos no Brasil comparando preços, autonomia, desempenho, equipamentos e outros detalhes.
(JAC | Divulgação)
Modelo JAC iEV40
Preço R$ 153.500
Potência / torque 115 cv / 30,6 kgfm
Autonomia máxima 300 km (NEDC)
Velocidade máxima 130 km/h
Bateria 40 kWh
Forma de carregamento Tomada de 220 volts
Recarga rápida 80% em 1 hora
Recarga completa 8 horas

O JAC iEV40 foi o penúltimo lançamento do tipo no país, tendo sido apresentado no início de 2019. Ele foi desenvolvido em parceria com a Volkswagen na China, de onde será importado para cá. O modelo já está em pré-venda no site da marca chinesa, com previsão de chegar às lojas em julho.

Entre os carros elétricos no Brasil, ele já foi o mais acessível. Quando chegou, custaria R$ 129.990, depois passou para R$ 139.990 e, agora, é oferecido por R$ 153.500. Assim, se tonou o segundo mais barato do país.

Os principais equipamentos do modelo são: garantia de cinco anos, incluindo para as baterias; freios ABS; distribuição eletrônica de frenagem (EBD); monitoramento eletrônico das pressões dos pneus (TPMS); assistente de partida em rampa (HSA); ar-condicionado automático; monitoramento e controle de funções a distância com aplicativo de celular exclusivo; e central multimídia com câmera 360º.

Saiba mais sobre o iEV40 aqui.

3. Chevrolet Bolt

Chevrolet Bolt: Fizemos um ranking de todos os carros elétricos no Brasil comparando preços, autonomia, desempenho, equipamentos e outros detalhes.
(Chevrolet | Divulgação)
Modelo Chevrolet Bolt
Preço R$ 175.000
Potência / torque 203 cv / 36 kgfm
Autonomia máxima 383 km (EPA)
Velocidade máxima 148 km/h
Bateria 60 kWh
Forma de carregamento Tomada de 220 volts ou carregador doméstico
Recarga rápida 80% em uma hora (carregador)
Recarga completa

A Chevrolet também já entrou na onda dos carros elétricos no Brasil e trouxe para cá seu compacto Bolt. O modelo foi equipado com um sistema similar ao e-Pedal da Nissan. Quando o motorista solta o pedal do acelerador, o veículo freia. Assim, é possível controlá-lo com apenas um pedal quando este modo de condução está ativado.

Durante o lançamento do veículo, no Salão de São Paulo, o preço sugerido pela marca foi de R$ 175 mil. De acordo com a Chevrolet, ele começará a ser vendido em outubro, e com o mesmo preço do lançamento. Contudo, a data de entrega dos veículos continua indefinida.

A marca também não divulga os tempos de recarga do Bolt de forma ortodoxa. Anteriormente, a Chevrolet informava a autonomia de 520 km em ciclo NEDC. Agora, cita 383 km em ciclo EPA.

Segundo os dados disponíveis sobre mais este dos carros elétricos no Brasil, uma hora de carregamento em uma tomada de 220 volts dá ao veículo autonomia para 40 quilômetros. Se estiver conectado a um carregador próprio, serão 145 quilômetros em 30 minutos de recarga; ou 80% da carga em uma hora.

Se considerarmos que a autonomia máxima anunciada pela Chevrolet é de 510 quilômetros, podemos calcular que o Bolt precisaria de 9,6 horas para alcançar 100% da carga em tomada de 220 v.

Entretanto, esse dado é uma mera estimativa levando em conta os resultados da autonomia em ciclo EPA, e não correspondem aos dados oficiais.

Na lista de equipamentos do Chevrolet Bolt estão 10 airbags; câmera de ré; câmeras nos retrovisores; alerta de colisão frontal; frenagem automática para pedestres; e assistente de permanência em faixa.

4. Nissan Leaf

Nissan Leaf: Fizemos um ranking de todos os carros elétricos no Brasil comparando preços, autonomia, desempenho, equipamentos e outros detalhes.
(Nissan | Divulgação)
Modelo Nissan Leaf
Preço R$ 195.000
Potência / torque 149 cv / 33 kgfm
Autonomia máxima 389 km (NEDC)
Velocidade máxima 143 km/h
Bateria 40 kWh
Forma de carregamento Cabo portátil ou carregador doméstico
Recarga rápida 80% em 40 minutos
Recarga completa 20 horas (cabo) ou 8 horas (carregador)

O Nissan Leaf é o elétrico mais vendido do mundo, e também a opção mais antiga da categoria. Ele foi lançado em 2010, e demorou para se tornar um dos carros elétricos no Brasil. No site da Nissan, ele ainda está em pré-venda, fase de comercialização na qual se encontra desde novembro, quando foi apresentado no Salão de São Paulo.

Inicialmente, o compacto era oferecido em pré-venda por R$ 178.400. Contudo, em julho, a segunda geração do modelo chegou ao Brasil, e as vendas normais foram iniciadas por R$ 195 mil.

O Nissan Leaf está disponível em sete concessionárias da marca no Brasil, nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Porto Alegre e Florianópolis.

Entre os equipamentos, estão alerta de tráfego cruzado; alerta de ponto cego; assistente de mudança de faixa; e assistente de partida em rampa. O japonês também conta com o sistema e-Pedal, que coloca a tecnologia de frenagem regenerativa no pé do motorista.

Com ele, o condutor utiliza apenas um pedal: quando para de acelerar, o Nissan Leaf freia automaticamente. Saiba mais sobre este veículo.

5. BMW i3 é o mais caro entre carros elétricos no Brasil

bmw i3
(BMW | Divulgação)
Modelo BMW i3
Preço R$ 205.950 a R$ 257.950
Potência / torque 170 cv / 25 kgfm
Autonomia máxima 335 km elétrico e 440 com extensor (NEDC)
Velocidade máxima 150 km/h
Bateria 42,2 kWh
Forma de carregamento Tomada de 230 volts ou carregador doméstico
Recarga rápida 80% em 39 minutos (carregador) ou 6 horas (tomada)
Recarga completa

O BMW i3 foi o primeiro elétrico a ser vendido para o público no país e, por muito tempo, representou a categoria dos carros elétricos no Brasil sozinho. Para carregar o i3, o motorista pode utilizar uma tomada doméstica de 230 volts. Outra opção é comprar o carregador da marca, que acelera o tempo de carregamento.

Procurada pelo AutoPapo, a fabricante não soube informar qual é o tempo necessário para recarregar a bateria completamente. Incluiremos a informação na matéria quando ela for obtida.

Ele é oferecido em três versões por aqui: BEV (R$ 205.950); BEV Connected (R$ 229.950); BEV Full (R$  237.950); e Rex Full (R$ 257.950). Atualmente, o BMW i3 só é vendido por encomenda.

Um diferencial do modelo entre os carros elétricos no Brasil é que, apesar de totalmente elétrico, ele é equipado com um extensor de autonomia na versão Rex Full, que é um motor a gasolina. A função dele é gerar energia para alimentar o motor elétrico. Assim, a autonomia do Rex Full usando apenas o motor elétrico é de 290 quilômetros. Com a energia do extensor, ele pode rodar até 440 km.

Pelo fato de esse motor a combustão ser usado apenas para alimentar a bateria e não gera tração para as rodas, o modelo não é considerado um carro híbrido, como poderia-se pensar.

Os principais equipamentos do i3 são um sistema de funções remotas BMW Connected; frenagem automática em ciclo urbano; e assistente de estacionamento. Confira nossas impressões ao volante do i3:

6. Jaguar I-Pace é o mais caro entre carros elétricos no Brasil

Jaguar I-Pace
(Jaguar | Divulgação)
Modelo Jaguar I-Pace
Preço R$ 437.000
Potência / torque 400 cv / 696 kgfm
Autonomia máxima 470 km (WLTP)
Velocidade máxima 200 km/h
Bateria 90 kWh
Forma de carregamento Carregador 100 kW ou 7,4 kW
Recarga rápida 80% em 40 minutos (100 kW)
Recarga completa

O Jaguar I-Pace foi o último dos carros elétricos a chegar no Brasil, lançado em maio de 2019. Ele é o mais caro – de longe – da categoria, mas também se caracteriza por ser um utilitário esportivo de luxo com performance destacada.

O SUV elétrico tem tração nas quatro rodas e pode chegar a 100 km/h em 4,8 segundos. Ele pode ser “abastecido” em um carregador mais potente, de 100 kW, no qual demora 40 minutos para obter 80% da energia.

Ele também pode ser recarregado com 7,4 kW, mas, neste caso, vai demorar 10 horas para alcançar 80% do carregamento. A Jaguar também não informa o tempo necessário para a carga completa em nenhuma das situações.

Os principais equipamentos do I-Pace são central multimídia avançada Touch Pro Duo com duas telas, modos de condução, painel de instrumentos de 12 polegadas digital, e um sistema de reconhecimento e adaptação ao estilo de direção de cada motorista, entre outros.

Veja as impressões de Boris Feldman ao volante de mais essa opção entre os carros elétricos no Brasil, o Jaguar I-Pace, e leia a matéria dele aqui.

Matéria atualizada, publicada originalmente em 01/04/2019

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (53 votos, média: 4,13 de 5)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
41 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    José Aldo Carvalho Vieira 14 de agosto de 2019

    Os carros elétricos no nosso Brasil está mais próximo que muitos imaginam, com o acordo Mercosul união europeia o país tem que se adequar a normas internacionais, entendeu porque os governos anteriores não assinaram esse acordo? Queriam nós manter eternamente subimissos a escravidão financeira para continuar perpetuando no poder.

  • Avatar
    MARCELO 8 de agosto de 2019

    Os carros elétricos tem mesmo que ser todo cheio de frescura para encarecer? Por que não pode ser igual um popular com 2 Air bags, ar condicionado e travas elétricas? Só a economia que tem no motor em não ter várias peças, já seria suficiente pra ser mais barato que um Up ou qualquer outro carro popular. Mas os fabricantes querem vir com GPS, piloto automático, etc pra se “diferenciar” dos carros a gasolina. Pow. Utiliza energia elétrica, já eh um grande diferencial.

  • Avatar
    Anderson Lemos 6 de agosto de 2019

    O problema do carro elétrico no Brasil é o … Brasileiro!!! Que contínua votando em políticos que não tem nenhum interesse em impulsionar o país mas apenas encher os bolsos seus e de seus familiares…

  • Avatar
    Marcelo Rodrigues Rannov 29 de julho de 2019

    Gostei da maneira, e conteúdo apresentado.
    Parabéns
    Sucesso a equipe.

  • Avatar
    Paulo A Franke 28 de julho de 2019

    A descrição do sistema do BMW i3 Rex Full está errada, e contraditória.

    O motor a combustão do i3 não alimenta o motor elétrico. O extensor de alcance do i3 alimenta apenas a bateria de bordo.

  • Avatar
    RICARDO RODRIGUES DA SILVA 28 de julho de 2019

    País ridiculo, preço fora da realidade de 95% da população,o carro deveria ter impostos quase zero, mas o estado “precisa” de sua fatia. Ridiculo.

  • Avatar
    Antenor Campos 15 de julho de 2019

    Podem aguardar que os carros elétricos vão dominar o mercado e estas carroças poluentes que temos hoje vão ser peças de museu . Não compre carro a combustão agora aguarde a chegada dos modelos elétricos que teremos vários correntes e isenção de impostos. Não adiantará tentarem remar contra a maré . O futuro dos carros é elétrico. Sem choro !

  • Avatar
    Robson 11 de julho de 2019

    Aguardando o dia em que a ganância das montadoras diminua e esses carros passem a custa o preço que valem pra eu comparar um

  • Avatar
    Sérgio godinho 21 de junho de 2019

    Porque carros elétricos já não vem com células fotovoltaicas? Assim carregaria a bateria com o carro andando ou parado, elevando sua autonomia

  • Avatar
    Keppler Christiani Maroja Di Pace 16 de junho de 2019

    Preciso muito começar a usar um carro elétrico pois além de precisar não queria morrer sem ter esse previlégios de usufruir da chegada da nova era aqui no Brasil !!

  • Avatar
    Isma sima 14 de junho de 2019

    Toda a nossa conversa se resume em papo de buteco … Por maís criatividade que temos …. Vcs não não falaram do mior e mais grave problema dos carros elétricos,…………. Infelizmente não há interesse político acabá aqui toda a sua criatividade. Se nossa educação não mudar os futuros político s do mundo

  • Avatar
    ANÔNIMO 8 de junho de 2019

    No Brasil, esse tipo de carro não deve ficar popular tão cedo, graças aos LOBBY das atuais montadoras que dominam o mercado nacional… assim como, não temos ferrovias ligando todo o país… nisso, os “representantes do povo” seguem de boa!!

    • Avatar
      Sergio 21 de junho de 2019

      Lobby maior será da Petrobrás e demais petroleiras pelo mundo

  • Avatar
    ronaldo 4 de junho de 2019

    as pessoas estão preocupadas com o combustível fóssil, muito bem.
    estas baterias são compostas de materiais radiativos, onde iremos descartar este lixo.

    Ascânio.

    • Avatar
      LAERTE ROZA SOARES 21 de julho de 2019

      No espaço sideral. Afinal já conquistaram o espaço.

  • Avatar
    Pedro correa 2 de junho de 2019

    Qual quer carro no brasil vc paga 3 pelo preço de 1 , utopia esses carros em nosso pais q explora de todas as formas possiveis o povo brasileiro .

  • Avatar
    Marco A S L 30 de maio de 2019

    Pessoal, olha como mentem para o Brasil… um deste Zoe (lixo Renault) custa $21.220 euros, enquanto que um Honda, Kia, ou BMW custa $22.000 a 24.000 dollares aqui nos Estado Unidos (carros muito superiores e duraveis). envio as fotos e os links dos sites das lojas pra voces verem… aqui tem carregador nas farmacias e nos supermercados, em cada quarterao. entao so ‘e coisa do futuro para o Brasil, que os antigos politicos escravisaram. agora estao fazendo propaganda de lixos de carros pra tentar empurrar para o pessoal no Brasil a preco de ouro.

    • Avatar
      Eliane 17 de julho de 2019

      Escravizada não, continuam escravizando não acho solução para o Brasil, infelizmente

  • Avatar
    Marco A S L 30 de maio de 2019

    Pessoal, eu gostaria de ajudar no que se refere a este assunto! Carros hibridos e eletricos, ja sao comuns e obsoletos aqui onde eu trabalho , fazendo manutencao e revisao, nos Estados Unidos. para voces terem uma ideia do quanto os antigos politicos fecharam as portas para os brasileiros, ainda nem chegaram bo Brasil e eu ja tenho uma empresa de manutencao (Oficina esclusiva) para este tipo de carro desde 2016 aqui. Garanto pra voces que a realidade ‘e bem mais comun e normal do que falam nestes anuncios, ai no Brasil.

    • Avatar
      José Aldo 14 de agosto de 2019

      Passa mais informações pra nós daí meu nobre, você que já está no ramo tem muito conhecimento a nos oferecer.

  • Avatar
    Urbano Cantalogo 28 de maio de 2019

    Acredito que os carros elétricos vieram para ficar. ” Uma sociedade que baseia sua energia em combustíveis fósseis está fadada a extinção” Nicolas Tesla.

  • Avatar
    anonimo 28 de maio de 2019

    sabe de nada inocente, TESLA em tua TESTA!

    • Avatar
      Urbano Cantalogo 28 de maio de 2019

      Sei muito pouco sobre Tesla.
      Gostaria de saber mais.
      Mas dê uma coisa eu sei que ele foi revolucionária, e muito dê seus documentos não foram divulgados.

  • Avatar
    ecio 21 de maio de 2019

    faltam as células fotovoltaicas no teto… o meu carro fica no sol o dia todo…

  • Avatar
    Ricardo 14 de maio de 2019

    Acho que o meu sonho já deve ser o de muita gente: placas fotovoltaicas em casa e um carro elétrico na garagem. Quando começou a indústria de celulares, os “tijolões” eram para poucos, mas agora é uma tecnologia que praticamente a maioria tem acesso, uns mais baratos e outros mais caros, claro. Essa é a tendência de praticamente todas as tecnologias. Então acredito que os automóveis elétricos com o passar do tempo também serão acessíveis para grande parte das pessoas, até porque os combustíveis fósseis não vão durar para sempre.

    • Avatar
      Urbano Cantalogo 28 de maio de 2019

      É verdade eu acredito nisso. Trabalho com energia solar fotovoltaica e existe um salto quântico na evolução da tecnologia de aproveitamento da energia solar.

  • Avatar
    Carlos Rufino 2 de abril de 2019

    Primeiro o BMW i3 não é carro “elétrico” e sim um híbrido ou eletrificado, essa conversa de autonomia eu vejo com estranheza, já que meu carro só percorre 380km com um tanque de gasolina, custa mais de 90.000 e é feio, enquanto os elétricos passam disso, tirando o i3, claro.

    • Avatar
      Darlan 12 de abril de 2019

      Aí você vai num posto em 15 minutos você enche o tanque e faz mais 380km, o elétrico leva em média 8 horas pra recarregar, no caso não seria tão prático.

      • Avatar
        Carlos Rufino 3 de maio de 2019

        Isso numa tomada doméstica de 10A, a culpa é das operadoras, já existem carregadores de rua que carregam em 15 minutos para 400km, estão testando carregadores que o fazem em 7 minutos, em pouco tempo estarão nas ruas também.

      • Avatar
        Jarbas 12 de maio de 2019

        nao tem energia nem.pro básico imagina pra renovar frota com carro eletrixo.rsrsfs

      • Avatar
        LAERTE ROZA SOARES 21 de julho de 2019

        Todos os dias carrego meu celular na tomada, agora só falta o carro!

      • Avatar
        Urbano Cantalogo 28 de maio de 2019

        O carregamento de uma bateria é a quantidade de carga que ela pôde acumular.
        Imagine uma caixa de água.
        Você pode encher ela em alguns minutos ou levar horas.
        O fluxo de água é semelhante a corrente que carrega a bateria. Quanto maior a corrente menor o tempo de carga.
        Então em um cálculo aproximado uma tomada de 10 Amperes em 220 volts daria uma potência de 2,2 Kwh. Por este motivo discordo que haja um equipamento que carregue em 15 minutos em uma tomada doméstica dê 10 Amperes.

      • Avatar
        Carlos Rufino 3 de maio de 2019

        Se eu pudesse, teria um Tesla Model X ou uma Rivian R1S, carregaria em casa mesmo a noite, estaria gastando cerca de 7 centavos por km rodado, não pagaria IPVA, não estaria sendo culpado por causar mais de 200 doenças cárdio respiratórias em meus vizinhos, nem AVC, microcefalia ou Câncer, e de sobra, não estaria poluindo o meio ambiente tanto quanto hoje. Não me incomodaria em levar oito horas para carregar, meu carro passa mais tempo que isso na garagem por noite, tenho que dormir, mas deixar de pagar 400 reais por viagem para 27 reais me enche de raiva por não ser mudança pra hoje.

      • Avatar
        Brasileiro 28 de julho de 2019

        Na questão da poluição eu descordo porque estes carros qdo forem descartados tem muito mais itens poluentes que os carros a combustão, sem falar que eles vão alterar suas células, provocar câncer por aí vai.

      • Avatar
        Vinicius 12 de maio de 2019

        Preste atenção na informação de recarga. Você faz a recarga rápida de 80% com 1 hora.

    • Avatar
      Ricardo 29 de junho de 2019

      Engano ! Ele é elétrico puro , seu motor a combustão e para gerar eletricidade e não influencia na tração do veículo diretamente

  • Avatar
    Sergio 1 de abril de 2019

    O segundo maior problema de um carro elétrico, sendo o primeiro o preço, é a autonomia.

    • Avatar
      Bruno 28 de julho de 2019

      Eu não acho que isso seja um problema, um carro 1.0 hj em dia faz em média 400km por tanque no etanol, e eu só abasteço 1 a cada duas semanas, isso indo e voltando do trabalho e rodando final de semana a passeios, ou seja em média tenho 200km por semana e isso rodando bastante. Agora se o elétrico recarrega 80% em 1hr… Cara! Isso é muito rápido! Tenho certeza se eu abastecer 25% em um horário que seja do almoço por exemplo, eu rodaria a semana inteira tranquilo. Concerteza é de se pensar!

      • Avatar
        Natan 28 de julho de 2019

        O problema é para quem viaja, um carro a combustão demora cerca de 10 minutos entre encher o tanque, pagar e sair, eles demoram pelo menos 1 hora e não dá a carga total, para Urbano é uma boa, para viagem ainda deixa a desejar.

    • Avatar
      Martins Regis 28 de julho de 2019

      O único detalhe que não é divulgado em nenhuma reportagem sobre os carros elétricos é o gasto com a energia. Como a Tesla faz também a instalação de placas de energia solar para alimentar o carregador nas casas, seja nos EUA, seja na Europa, acredito que o gasto com energia seja bem mais do que os aparelhos de ar-condicionado, sejam eles convencionais ou splits. Ou seja, só valeria a pena se usar a s placas de energia solar, porque a autonomia já é um grande atrativo.

    • Avatar
      Diego 1 de agosto de 2019

      Então morra nos 2000,00 R$ mensais de gasolina! É mais fácil assumir que está longe do seu sonho!

Avatar
Deixe um comentário