Ex-CEO da Volkswagen é acusado de fraude das emissões

Martin Winterkorn e outros quatro executivos foram indiciados por envolvimento direto na fraude global do Dieselgate protagonizada pela marca alemã

Por AutoPapo15/04/19 às 19h00

Martin Winterkorn foi indiciado pela justiça alemã, hoje (15), por envolvimento direto com a fraude das emissões conhecida como Dieselgate. As autoridades também acusaram outros quatro executivos da companhia, segundo reportou a agência Reuters.

Martin Winterkorn e outros quatro executivos foram indiciados por envolvimento direto no Dieselgate, fraude global das emissões protagonizada pela VW.
Martin Winterkorn foi o chefão do Grupo Volkswagen de 2007 até 2015, quando renunciou ao cargo.

Winterkorn exerceu o cargo de CEO do Grupo Volkswagen por oito anos. O conjunto inclui as marcas Volkswagen, Porsche e Audi. Em 2015, ele renunciou ao cargo depois que o escândalo das fraudes veio a público.

Anteriormente, a justiça dos Estados Unidos já havia acusado o executivo de encobrir os crimes da companhia. Oficialmente, o Grupo Volkswagen já se declarou culpado pela fraude das emissões. Até agora, a companhia já pagou US$ 33 bilhões em multas, recalls, e outros.

Ainda não se sabe quem são os outros quatro executivos indiciados. O atual CEO da companhia, que assumiu o cargo depois de Winterkorn, negou envolvimentos com o esquema em entrevista à Reuters. “Eu não estou entre os acusados. Eu não espero ser indiciado”, declarou Herbert Diess.

“O ex-chefe executivo Martin Winterkorn está sendo indiciado por um caso particularmente sério de fraude, uma violação da lei contra competição desleal e quebra de confiança fiduciária”, declarou a procuradoria em uma divulgação.

Se ele for condenado, pode enfrentar até 10 anos de prisão.

Fraude das emissões derrubou poderosos

Diversas figuras poderosas já foram diretamente acusadas pelo Dieselgate, como o presidente da Audi e um chefão da Porsche. Além disso, investigações de autoridades europeias, ainda em andamento, já apontaram para o envolvimento de outras fabricantes no esquema.

Greenpeace protesta contra Volkswagen, na Inglaterra. (Greenpeace | Divulgação)
Greenpeace protesta contra Volkswagen, na Inglaterra. (Greenpeace | Divulgação)

Entre elas, estão BMW, Mercedes-Benz junto ao grupo Daimler, Nissan e Renault, além da fornecedora Bosch, considerada responsável pelo desenvolvimento do software que permitiu a fraude das emissões. Estima-se que cerca de 11 milhões de veículos com motores a diesel tenham sido afetados no mundo.

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário