Honda quer recuperar título de cortador de grama mais rápido do mundo

A corrida ainda não acabou: visando recuperar o recorde de 2014, Honda produz cortador de grama com 192 cv capaz de alcançar 215 km/h

Por AutoPapo20/03/18 às 15h54

A Honda fabricou, em 2013, um cortador de grama com 110 cavalos e capacidade para atingir 187 km/h. O feito da japonesa chamou a atenção dos apaixonados por “conquistas estranhas” e foi reconhecido pelo Livro doa Recordes (Guinness World Records) como o corta-relva mais rápido do mundo. No ano passado, um concorrente de nome Viking Stihl T6, equipado com um motor V8 de Corvette, superou o Mean Mower da Honda atingindo 214 km/h. A corrida de cortadores de grama não parou por aí: agora a fabricante japonesa apresentou uma versão turbinada do cortador.

O motor escolhido para equipar o cortador 2.0 aspirante a recordista foi o quatro cilindros da CBR 1000 RR Fireblade. O novo Mean Mower rende 192 cv e promete alcançar 215 km/h. O torque também impressiona: 11,8 kgfm.

A Honda quer recuperar o recorde de "cortador de grama mais rápido do mundo". Para isso, projetou o Mean Mower 2.0 com 192 cv e capacidade para chegar a 215 km/l.

Para aumentar a potência, algumas modernizações foram feitas no cortador de grama: o chassi do protótipo passou a ser tubular, houve também a troca de pneus para o tipo slick, que apresenta maior aderência ao asfalto (as provas de quebra de recorde são realizadas em uma pista) e a reformulação da aerodinâmica.

O recorde ainda não foi oficialmente quebrado, mas a Honda já confirmou quem será o piloto responsável pelo feito. Jessica Hawkins é corredora do campeonato britânico de kart, disputa a categoria Mini Challenge e dirigirá o Mean Mower.

Veja mais fotos do super cortador de grama – que provavelmente é mais potente que o seu carro:

Fotos Reprodução |YouTube


VEÍCULOS RELACIONADOS

Veja mais sobre:


0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário