Enzo Ferrari: até suas brigas viraram lendas do mundo automotivo

No dia do aniversário de Enzo Ferrari, lembramos algumas heranças que as brigas do italiano deixaram: Lamborghini, Ford GT40, e Alfa Romeo

Por Bárbara Angelo 18/02/19 às 19h00

Hoje, 18 de fevereiro, seria aniversário do criador da Ferrari, o italiano Enzo Ferrari. Com fama de ser uma pessoa difícil, razão pela qual era tratado por seu título, “il Commendatore”, Enzo deixou várias heranças para o mundo automobilístico. E, algumas delas, foram fruto direto das brigas que o “comandante” tinha com colegas, funcionários e concorrentes.

Dino Ferrari, à esquerda, e seu, Enzo Ferrari, à direita e ao centro: No dia do aniversário de Enzo Ferrari, relembramos as outras heranças que o italiano deixou: Lamborghini, Ford GT40, e Alfa Romeo.
Enzo Ferrari, à direita e ao centro, e seu filho, Dino Ferrari, à esquerda, acompanhados de dois funcionários da companhia. (Ferrari | Divulgação)

Enzo nasceu em 1898, 121 anos atrás, e desde criança se interessou por corridas de carro. Ele iniciou sua carreira aos 21, e um ano depois foi contratado pela italiana Alfa Romeo. Alguns anos depois, ele já havia criado o que hoje é uma das marcas mais conhecidas do mundo. Contudo, no meio dessa história, também houveram muitos tropeços.

1. Enzo Ferrari levou à criação da Lamborghini

Um destes tropeços se transformou em nada menos que a Lamborghini. A história é bastante conhecida no meio, e se deu na década de 1950. Assim como Enzo, Ferruccio Lamborghini nasceu em uma família pobre e conseguiu conquistar riqueza para si mesmo. Ele construía e vendia tratores, e ficou tão rico que começou a comprar carros de luxo.

Lamborghini 350 GT, de 1964, foi o primeiro modelo da marca: No dia do aniversário de Enzo Ferrari, relembramos as outras heranças que o italiano deixou: Lamborghini, Ford GT40, e Alfa Romeo.
O 350 GT foi o primeiro modelo feito pela Lamborghini, em 1964. (Lamborghini | Divulgação)

Alguns deles eram da Ferrari, mas Ferruccio estava insatisfeito com alguns detalhes. Segundo ele, o interior dos veículos era demasiadamente simples, e a transmissão sempre quebrava. Já o piloto de testes que trabalhou com ele dizia que o problema estava no motorista, que sempre queimava a embreagem.

De uma forma ou de outra, quando ia a Maranello para fazer o conserto, Ferruccio também ficava incomodado com o atendimento, que estaria abaixo da média e também impedia que ele acompanhasse o trabalho dos mecânicos. Um dia, ele decidiu substituir o componente com as próprias mãos, e ficou chocado com o que descobriu.

Enzo Ferrari estava usando transmissões comuns nos seus supercarros, as mesmas que Ferruccio usava em seus tratores. Ele ficou tão irritado que foi atrás de Enzo para tirar satisfações, e falou, na cara do Commendatore: “você constrói os seus carros lindos com peças de trator”!

Enzo, muito orgulhoso, respondeu: “Você é um motorista de tratores, você é um fazendeiro. Você não devia reclamar ao dirigir meus carros porque eles são os melhores do mundo”! Então, Ferruccio disse: “Ah, sim, eu sou um fazendeiro! E eu vou te mostrar como fazer um carro esportivo, vou fazer um sozinho… e vou te mostrar como um carro esportivo deve ser”!

E foi assim que a Lamborghini nasceu. Em 1964, os primeiros modelos, 350 GT, foram entregues a clientes, dando início a uma concorrência que existe até hoje.

2. O Ford GT40 só foi feito para humilhar a Ferrari

Outra briga de Enzo que entrou para a história é o lendário Ford GT40. Na mesma época em que Ferruccio Lamborghini começou a vender seus primeiros esportivos, a Ferrari estava apertada, e precisando de investimentos.

Ford GT40 de 1965: No dia do aniversário de Enzo Ferrari, relembramos as outras heranças que o italiano deixou: Lamborghini, Ford GT40, e Alfa Romeo.
Ford GT40 de 1965. (Ford | Divulgação)

Uma das pretendentes para tanto era a americana Ford, que chegou a se sentar à mesa com Enzo para negociar um preço pela companhia. Entretanto, no meio das conversas, Enzo Ferrari mudou de ideia. O italiano não conseguiu abrir mão do controle sobre sua companhia, que ele exercia com uma mão de ferro e vários espiões.

Quando o porta-voz da Ford voltou para Detroit com as mãos abanando, Henry Ford II ficou revoltado: “vá para Le Mans e acabe com ele”, teria dito o primeiro herdeiro da fabricante. Contudo, a Ford nunca havia tido muita experiência com corridas, e estava mais acostumada com carros populares com preços acessíveis.

O desafio foi parar nas mãos de um inglês, que à época estava coordenando a divisão de operações especiais da fabricante. Seu nome era Roy Lunn, e ele conseguiu concluir sua missão impossível.

O primeiro Ford GT40 usou como base o inglês Mk6, da fabricante Lola. Sua primeira participação nas 24 horas de Le Mans foi em 1963. No ano seguinte, o modelo conquistaria sua primeira vitória. Ele foi campeão quatro vezes seguidas em Le Mans, de 1964 a 1968.

Até então, Enzo Ferrari era o grande campeão do campeonato, que vencera oito vezes seguidas. Mas, depois de enfurecer a Ford, sua posição mudou.

3. Enzo Ferrari criou a divisão esportiva da Alfa Romeo

A Alfa Romeo deu a Enzo Ferrari seu primeiro emprego no setor automotivo. Em 1920, o italiano foi contratado pela fabricante, com a qual desenvolveu diversos papéis. Ele foi motorista de testes e vendedor e, enfim, virou o chefe da divisão de corrida Alfa Corse.

Alfa Romeo Tipo B carregou o emblema da Scuderia Ferrari: No dia do aniversário de Enzo Ferrari, relembramos as outras heranças que o italiano deixou: Lamborghini, Ford GT40, e Alfa Romeo.
Alfa Romeo Tipo B carregou o emblema da Scuderia Ferrari. (Alfa Romeo | Divulgação)

Nove anos depois, ele fundou a Scuderia Ferrari, uma preparadora de carros e motos para corrida que trabalhava especialmente com modelos da Alfa Romeo. Logo, a fabricante adotou a empresa de Enzo como sua divisão esportiva oficial.

Nesse posto, Enzo participou do desenvolvimento de modelos campeões da Alfa Romeo. Um deles foi o clássico Tipo B, que correu pela Scuderia de 1933 e 1935, sendo campeão em diversas disputas do Grand Prix. No entanto, pouco depois, a marca quis absorver a divisão esportiva, e afastou Enzo Ferrari.

Para piorar, o italiano foi proibido de utilizar seu próprio nome em qualquer projeto de corrida por quatro anos depois de sair da companhia. Enfurecido, Enzo foi desenvolver seus próprios carros, até criar os motores V12 pelos quais se tornou tão famoso.

Daquela vez, não foi de Enzo, mas a briga da Alfa Romeo que teve parte no nascimento da Ferrari.

4. Só a Jaguar conseguiu arrancar suspiros do Commendatore

Embora não tenha sido uma briga, Enzo Ferrari deu outro tiro no próprio pé em 1961. Ele estava no Salão de Genebra, no estande de sua marca, mas decidiu dar uma volta para conferir o que seus concorrentes estavam fazendo.

Um Jaguar E-Type de 1961.
Um Jaguar E-Type de 1961. (Jaguar | Divulgação)

Quando ele chegou ao estande da inglesa Jaguar, ficou deslumbrado. Lá estava sendo exposto, pela primeira vez, o E-Type. Enzo, então, pediu para falar com o dono da Jaguar, Sir William Lyons. Quando ele chegou, Enzo lhe disse: “Meus parabéns! Esse é o carro mais bonito que eu já vi na minha vida”!

Para piorar, os jornalistas que estavam próximos a eles ouviram o comentário. No dia seguinte, ele havia se transformado na manchete de todos os jornais. No vídeo abaixo, Boris Feldman reconta essa história enquanto dirige um Jaguar E-Type de 1971. Confira:

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (1 votos, média: 5,00 de 5)
loadingLoading...
Clique na estrela para avaliar.
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário