Limpeza dos bicos injetores é necessária?

Em alguns casos, o serviço é, sim, recomendável. Porém, fazê-lo preventivamente em veículos que não têm problemas de funcionamento é pi-ca-re-ta-gem!

Por Alexandre Carneiro22/06/18 às 16h26

Uma dúvida recorrente entre os leitores do AutoPapo é se os bicos do sistema de injeção eletrônica de combustível, tecnicamente conhecidos como válvulas injetoras, devem passar por procedimento de limpeza: não e sim! Em determinadas situações, esse serviço pode ser necessário e surtir bons resultados. O que não existe é limpeza preventiva desses componentes. Não é raro muitas oficinas e até mesmo concessionárias ofereceram o serviço.

É o que explica o consultor técnico do Grupo Fiat-Chrysler Automobiles (FCA), Ricardo Dilser. “A FCA recomenda a verificação dos bicos injetores, para saber se eles estão com o mesmo volume, se o jato está no padrão, etc. Em alguns casos, pode ser recomendável fazer a limpeza sim. Mas a avaliação tem que ser criteriosa. Se o carro está funcionando bem, se não está apresentando perda de potência ou elevação de consumo, não precisa mexer”, esclarece.

Limpeza dos bicos injetores é necessária apenas em alguns casos

A resposta de Dilser coincide com a da Bosch, empresa do ramo de autopeças que produz diversos componentes do sistema de alimentação de combustível, inclusive as válvulas injetoras. “A limpeza do bico injetor poderá ser realizada quando o motor estiver funcionando irregularmente,” explica o chefe do Centro de Treinamento Automotivo, Diego Riquero Tournier, da empresa.

Quando limpar os bicos?

O especialista da Bosch enumera alguns indícios que podem apontar a necessidade do serviço de limpeza dos bicos. “Caso ocorra uma restrição de fluxo de combustível pelos injetores, os sintomas percebidos pelo motorista são: falhas em aceleração, aumento do consumo de combustível, oscilações de rotação, incremento dos níveis de poluição e, em situação extrema, pode acender a lâmpada de diagnóstico no painel do veículo indicando falha no sistema de alimentação de combustível,” adverte.

“O serviço de limpeza de válvula de injeção, uma prática comum no mercado, que é realizada utilizando uma máquina de ultrassom, tem a função de desobstruir os orifícios desses componentes. Em muitos casos, a limpeza possibilita recuperar algumas características funcionais das válvulas. Já em outras situações, em que o procedimento de limpeza não é suficiente para recuperar as condições do injetor, o mesmo deverá ser substituído”, acrescenta Tournier.

Dilser destaca que, geralmente, os problemas que exigem a limpeza dos bicos ocorrem em carros de alta quilometragem, com cerca de 100 mil quilômetros. Nesses casos, o consultor técnico da FCA também aponta a troca dos injetores como alternativa, especialmente em modelos com sistema do tipo indireto, que é o mais comum. “Com a popularização da injeção eletrônica e o início da produção de bicos no Brasil, a substituição não tem mais um preço doloroso”, pondera.

Manual do carro traz informações sobre manutenção dos injetores

Caso surja alguma dúvida sobre quais serviços de manutenção preventiva devem ser executados no veículo, Dilser recomenda que o proprietário apele para uma medida simples: a consulta ao manual do proprietário. “O livreto traz uma tabela com todos os itens que devem ser verificados ou substituídos a cada quilometragem”, salienta o especialista da FCA.

“Os intervalos de inspeção e revisões nas válvulas de injeção, assim como em outros componentes do sistema, devem seguir as orientações do manual do fabricante do veículo,” afirma também Tournier, da Bosch.

Foto Shutterstock | Reprodução

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
7 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • José Roberto Madrigrano 22 de junho de 2018

    Olá, gostaria de saber se o Renault Megane, virá para o Brasil no próximo ano.
    Atualmente a Renault está sem nenhum sedan médio, ela continuará assim?
    Aguardando retorno
    Agradeço
    José Roberto Madrigrano

    • Fernando 31 de dezembro de 2018

      Não virá, pois não vende nada aqui.

  • Auro Leonardo 22 de junho de 2018

    Com esse aumento nos combustíveis, surgiu o hidrogênio. É confiável fazer a adaptação no meu veículo?

  • André Menezes 23 de junho de 2018

    Fui trocar os pneus do meu carro e fui informado que as rodas do meu carro. A solução que oferecida pelo mecânico foi dar um passe nas rodas, teria que mexer também na cambagem… Isto é seguro e correto? Não fragiliza as rodas? Resolvi não aceitar e apenas troquei os pneus e foram feitos os alinhamentos. Acontece que agora o não está muito bom …Devo realmente fazer a cambagem?

  • Rodolfo 27 de junho de 2018

    Prezados,
    Em verdade o Brasil é um dos poucos países que ainda usa gasolina sem aditivação… é sabido que ela mantém sempre limpo todo o sistema de alimentação, em escecial os bicos injetores.

    Assim, quem tem bom senso sempre irá usar gasolina aditivada ao invés de gasolina comum sem aditivação de limpeza (detergentes e dispensantes). Pois o barato sempre sai mais caro, ter que arcar com limpeza de bicos em caso de falhas de funcionamento do motor ou pior… ter que trocar os bicos, melhor previnir do que remediar.

  • Adilson M Oliveira 9 de julho de 2018

    Q bom q existe vcs especialistas. Pq oh Brasil de picaretas! Não tem mecânicos cem por cento honestos ou q de fato tem conhecimento profundo.

    • Marlom 26 de novembro de 2018

      Nem me fale… levei num mecânico certa, que parecia extremamente honesto e profissional. Só parecia… dois dias depois levei em um outro e descobri que o mecânico anterior tinha estratagado de propósito os bicos injetores de gasolina do meu carro, sendo que era só para fazer uma pequena limpeza. Saí no prejuízo e tive que mandar trocar todos os bicos 🙁 foi ingenuidade da minha parte, pois na verdade nem de limpeza estava precisando ainda. Fiquei puto de raiva!

Deixe um comentário