Nova placa Mercosul: quando seu carro terá que utilizá-la?

Veículos que permanecerem com seus proprietários em seus atuais municípios poderão continuar portando a chapa atual por tempo indeterminado

Por Alexandre Carneiro28/01/19 às 18h40

A partir do dia 30 de junho deste ano, a nova placa Mercosul deverá ser utilizada em todo o país. Essa foi a última data estabelecida pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) para a implementação do novo padrão de chapas, após uma série de adiamentos anteriores. Se não existirem novas postergações, o equipamento deverá ser instalado em todos os carros que passarem pelo primeiro emplacamento, e também em veículos usados, caso haja transferência de propriedade ou se o dono mudar seu local de residência para outro município.

Não há uma data limite para a instalação da nova placa Mercosul em toda a frota do país

Todavia, quem não pretende nem trocar o carro nem se mudar para outro município pode ficar tranquilo. É não há uma data limite para a instalação da nova placa Mercosul em toda a frota do país, segundo Ministério das Cidades, ao qual o Contran é subordinado. “Não haverá a obrigatoriedade de troca de placas para os veículos que já estão em circulação. Isso quer dizer que um veículo já emplacado poderá circular com o modelo atual até o fim da vida, se permanecer com o mesmo dono e no mesmo município“, explicou o órgão em e-mail enviado ao AutoPapo.

Se o proprietário quiser, contudo, poderá procurar o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de sua unidade federativa para efetuar o emplacamento. Mas isso fica a cargo do dono do veículo. A troca das chapas antigas pela nova placa Mercosul “será obrigatória para veículos novos, transferências de propriedade, de domicílio e alteração de categoria“,  complementa o Ministério das Cidades.

Na maioria dos Estados, nova placa Mercosul ainda não foi adotada

Apesar de ser fruto da legislação federal, o ato do emplacamento é de responsabilidade estadual. Desse modo, Detrans das diferentes unidades federativas do país têm autonomia para definir quando a nova placa Mercosul será adotada. Isso, claro, desde que seja respeitada a data limite de 30 de junho. Desde o ano passado, as chapas unificadas já são utilizadas no Rio de Janeiro, no Amazonas, no Rio Grande do Sul, no Rio Grande do Norte e na Bahia.

Vale lembrar que, uma vez emplacado com a chapa do novo padrão, o veículo poderá permanecer com ela mesmo se mudar de propriedade ou de município. Isso porque o equipamento não traz identificação de cidade e de Estado, como ocorre no modelo atual. Inicialmente, a nova placa Mercosul trazia um brasão do município no qual o automóvel está registrado. Todavia, em novembro último o Contran voltou atrás e deixou de exigir essa identificação.

Foto Laurie Andrade | AutoPapo

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
57 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Eddie Nabil Rahal 28 de janeiro de 2019

    Tem alguma notícia da nova placa padrão em São Paulo?

    • Valter 29 de janeiro de 2019

      Tudo pra tirar um dinheiro a mais do povo….

      • Elcio 29 de janeiro de 2019

        E preciso mudar pois nao existe mais combinação no atual modelo que é ultrapassado, depois se vc não vai trocar de carro não há necessidade de fazer a troca.

      • Carlos 29 de janeiro de 2019

        Se nosso governo desse baixa nos veículos que ja não existe mais, aqueles foi pedido a baixa nos documentos e reaproveitaria as chapas desse veículo em novos, quantas placas ja não sirculam e não são utilizadas mais, é roubo dos governos para cima de nós mesmos.

      • Fábio Costa 29 de janeiro de 2019

        As placas têm muitas informações que a maioria das pessoas não percebem, essas servem para proteger o patrimônio do proprietário e identificar veículos com placas falsas. Reaproveitar placas antigas facilita as fraudes e prejudica as pessoas de boa fé. Pela combinação de letras temos várias informações sobre o veículo.

      • Romildo da Silva Oliveira 29 de janeiro de 2019

        Kkkk. Nesse caso não entra DINHEIRO para os atravessadores . Fabricantes das placas. Emplacadores. Taxas nas demutrnas. Pais da corrupção

      • Alisson 29 de janeiro de 2019

        Não é verdade, não foi usado nem 1/3 das combinações atuais.
        As placas Mercosul tem mais segurança e combinações que as atuais e isso justifica a mudança.
        Com relação se é para tirar dinheiro do povo, não já que nova placa trará mais segurança, já que ela tem a combinação de letras e números e um qrcode que tem que bater com banco de dados da placa. Logo será mais fácil identificar veículos com placas adulterada.

      • Luís Carlos 29 de janeiro de 2019

        Com relação a isto, até que não, pois vc já tem que pagar pelo emplacamento/transferência ao ao adquirir um veículo. Com a desobrigação da identificação da localidade, a placa fica no carro ” ad eternum”, caso não seja danificada ao longo da sua vida.

      • Geane 2 de fevereiro de 2019

        Com certeza! Ela é até mais cara que a placa atual. Não compensa e fica muito mais difícil identificar de qual cidade é o carro.

  • Roberto 29 de janeiro de 2019

    Pregunto si uno no cambia de placa cuando pase la frontera não vá haver ningún incoveniente porque las autoridades de otros países del Mercosur no van a poner obstáculos para pasar

    • LUIZ ENÉAS 29 de janeiro de 2019

      Yo Creo que no. Una vez que és lá unification de las placas en todos Los Países de ló Mercosul

    • Alberto 5 de fevereiro de 2019

      Com a placa do padrão Mercosul, podemos trafegar em outro país, membro do Mercosul, indefinidamente – o que difere são as leis de cada país; por exemplo: vivo no Brasil; se eu comprar um veículo na Argentina, complica da Argentina, não há nenhum problema com as autoridades de trânsito, mas eu vou precisar me entender como o imposto de renda…
      Com as placas atuais, existe prazo para retornar para o país de origem do veículo.

  • Leonardo Sanches Vieira 29 de janeiro de 2019

    Absurda a implementação dessa nova placa sem a identificação de município e Estado. E ainda por cima bem mais cara que a atual.

    • Mauricio 29 de janeiro de 2019

      Claro que não

      Disse besteira, pq se colocar o munícipio e estado, toda vez que transferir vai ter que gastar com troca de placas, Não colocando não terá que trocvar nunca.

    • João Paulo 29 de janeiro de 2019

      Sim. Daí era somente trocar a tarjeta dos mesmos quando mudasse preservando a numeração.

      • ricardo 29 de janeiro de 2019

        Essa é nacional! Sem troca de tarjeta! Tá aí à economia! Vc emplaca uma única vez!

    • Alberto 5 de fevereiro de 2019

      Eu acho bom não ter identificação de município. Viajo muito e acho melhor ninguém saber de onde sou: acho mais seguro.

  • Ricardo 29 de janeiro de 2019

    Quem deveria arcar com as despesas era o governo federal já que acha necessário…mas isso só em Países sérios!

  • Richelle 29 de janeiro de 2019

    Não sei pra que isso será feito? Nesse país ninguém respeita nada o próprio CTB passam por cima ! Pra que isso ?? Onde já se viu placa cinza fazer transporte de passageiros remunerado !! Uma vergonha !

  • Roberto Eduardo 29 de janeiro de 2019

    E não podia custar menos que R$ 250,00!

    • Alberto 5 de fevereiro de 2019

      Troquei a minha placa: gastei 230 reais.

  • Edlucio Ribeiro 29 de janeiro de 2019

    Pura palhaçada… Um absurdo essa nova placa, é outra forma de conseguir arrancar dinheiro da população, é quite primeiros socorros que virou piada, é estintor abc que na época da obrigatoriedade, se pagava preço de ouro… E agora mais essa…! Fico pensando qual vai ser a próxima.

  • Roberto Emig 29 de janeiro de 2019

    Esta nova placa é um atestado de idiotice em meta.
    Difícil identificação rápida, letras que se confundem com números, pouco espaço entre os algarismos, coloração péssima. Aquela letra perdida no meio dos números totalmente sem sentido, péssimo.
    Qual o motivo, se é para mudar a placa, de Não ter os números em um grupo e as letras em outro ? Tinham que colocar uma letra entre os números??? Gostaria de saber quem foi o “genio” que fez seu layout. A anterior era muito melhor é fornecia mais informações. Poderiam só, se fosse o caso, inserir o code, mudar a cor e não mexer no que está bom.
    Assinaram um atestado de idiotice mudando a placa.
    Que porcaria de placa.

    • Joelso Campos Gomes 29 de janeiro de 2019

      Concordo plenamente.
      Poderia ter usado a placa antiga com o qrcode, e no final os dois dígitos do ano do carro, exemplo 2019 usaria 19 EX AAA1234-19.

  • Wellington Suffi 29 de janeiro de 2019

    Será muito bom, pois quem comprar um carro usado não irá precisar trocar a tarjeta se for de outra cidade, um custo a menos na verdade.

    • Alex BRESCHAK 29 de janeiro de 2019

      Eu acho que não pq a placa sai em média 250 reais muito a naus cara que a atual entra tá pior do que tava

  • Ivam marcal alves 29 de janeiro de 2019

    Tem que tabelar o preço destas placas porque na minha regiao estamos sendo explorados com preços abusivos região de conselheiro lafaiete

  • Sergio Terra 29 de janeiro de 2019

    A configuração atual permite 175mi de placas. Existe no Brasil 43mi de veículos. Essa mudança é inútil.

  • valdo 29 de janeiro de 2019

    boa essa numeração, fica mais difícil para o guarda de trânsito memorizar.

  • Therezinha De Jesus 29 de janeiro de 2019

    Será que essa nova placa não vai facilitar os ladrões de carro? Já que não tem o nome do município?

    • Joelso de Campos Gomes 29 de janeiro de 2019

      Nem lacre para assegurar que a placa é a própria do veículo.

    • Alê 30 de janeiro de 2019

      Pelo contrário amiga! Também tinha essa preocupação, eu era contra essas novas placas pq não entendia como funcionava. As novas placas do Mercosul tem muitas vantagens que a priori a gente não vê!! Vai uma lista aí:

      – Todas as placas Mercosul possuem um QR Code com banco de dado gigantesco, ele é único e exclusivo de cada placa, impossibilitando a clonagem de placas, uma vez que se você clonar a placa não vai ter como colocar o QR Code nela, pois somente o DETRAN fornece.

      -Com relação ao roubo, os ladrões encontrarão mais dificuldades, primeiro porque se quiserem mandar o carro para países vizinhos o Governo Brasileiro saberá onde ele está, pois o banco é único a todos países do Mercosul. Segundo que no QR Code é possível cadastrar além de todas as identificações do veículos, exclusividades. Por exemplo se seu carro tiver um risco branco no retrovisor direito, você pode gravar isso no banco de dados do QR Code, facilitando em uma possível busca do veiculo caso seja roubado.

      E com relação ao custo: O valor elevado se deve ao número pequeno de empresa que fabricam, a ideia é que a medida que forem surgindo mais empresas os preços diminuam!! E o melhor de tudo, a placa tem CUSTO ÚNICO. Na placa atual que custa em torno de R$ 130,00 se você transferir o carro 10 vezes de município, vai pagar 10 placas, ou seja R$ 1.300,00. Na placa Mercosul não existe isso, é R$ 220,00 e nunca mais terá que pagar caso houver futuras transferências.

  • Pokey 29 de janeiro de 2019

    Mais uma coisa para arrancar dinheiro do povo e beneficiar cidades e Estados que alagam sempre que chove…
    Quem inventou isso deve ter cérebro do tamanho de uma ervilha, além de estar recebendo alguns mimos dos interessados nessa palhaçada.
    Vai ser igual a tomada “padrão” que inventaram para ficar “igual a Europa”.
    Ao invés de trabalharem ficam criando lei inútil para a população.

    • João poli 29 de janeiro de 2019

      SEMPRE FOI ASSIM ISSO NÃO VAI MUDAR TODO ANOS POLÍTICOS ENVENTA ALGUM PRA FUDE MAIS O POBRE

  • Enio 29 de janeiro de 2019

    Isto é o novo kit primeiros socorros…

  • jose 29 de janeiro de 2019

    pessoal ,as placas marcosul é melhor que as que existem hj , já aconteceu de em trânsito perder a tarjeta da cidade e ainda levei uma multa por transitar sem , e na v3nda de veículo ou troca de está do não precisa.os preocupar com tarjetas e placas ,achei muito bom …

  • JOAO JUNIOR 29 de janeiro de 2019

    Bom dia!
    Sou do Rio Grande do Norte, e tenho visto muita gente reclamando das novas placas, por que elas não podem ser a parafusadas, e as mesma vem com toda dupla face, e muitos já perderam essas placas, minha pergunta é: pode ou não parafusar a placa no carro ou moto?

  • Alves lazaro Silva 29 de janeiro de 2019

    Como em Brasília não tem nada de importante para fazer além de roubar o dinheiro dos cofres públicos eles ficam inventado novas formas de roubar os contribuintes novamente

  • Mário 29 de janeiro de 2019

    Essa troca de placa e só mais uma forma de arrecadar dinheiro do povo brasileiro nós somos fácil de ser enganados aceitamos tudo que os bandido dos governos impõem já teve o kit primeiro socorros o do institor agora o das placas Mercosul isso e só mais um meio de roubar o povo brasileiro vc vê um carro com essa placa do Mercosul hoje sirculando na sua rua hoje vc não sabe de que cidade ele e pode ser bandido vc não tem como indentificar de onde e esse carro

  • rafael augusto de oliveira 29 de janeiro de 2019

    Tudo papo furado vai mudar nada não

  • marcelo 29 de janeiro de 2019

    na verdade, esses politiqueiros que sao empossados nesses cargos usam essas grandes intervencoes, com exolicavmcoes escabrosas, que na verdade ninguem sabe pra quer essa mudanca de pkaca o quê vai melhorar para os condutores para a populacao em geral, será que pir tras disso tudo nao tem um desses ladrões se beneficiando de alguma forma?

  • Narcione de Almeida Melo 29 de janeiro de 2019

    O ruim é que agora não vou poder ficar olhando nas placas dos carros para identificar de onde são a galera kkkkk.

  • SÉRGIO AUGUSTO ABREU CRUZ 29 de janeiro de 2019

    A Nova placa veio para dar mais prejuízo ao proprietário do veículo. Ela gera mais custos, não encaixa no luga determinado do veiculo, não apresenta a cidade de procedência. Rezumindo: não fornece os devidos dados de procedência do veículo sem falar que é extremamente feia. Portanto, não queremos está porcaria inventada no Foro de São Paulo. Entenderam o recado? SOMOS CONTRA.

  • Luís Carlos 29 de janeiro de 2019

    Quanto a utilização da placa, não tenho opinião formada. Porém, uma vez instituída, penso que deveria trazer, pelo menos, a indicação da cidade a que pertence.

  • Rogerio 29 de janeiro de 2019

    Só vou redimir serar qui não vai ter ninguém para nos salvar da mau dos ladrões???

  • Rogerio 29 de janeiro de 2019

    Só vou resomir serar qui não vai ter ninguém para nos salvar da mau dos ladrões???

  • Antonio Galvão 29 de janeiro de 2019

    Mais um roubo institucionalizado,e o pior é que tm muita gente trocando essa beleza de placa só por ostentação sem nem mesmo saber o porquê e se existe algum benefício pra sociedade ou para o país em sendo assim o povo merece mesmo pagar essa conta e acho que até tava demorando…

  • Helio Portella 29 de janeiro de 2019

    Por incrível que pareça não foi previlegiado os fabricantes das tarjas sempre que trocamos de município.
    Mas igual vamos morrer nas placas mais cedo ou mais tarde.

  • Isaías Reis de Oliveira 29 de janeiro de 2019

    Só pra arrecadar! Não acrescenta em nada e pra piorar não identifica o municipio!

  • Estevao S Brasil 29 de janeiro de 2019

    Como eu não sou um conservador estúpido eu vejo o lado bom da nova placa, a gente já tá totalmente atrasado nessa implementação.
    Tem que ser muito burro pra ignorar os motivos que levaram a esse novo modelo de placa que já é usado na Europa a anos.

    Numeração sequencial tem prazo de validade, bando de anta!

  • Marcos de brito gama 29 de janeiro de 2019

    Eu acho isso um absurdo so pra fuder a gente pobre trabalhador custa comprar um carrinho pra anda agora essa palhaçada de trocar placa só pra fuder nos pobre esse e nosso brasil

  • Marcos de brito gama 29 de janeiro de 2019

    So pra fuder o pobre esse e nosso brasil so roubo isso e um absurdo pra gente trabalhador nao concordo com essa troca de placa

  • Aloísio 29 de janeiro de 2019

    Quem tem carro com documento atrasado ou carro alienado ta ferrado.Pois vai facilitar para a Polícia acabar com estra malandragem no Brasil.

  • Casemiro de Aguiar 29 de janeiro de 2019

    É um avanço, pois em viagens para outros países será uma burocracia a menos, e isto faz a diferença

  • Alê 30 de janeiro de 2019

    Também tinha uma grande preocupação com essa mudança , eu era contra essas novas placas pq não entendia como funcionava. As novas placas do Mercosul tem muitas vantagens que a priori a gente não vê!! Vai uma lista aí:

    – Todas as placas Mercosul possuem um QR Code com banco de dado gigantesco, ele é único e exclusivo de cada placa, impossibilitando a clonagem de placas, uma vez que se você clonar a placa não vai ter como colocar o QR Code nela, pois somente o DETRAN fornece.

    -Com relação ao roubo, os ladrões encontrarão mais dificuldades, primeiro porque se quiserem mandar o carro para países vizinhos o Governo Brasileiro saberá onde ele está, pois o banco é único a todos países do Mercosul. Segundo que no QR Code é possível cadastrar além de todas as identificações do veículos, exclusividades. Por exemplo se seu carro tiver um risco branco no retrovisor direito, você pode gravar isso no banco de dados do QR Code, facilitando em uma possível busca do veiculo caso seja roubado.

    E com relação ao custo: O valor elevado se deve ao número pequeno de empresa que fabricam, a ideia é que a medida que forem surgindo mais empresas os preços diminuam!! E o melhor de tudo, a placa tem CUSTO ÚNICO. Na placa atual que custa em torno de R$ 130,00 se você transferir o carro 10 vezes de município, vai pagar 10 placas, ou seja R$ 1.300,00. Na placa Mercosul não existe isso, é R$ 220,00 e nunca mais terá que pagar caso houver futuras transferências.

    • Junior 1 de fevereiro de 2019

      Os primeiros modelos da placa Mercosul no Brasil tinham o selo do estado e do município, assim sendo, seria necessário trocar toda a placa do veículo em caso de mudança de cidade e/ou estado. Mas agora parece que tiraram isso, vai ser adotado o padrão Mercosul, e com isso, a placa “nasce” e “morre” com o veículo. Só que os órgãos responsáveis estão batendo cabeça demais com isso, é muito cacique pra pouco índio.

  • Elver 1 de fevereiro de 2019

    Não entendi porquê essa placa não possui o lacre de segurança que a fixa na carroceria do veículo. Se você possui dois veículos idênticos pode apenas pagar a documentação de um e manter a mesma placa para os dois, pois é fácil de ser substituída.
    Não me venha falar do das info no QR Code pois nem todos serão fiscalizados assim. Na maioria é abordado, verificado doc em dia e tchau e bênção!

Deixe um comentário