Onix e Prisma 2020: Chevrolet entra na onda dos três cilindros turbo

Unidades 1.0 tricilíndricas, em versões aspirada e turbo, vão estrear neste ano sob o capô das novas gerações de Onix e Prisma

Por AutoPapo 10/01/19 às 16h45

Enquanto os automóveis mais sofisticados da Chevrolet, como Cruze, Tracker e Equinox, já adotam motores modernos e equiparados com seus similares de outros países, os modelos de proposta popular seguem com mecânica antiquada. Mas isso vai mudar, pois em 2019 chegam os novos motores Chevrolet de baixa cilindrada. Uma nova unidade de 1.0 litro de três cilindros com injeção direta de combustível, nas variações aspirada e turbo, chega neste ano com as novas gerações de Onix e Prisma.

Novo Prisma utilizará novos motores Chevrolet de três cilindros
Novo Prisma já foi flagrado na China, onde também será vendido

Atualmente, o hatch e o sedã compacto da marca são equipados com blocos 1.0 ou 1.4, ambos de quatro cilindros. Eles são conhecidos como “Família I” e chegaram ao Brasil em 1994, sob o capô do Corsa. Portanto, já têm 25 anos de estrada. Mesmo após passarem por atualizações ao longo desse período, são incapazes de esconder suas limitações. Não há, por exemplo, construção total em alumínio, recursos de variação do tempo de ignição ou de escape ou correia dentada de alta durabilidade. Até mesmo o sistema de partida a frio ainda utiliza o obsoleto tanquinho de gasolina.

Ainda não há informações técnicas sobre os novos motores Chevrolet. Espera-se, porém, que o 1.0 aspirado alcance cerca de 90 cv de potência. Na versão turbo, o número deve subir para algo em torno de 130 cv. Ambos terão tecnologia flex e serão produzidos em Joinville (SC), em uma fábrica inaugurada em 2016.

Novos motores Chevrolet não aposentam os antigos de imediato

Os novos motores Chevrolet não deverão aposentar de imediato os antigos 1.0 e 1.4. Isso porque, segundo informações do Autos Segredos, eles continuarão equipando as atuais gerações de Onix e Prisma, que seguirão em produção pelo menos até 2020. Isso significa que as duas gerações do hatch e do sedã vão conviver durante algum tempo. Todavia, a partir de então, o futuro dos modelos mais antigos e de suas mecânicas é incerto.

Além do 1.0 e do 1.4, os propulsores da Família I também incluem um 1.8, que atualmente equipa Cobalt e Spin. O primeiro modelo deverá ser substituído pelo novo Prisma, que será bem maior que seu antecessor. Já o segundo deve permanecer em produção por, no mínimo, mais alguns anos. Entretanto, ainda não se sabe se ele manterá a mecânica atual ou adotará algum dos novos motores Chevrolet.

Foto AutoHome.cn/Reprodução

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (1 votos, média: 4,00 de 5)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Francisco Gilvan Alves de Melo 16 de julho de 2019

    Essa Chevrolet é uma empresa fuleragem,troca de modelos de dois em dois anos,seus carros tem um acabamento interno de fazer vergonha.Qualquer fiat do modelo mais simples, é mais sofisticado que o modelo mais top da Chevrolet.É uma vergonha.Tenho um cobalt ltz 1.8 automático.O carro vem sem câmera de ré, enquanto o prisma tem,onde é que um prisma é mais carro que um cobalt?Só nessa empresa sem vergonha.Onde já se viu um carro do top de um cobalt vir com uma única chave codificada,palhaçada.

Avatar
Deixe um comentário