Renault Sandero R.S Racing Spirit

Vai além da fantasia

Por Sérgio Melo 06/07/17 às 10h45

A Renault decidiu deixar a versão com apelo esportivo do Sandero, a R.S, mais agressiva, e fez uma série especial limitada a 1.500 unidades denominada Racing Spirit. Destaque para o visual chamativo, com detalhes em vermelho que transmitem harmonia e imagem vigorosa. O colorido foi aplicado em adesivos laterais, friso do para-choque dianteiro, extrator de ar do para-choque traseiro, pinças de freio, tecidos dos bancos, nas saídas de ar e no painel de instrumentos. Salamaleques a parte, a mecânica é basicamente a mesma do Sandero R.S, com acréscimo de pneus esportivos e controle de tração.

Porém, ao contrário de grande parte dos outros compactos enfeitados, cuja esportividade se restringe ao visual, o desempenho do Sandero R.S Racing Spirit é vigoroso. O motor 2.0 rende 150 cv de potência e tem torque de 20,9 kgf.m a 4.000 rpm. A aceleração de 0 a 100 km/h é em oito segundos e a velocidade máxima chega a 202 km/h.

Mas deixaram no modelo o famigerado tanquinho de partida a frio, que já foi extinto em muitos veículos básicos. Outro problema é a engasgada ao voltar a acelerar após cada mudança de marcha. Compromete o prazer de dirigir e também conforto de todos ä bordo. Só mesmo cambiando com muita calma para minimizar a “chacoalhada”.

Renault Sandero R.S Racing Spirit

A potência sobra, se a proposta for usar o carro de maneira corriqueira. Porém, não é nada de outro mundo se o desejo é transformar o Sandero em um esportivo. Certo é que o barulho do motor – mais evidente que no Sandero convencional – é uma delícia nos primeiros minutos, mas em longas viagens chega a ser cansativo.

O ajuste firme da suspensão junto às rodas 17” com pneus perfil 45 e largura 205, proporciona boa estabilidade e aderência, melhor que no R.S básico que é calcado com pneus com medidas 15/65/185.

O interior é basicamente o mesmo do R.S. O banco do motorista corre pouco e o trilho acaba antes que os mais altos consigam uma perfeita acomodação para as pernas. O volante regulável apenas em altura fica muito à frente em relação aos pedais, forçando o motorista a colocar o encosto praticamente na vertical para ter os braços bem posicionados.

Não foi possível um bom ajuste para o motorista, que mede 1,84 m. A solução foi acostumar com o posicionamento possível. Na traseira, boa largura para dois adultos e uma criança em assento baixo que não apoia bem as coxas e falta espaço para os joelhos. O bom porta-malas tem capacidade para 320 litros.

Com uma placa afixada sob a alavanca do freio de estacionamento contendo o número da unidade produzida, dentro do total de 1.500 da série Racing Spirit, o interior do é extremamente espartano, sem nenhuma superfície acolchoada fora os assentos com tipo de tecido que esquenta bastante.

Renault Sandero R.S Racing Spirit

No painel de instrumentos não há medidor de temperatura, o que impede a percepção de comportamento anormal do motor antes que a luz-espia se acenda e o veículo tenha que ser imobilizado imediatamente. Outro detalhe que deixa a desejar é a falta de iluminação no botão de ajuste dos retrovisores externos.

Fora a descarga, o funcionamento geral é bastante silencioso, exceto o fechar das portas traseiras que produzem barulho de “lata”vazia. A transmissão manual com seis marchas tem bons engates, mas “embucha” se forem tentadas mudanças muito rápidas. É melhor cambiar com calma e parcimônia.

Na segurança, além dos itens exigidos por lei, nada presente que mereça comentário. O modelo fica devendo cinto de segurança de três pontos e encosto de cabeça para o passageiro traseiro central. Quanto ao comportamento em colisões, o Sandero foi muito mal no último teste realizado pela LatinNCAP em 2012 quando recebeu apenas uma estrela. Com consideráveis diferenças o irmão romeno fabricado pela Dacia levou três estrelas em 2013 na LatinNCAP.

Renault Sandero R.S Racing Spirit

O QUE É?

Hatch compacto com quatro portas e capacidade para cinco ocupantes.

ONDE É FEITO?

Brasil, São José dos Pinhais – PR.

CONSUMO

O números de consumo são péssimos. Conforme as medições do Conpet para o Sandero R.S. original que tem o mesmo motor, levou nota E na categoria, com consumo cidade/estrada de 5,9/7,6 km/l com etanol e 8,3/10,8 km/l com gasolina.

QUANTO CUSTA?

A versão testada, Sandero R.S. Racing Spirit custa R$ 66.400,00.

COM QUEM CONCORRE?

Embora significativas diferenças, os concorrentes mais próximos são Peugeot 208 GT (R$ 83.990) e Citroën DS3 (R$ 84.250).

Renault Sandero R.S Racing Spirit
OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pontos positivos: Desempenho / Conforto / Estilo

Pontos Negativos: Suspensão barulhenta / Teto traseiro baixo

Avalie o conteúdo:
Clique na estrela para avaliar.
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário