Aditivo: Booster funciona nos EUA, mas não no Brasil

booster, que pode funcionar nos EUA mas não no Brasil. Pois sua propriedade é de oxigenar a gasolina, tornando o motor mais eficiente de fato. Mas na gasolina dos EUA, que tem (quando tem...) um reduzido percentual de álcool. No Brasil, onde a gasolina já recebe 27,5% de etanol, já existe oxigênio mais do que suficiente e de nada adianta acrescentar mais este aditivo.

Por BORIS FELDMAN18/05/18 às 18h30

Motorista quando para no posto para abastecer, costuma ficar perdido sem saber se coloca gasolina com mais octanagem, com menos, com ou sem aditivo. Também pudera, ao contrário de outros países, não existe na bomba uma identificação técnica do que está sendo vendido, nem sequer a octanagem do combustível.

Uma das dúvidas é exatamente em relação à gasolina comum. Que se recomenda quando não se conhece nem se tem confiança no posto. Na estrada, por exemplo: não se tem certeza de que a gasolina aditivada contem mesmo os anunciados aditivos. Neste caso, compra-se um frasco do aditivo para se misturar à gasolina.

Aditivo do tipo Booster funciona nos EUA, mas não no Brasil

Leitor da coluna diz que ficou em dúvida ao parar para abastecer com a comum e pedir o aditivo, exatamente como se recomenda. Mas, qual não foi sua surpresa quando o frentista apareceu com um frasco em inglês indicando tratar-se de um super-aditivo chamado “booster”. Na embalagem, o produto era anunciado como verdadeira maravilha e ser um sucesso no mercado norte-americano. E que, além da aditivação normal, aumenta o desempenho do motor, reduz consumo e emissões e mais várias vantagens.

E aí? Pergunta nosso leitor. Aí, nada de comprar este booster, que pode funcionar nos EUA mas não no Brasil. Pois sua propriedade é de oxigenar a gasolina, tornando o motor mais eficiente de fato. Mas na gasolina dos EUA, que tem (quando tem…) um reduzido percentual de álcool. No Brasil, onde a gasolina já recebe 27,5% de etanol, já existe oxigênio mais do que suficiente e de nada adianta acrescentar mais este aditivo. Mal não faz, exceto para o bolso do motorista. É jogar dinheiro no lixo.

Ao abastecer com a gasolina comum, o aditivo a ser colocado no tanque é o mesmo que vem na nossa aditivada: são agentes dispersantes e detergentes que evitam a formação de depósitos no motor, nada além.

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

1 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ricardo Wilson Cruz 2 de julho de 2018

    A informação deste artigo está equivocada. Não existe essa coisa de “oxigenação da gasolina”, termo que, em sentido literal, significa “adicionar oxigênio à gasolina”; e isso não tem sentido, tecnicamente falando. Aliás, a matéria só acerta quando diz que a adição de etanol já oxigena a mistura, uma vez que o etanol contém O2 na sua molécula. Acho que o que a matéria quis dizer é wue o tal booster faz é elevar a capacidade antidetonante da gasolina, mas que, no Brasil, a adição de 27% de etanol já faz isso.

Deixe um comentário