Custo mensal de um carro: a conta que ninguém quer fazer

Aqui, vai entrar o seguro, as revisões, as trocas de pneus, e outros, mas fazer essa conta ajuda a economizar na hora de escolher um zero quilômetro

Por BORIS FELDMAN26/07/18 às 19h45

Já comentamos aqui, que o custo mensal de um carro novo no valor de R$ 30 mil a R$ 40 mil custa cerca de R$ 1.000 mensalmente, sem considerar sua desvalorização; ou seja, o custo para trocá-lo no futuro por outro zero quilômetro. Leitor do AutoPapo discordou e mandou as contas que fez para provar que seu carro não custa a metade deste valor por mês. Já está com ele há três anos e pretende trocá-lo brevemente. Uma olhada nas contas comprova que ele negligenciou despesas básicas de manutenção, não deve ter feito as revisões periódicas nem troca de pneus e bateria. O carro, provavelmente, é uma bomba-relógio pronta para explodir nas mãos do próximo dono, pois a manutenção corretiva (que deverá ser necessariamente realizada) custa muito mais que a preventiva.

custo mensal de um carro

Outro leitor reforça meu argumento (ainda bem) e me lembra de um custo que pode variar muito de acordo com o automóvel adquirido: o seguro! Ele comenta que pesquisou entre a compra de duas picapes: uma Renault Oroch 1.6, que custa na faixa de R$ 70 mil, e uma Volkswagen Saveiro, de R$ 73 mil. Ficou em dúvida, mas acabou se decidindo pela picape da Volkswagen depois do test drive.

O susto veio na hora de contratar o seguro total da Saveiro, que ficou em cerca de R$ 7 mil – enquanto o da Oroch ficaria por R$ 4 mil. Diz ele ter se esquecido de comparar o custo do seguro, que praticamente dobrou a diferença de preço entre as duas.

Entretanto, desconsiderou outros fatores no custo mensal de um carro: revisões obrigatórias, combustível, peças de reposição, impostos, etc. E também a desvalorização de ambas: o valor de revenda, entre dois e três anos, pode alterar significativamente o peso financeiro de cada uma no bolso, pois mais dia menos dia ele vai acabar trocando o veículo por outro mais novo ou zero quilômetro.

Além do mais, o custo comparativo de dois modelos novos pode estar também numa fase transitória e distorcido, pois um deles pode estar saindo de linha para abrir espaço para uma nova geração. Neste caso, o que está de saída será vendido com desconto por conta da tradicional “desova de estoque”.

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

1 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Thomas 27 de julho de 2018

    Esse é nosso Brasil o cara paga 7 mil pra assegurar um carro mas não paga 1 mil pra assegurar a própria vida. Simplesmente ridículo

Deixe um comentário