A etiqueta para pneus do Inmetro já tem que valer

A partir deste mês, os redondos terão que contar com a etiquetagem de suas características

Por BORIS FELDMAN20/04/18 às 17h12

Antigamente, só geladeiras tinham afixada na porta uma etiqueta indicando seu consumo mensal de energia elétrica. Depois os automóveis passaram também a ostentar essas etiquetas, permitindo ao freguês optar entre um carro de menor ou maior consumo, de acordo com suas conveniências. Agora, também passaremos a contar com uma etiqueta para pneus, que começa a valer a partir deste mês.

etiqueta para pneus
Imagem de caráter ilustrativo

O Programa de Etiquetagem de Consumo Veicular foi idealizado pelo Inmetro. As fábricas devem aferir o consumo de seus modelos a partir de testes simulados em laboratórios seguindo um padrão estabelecido internacionalmente. Pode-se reclamar de que o consumo declarado não seja exatamente o que o motorista registra no dia-a-dia. Mas é inegável que, em termos de referência, dá para se estabelecer “quem é quem” em termos de consumo de combustível.

O Inmetro decidiu estabelecer também um programa de etiqueta para pneus de acordo com suas características básicas. A ideia é esclarecer os motoristas pois nem todos preferem o pneu de mesmo comportamento. Há quem o prefira mais durável ainda que prejudicando a aderência no piso molhado. Ou o conforto, ou nível de ruído. Os pneus passaram a receber dos fabricantes etiquetas de acordo com três de suas características: maior ou menor atrito com o asfalto, o que resulta em maior ou menor consumo de combustível. A segunda será a aderência no piso molhado: alguns aderem melhor sob chuva do que outros. E finalmente, pneus emitem níveis de ruído variáveis, outra característica que deverá estar registrada na etiqueta.

O consumidor, com a etiquetagem, deixa de comprar o pneu “no escuro”. Quando a legislação estabeleceu este programa, deu ”uma colher de chá” de mais seis meses para as fábricas esgotarem seus estoques antigos, prazo que acabou em abril de 2017. As lojas tiveram uma “colher de sopa” e foram contempladas com mais um ano para se livrarem de seus estoques de pneus não etiquetados.

Ou seja, no frigir dos ovos, apenas a partir de abril de 2018 todos os pneus vendidos no Brasil terão obrigatoriamente que ostentar a etiqueta.

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário