Fluido do freio: Troca no prazo ou na quilometragem?

Alguns fabricantes inventaram uma história de troca por quilometragem

Por Boris Feldman16/05/18 às 11h00

Dificilmente um motorista se esquece de trocar o óleo do motor. Costuma-se até afixar adesivos no parabrisa registrando a data da última troca e a previsão da próxima. Pois rodar com óleo vencido é caminho certo para graves danos no motor e no saldo bancário. Mas, outros líquidos que exigem substituição com determinada frequência são relegados pelo dono do automóvel. O do radiador, por exemplo, raramente é trocado. Outro que não entra na pauta é o fluido do freio, que deve ser substituído a cada dois anos, em geral.

reservatorio do fluido do freio em um skoda fabia i
Exemplo de um reservatório de fluido de freio

Sempre vale a pena consultar o manual do proprietário para conferir o prazo.

Por que a importância de se substituir o fluido do freio? Por ele ser higroscópico. Que bicho é esse? Ele absorve umidade e, quanto mais, mais gotículas de água vão se formando no fluído. Como os componentes do freio operam por atrito, há um violento aumento de temperatura e, se o fluido contiver estas gotículas, elas fervem e o freio perde eficiência.

Surgiu recentemente uma novidade. Alguns fabricantes do fluido de freio resolveram estabelecer, além do prazo de dois anos, sua troca também por quilometragem. Alguns sugerem que ela seja feita a cada dez mil ou vinte mil quilômetros, o que não faz o menor sentido.

Basta imaginar um automóvel que roda como táxi e circula de quatro a cinco mil quilômetros mensais. Feitas as contas, o fluido do freio teria de ser substituído a cada três ou quatro meses. Ou seja, ao final de dois anos, em vez de uma troca do fluido conforme a fábrica do automóvel recomenda, ele já teria sido substituído umas sete a oito vezes.

Ou seja, uma ótima ideia para o faturamento dos fabricantes de fluido de freio, mas jamais para o bolso do consumidor.

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
3 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Gilmar Inácio 23 de junho de 2018

    Muito bom as orientações, bate de frente com alguns argumentos de mecânicos é aitos center. Muita valiosa as dicas do auto papo

  • Fabio prado 7 de novembro de 2018

    Pior aqui na Fiat o novo uno driver lê com 40 mil km eles querem que eu troque as velas que são de iridium e troque o fluido de freio e tudo isso ainda vai sair por pouco mais de 400 pila,um absurdo e ainda dis que se eu não troque o fluido de freio perco a garantia do carro e as velas sei que duram mais que isso
    BRASSSILLLLLL

  • Breno 12 de fevereiro de 2019

    O fluído de freio do meu veículo já possui 4 anos, o carro está com 27.600 mil km. O engenheiro mecânico diz medir o grau de contaminação de todos os fluídos, quando faço revisão geral, e novamente disse que está em boas condições. Ele sabe que só retornarei à oficina daqui 10 meses, no qual eu rodaria mais 5 mil km, para a troca de óleo. Aí aproveito e faço revisão geral, sempre. Estou confiando nele. Melhor tentar confiar numa oficina que apenas troca peças e outros serviços com extrema necessidade, do que àquela que condena todas as peças do seu veículo para realizar a troca. Detalhe: compro tudo na própria oficina.

Deixe um comentário