A octanagem da gasolina brasileira é alta

Devido à mistura de etanol em sua composição, a gasolina brasileira tem alta octanagem e pode ser usada em motores com taxas de compressão elevadas

Por Boris Feldman16/09/18 às 08h00

Um leitor da coluna diz ter um carro importado, e o manual recomenda usar gasolina de elevada octanagem. Mas ele roda numa cidade onde não existe esta gasolina – que seria a Podium (em alguns postos BR), ou do tipo Premium de outras marcas.

A octanagem da gasolina brasileira é alta.

Ele pergunta se pode abastecer com gasolina comum, apenas aditivada. Ou se tem algum aditivo específico para compensar. Sua preocupação é saber se não corre o risco de ver quebrado o motor.

Este risco existiu no passado, quando automóveis importados/esportivos tinham motor com elevada taxa de compressão e a nossa gasolina era de baixa octanagem. Algumas fábricas chegavam a “tropicalizar” o motor nos carros exportados para o Brasil, ou seja, reduziam a compressão.

Hoje não existe mais este risco, pois toda a gasolina comercializada no Brasil tem uma elevada octanagem devido à mistura de 27% de etanol. Essa mistura tem o ponto negativo de aumentar o consumo, mas o positivo de elevar a octanagem.

Além disso, ao contrário do passado, os motores são gerenciados por uma central eletrônica com sensores que “percebem” a octanagem da gasolina. Quando ela é baixa, a central ajusta o ponto do motor automaticamente para receber este combustível sem provocar a tal “batida de pino”. Exatamente o que fazia quebrar o motor no passado.

Se a taxa de compressão do motor for muito elevada e realmente pedir gasolina de alta octanagem, o único problema é o carro perder um pouco de desempenho – faltar alguns cavalinhos sob o capô – devido ao ajuste do ponto de ignição para evitar a combustão irregular (autoignição).

Em relação ao aditivo: não existe nenhum que aumente a octanagem da gasolina brasileira.

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Rauser 5 de julho de 2019

    A octanagem da gasolina brasileira é tão alta que os motores mesmo com todo gerenciamento ainda assim, grilam, batem pino! Se tivéssemos uma gasolina base boa, a octanagem com 27% de Alcool nela seria muito mais alta. Quando tinhamos 20% de Etanol o IAD era 87, hoje com 27% continua 87! A gasolina americana regular, tem IAD parecido com nosso, e tem 5 a 10% de etanol! A gasolina brasileira tem de fato alta octanagem?? Nossa gasolina base tem um refino inferior a que muitas outras ao redor do mundo, não se iludam!

Avatar
Deixe um comentário